Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental

Titulação: Mestre

Duração: 02 Anos

Entre em Contato: (14) 2107-7231 / 2107-7069 - strictosensu.prppg@usc.br

Apresentação

O Curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental destina-se à formação de profissionais e de docentes capacitados para atuar no ensino superior, aptos a desenvolver e propor soluções voltadas à sociedade e ao ambiente, bem como produzir bens e serviços.

Estas soluções serão pautadas na interdisciplinaridade do saber científico e na realidade social nos temas:

  • biodiversidade
  • sensoriamento
  • aproveitamento e tratamento de resíduos
  • bioenergia
  • saúde, ambiente e sociedade.


Objetivos

Consolidar um núcleo de referência no ensino, pesquisa e extensão no campo das Ciências Ambientais, atuando simultânea e interdisciplinarmente como centro formador de docentes e pesquisadores, tendo como elemento norteador a reflexão sobre a prática educativa e investigativa, fonte permanente de inovação, voltado para o meio ambiente, tecnologia e sociedade.


Público-Alvo

Profissionais graduados e egressos de cursos de graduação de áreas afins à Ciência e Tecnologia Ambiental: Engenharias Ambiental e Sanitária, Química, Elétrica, Agronômica, Produção, Civil; Bacharéis e Licenciados em Ciências Biológicas, Química e Física; Biomedicina; Arquitetura e Urbanismo; Odontologia; Terapia Ocupacional; Enfermagem; Farmácia e Nutrição.


Perfil do Egresso

Docente/pesquisador qualificado, apto a ingressar em Instituições de Ensino Superior, públicas ou privadas, e a desenvolver nestas, com as condições existentes, atividades de pesquisa, ensino, extensão e Pós-Graduação capacitado a:

  • Atuar nas pesquisas referentes ao monitoramento físico, químico e biológico em estudos ambientais, promovendo o desenvolvimento de métodos e materiais para o controle ambiental, bem como explorar o potencial tecnológico de matérias-primas e resíduos agroindustriais.
  • Adquirir, ampliar e aplicar conhecimentos sobre uso racional, manejo e conservação dos recursos naturais, subsidiando a compreensão da biodiversidade, funcionamento dos ecossistemas e impactos antrópicos nos diversos ambientes, como forma de contribuição para a melhoria das comunidades.
  • Entender a relação do ambiente químico e biológico e seu impacto sobre a saúde das comunidades; atuar em práticas experimentais e estudos de patogenicidade das populações inseridas nos cenários epidemiológicos frente às diferentes problemáticas socioambientais, visando ao bem-estar e à qualidade de vida.

Requisitos

Ser graduado em área afim à Ciência e Tecnologia Ambiental.



Área de Concentração

Ciência e Tecnologia Ambiental
Esta área de concentração integra conhecimentos em Ciências Ambientais e destina-se à formação de docentes e pesquisadores de forma interdisciplinar nos temas: sociedade, saúde, diversidade biológica, tecnologia e ambiente, por meio de suas linhas de pesquisa, dos projetos e das disciplinas oferecidas, promovendo inovação e desenvolvimento tecnológico e sustentável.

 Linhas de Pesquisa

logo ambiental

  • Linha de Pesquisa 1

Ambiente e Tecnologia

Sob perspectiva interdisciplinar, os projetos desenvolvidos nesta linha de pesquisa contemplarão o monitoramento físico, químico e biológico para o estudo de impactos ambientais; desenvolvimento de métodos e materiais para o controle ambiental; e potencial tecnológico de matérias primas e resíduos agroindustriais para produção de alimentos e bioenergia.

  • Linha de Pesquisa 2

Diversidade biológica e ecologia

Os projetos desenvolvidos nesta linha de pesquisa visam contribuir para tomada de decisões sobre o uso racional, manejo e conservação dos recursos naturais por meio da compreensão e ampliação dos conhecimentos sobre a biodiversidade; funcionamento dos ecossistemas; e impactos antrópicos nos diversos ambientes.

  • Linha de Pesquisa 3

Saúde, ambiente e sociedade

Os estudos desenvolvidos nesta linha de pesquisa contribuirão para o melhor entendimento da relação do ambiente químico e biológico com a saúde, por meio das analises toxicológicas de agentes químicos em modelos experimentais; de estudos moleculares de marcadores de patogenicidade na população; e análise dos cenários epidemiológicos frente às diferentes problemáticas socioambientais, com foco no bem estar e a qualidade de vida da sociedade.




Infraestrutura

central de laboratórios de pesquisa

A Central de Laboratório de Pesquisa em Ciência e Tecnologia Ambiental, localizada no bloco K, possui 417,25 m² e conta com: recepção; sala de preparo de reagentes; salas para professores; sala de reunião; copa; depósitos; toaletes e salas para discentes com acesso a rede wireless. Contamos ainda com 3 salas, no espaço do Herbário, no bloco K, e um laboratório no bloco L.

LAboratórios de pesquisa

Biologia Molecular - DSC_0013

Localizado no Bloco L, o Laboratório de Biologia Molecular possui equipamentos que permitem o desenvolvimento de técnicas de imunoistoquímica, de histomorfometria, de biologia molecular e citogenética. Equipamentos: termocicladores, centrífugas, freezer -80ºC, estufas, espectrofotômetro, geladeiras e freezers, computadores, fotodocumentador, cubas para eletroforese, balanças analíticas, capela de fluxo laminar, banhos-maria, fotomicroscópio, microscópio com câmera. Comporta 8 discentes. Docentes: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen, Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira e Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão e o Técnico Esp. Wilson Aparecido Orcini.

Síntese de novos materiais e caracterizações. Equipamentos: balança analítica, estufa de secagem, agitador magnético, pHmetro, computadores, evaporador rotativo, capela de fluxo laminar, geladeira, agitador Vortex, (auxílios CNPq, FAPESP). Comporta 5 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita e Prof. Dr. Angelo Ricardo Favaro Pipi.
Realizam avaliações biométricas, conteúdo de biomassa energética, preparo inicial de materiais e processos em conjunto com o laboratório de derivados de cana-de-açúcar e produção de etanol. Equipamentos: estufa de secagem, balança de grande porte, ferramentas para análises biométricas, vidraria e reagentes (auxílio projetos privados). Comporta 4 discentes. Docentes: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa.
Realiza tratamento de efluentes e resíduos sólidos agroindustriais, industriais e urbanos. Valorização de resíduos e novos produtos aplicados ao controle de poluição ambiental. Equipamentos: forno, Mufla, sistema filtração a vácuo, agitadores, pHmetro, (auxílios CNPq). Comporta 6 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves e Prof.ª e Dra. Beatriz Antoniassi Tavares.
Realiza estudos sobre ecologia trófica de vertebrados. Equipamentos: estufa para análise de amostras de dieta (Auxílio FAPESP). Comporta 5 discentes. Docente: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa.


Realiza isolamento, purificação, e manutenção de culturas fúngicas e bacterianas patogênicos a culturas de importância econômica, ou de ocorrência natural no meio ambiente. Comporta 3 discentes. Docente: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior.

Controle de Poluição - DSC_0076

Realiza seleção, preparo e montagem de material biológico na forma de exsicatas. Desenvolve pesquisas relacionadas à genética da conservação, uso de lodo para a produção de mudas e educação ambiental. Comporta 4 discentes. Docentes: Prof. Dr. Marcos V. B. Siqueira e Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo.

Realiza manipulação, desenvolvimento e manutenção de culturas fúngicas de interesse alimentar, patogênico e/ou contaminantes de ocorrência na fungicultura. Comporta 3 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade.

Realiza preparo de lâminas histológicas com tecidos de origem animal e vegetal. Equipamentos: 01 capela de exaustão de gases, um micrótomo da marca Leica, 01 estufa de secagem de materiais, 01 estufa para inclusão de tecidos (adquirida com auxílio FAPESP), 01 destilador (adquirido com auxílio FAPESP), 01 refrigerador, vidrarias, material cirúrgico, 01 microscópio óptico, 01 autoclave. Comporta 4 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandes e a Técnica Esp. Maira Cristina Rondina Couto.

Realiza pesquisas em ecologia, taxonomia, biodiversidade e estudos de impacto ambiental utilizando a fauna parasitária. Necropsia de peixes, análise em lupas para coleta dos parasitos e em microscópio para identificação, confecção de lâminas, morfometria, desenhos taxonômicos e aplicação de índices ecológicos em softwares específicos. Comporta 7 discentes. Docentes: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo e Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski.

Está localizado no bloco K, possui capacidade para 10 discentes, funciona em tempo integral e conta com a infraestrutura necessária para o funcionamento de um laboratório. É utilizado como apoio ao ensino e à pesquisa e possui, Computadores desktop, softwares em Geoprocessamento em SIG. Tem como responsável o Prof. Dr. Anderson A. C. Sartori. 

Realiza pesquisas sobre sistemática e biodiversidade de invertebrados. Equipamentos: 03 estereomicroscópios, estufa, estativa e equipamento fotográfico, material de dissecção, Dremel, vidrarias, lupa de bancada, computadores e impressora (auxílio FAPESP). Comporta 6 discentes. Docentes: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana.

Realiza técnicas moleculares como imunoistoquímica e avaliação de micronúcleos. Equipamentos: 01 vaporeira, 01 estufa de secagem de materiais, 01 balança analítica, 01 placa aquecedora, 01 micro-ondas, 01 banho-maria, vidraria. Comporta 2 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf e a Técnica Esp. Maira Cristina Rondina Couto.

Técnicas Moleculares - DSC_0060

Realiza estudos de toxicologia experimental e ambiental. Equipamentos: um microscópio óptico, 01 microscópio esteroscópico, vidrarias, bancada para cirurgia e dissecção de animais de experimentação, balança analítica. Comporta 4 discentes. Docentes: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf, Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez e a Técnica Esp. Maira Rondina Couto.

Informações adicionais

Além da Infraestrutura de laboratórios próprios, há outras dependências vinculadas ao Programa. São elas os laboratórios de:

A Biblioteca Central Cor Jesu é órgão suplementar da USC e visa atender à comunidade universitária e externa. Passou por reforma geral em 2013 visando à melhoria de suas instalações e ampliação do seu acervo. Suplementa as atividades de ensino, pesquisa, extensão e prestação de serviços. Possui dois pavimentos totalizando 3.616,54 m2 e conta com vasto acervo de livros (80.118 títulos e 133.250 exemplares), livros braille (131 títulos e 428 exemplares), periódicos (1.895 títulos, entre correntes e interrompidos), trabalhos acadêmicos (3.397 títulos e 3.846 exemplares), partituras (4.032 títulos e 4.435 exemplares), e material audiovisual (8.422 títulos e 9.487 exemplares).

Os serviços prestados aos usuários visam facilitar o acesso ao material disponível, através do Empréstimo Domiciliar, Acesso à Internet, Consulta e Renovação on-line, Empréstimo entre Bibliotecas (realizado com a rede USP e a UNESP de Bauru), Comutação Bibliográfica COMUT, Guia para Normalização de Trabalhos Acadêmicos disponíveis para download no site da Biblioteca, orientação para a normalização dos trabalhos acadêmicos da Universidade segundo as normas da ABNT ou Vancouver, confecção da Ficha catalográfica para trabalhos acadêmicos, Disseminação Seletiva da Informação DSI (relatórios sobre as aquisições mais recentes da Biblioteca), Biblioteca Digital TEDE de Teses e Dissertações, solicitação de ISBN e ISSN, apoio FAPESP e atividades de orientação e acesso às bases de dados por meio do Portal CAPES.

A Biblioteca comporta o Núcleo de Informação sobre Deficiência de Bauru (NIDB), cuja coordenação realiza um serviço específico aos estudantes e docentes, tais como identificação prévia das necessidades no processo seletivo, reuniões interdisciplinares com os professores, coordenadores e diretores dos Centros, com a finalidade de planejar ações efetivas e adequadas ao processo de ensino e aprendizagem no decorrer do curso.

A USC conta com recursos humanos e materiais para esse atendimento especializado, como ambientes acessíveis para locomoção independente e autônoma, acervo de recursos audiovisuais, tais como audiolivros, lupas eletrônicas, computadores disponíveis com softwares adequados para deficientes visuais, livros, impressora e copiadora em Braille, além de profissionais especializados em tradução e interpretação da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e ainda programa de monitoria para adaptação de materiais e acompanhamento para estudo.

Além de sua infraestrutura ser compatível com a utilização segura de portadores, a USC atende a legislação vigente na oferta obrigatória de LIBRAS para os cursos de Licenciaturas e, de forma optativa, para os demais cursos. Em atendimento à Política de Educação Especial (1996-Aviso Circular nº 277/MEC/GM), que estabelece referenciais de acessibilidade necessários para a organização de práticas inclusivas na educação superior, a USC tem considerado vários aspectos de acessibilidade.

Além disso, no atendimento aos estudantes com necessidades especiais, a USC considera atividades diferenciadas através do Atendimento Educacional Especializado (AEE) que, na IES, se concretiza pela atuação do NIDB. Sendo assim, a USC prioriza os vários aspectos da acessibilidade considerada em vários aspectos, como a Acessibilidade Atitudinal, que se refere à percepção do outro, sem preconceitos, estigmas, estereótipos e discriminações; a Acessibilidade Arquitetônica ou Física, relacionada à eliminação das barreiras ambientais físicas nos edifícios, nos espaços e equipamentos universitários; e a Acessibilidade Metodológica ou Pedagógica, que se concretiza pela ausência de barreiras nas metodologias e técnicas de estudo.

Dessa forma, é possível notar a acessibilidade metodológica nas salas de aula, uma vez que os professores promovem processos de diversificação curricular, flexibilização do tempo e utilização de recursos para viabilizar a aprendizagem de estudantes com deficiência.


Possui Registro CIAE 01.0011.2013 e está distribuído em 2 salas para manutenção de coelhos, equipadas com 48 gaiolas suspensas; 2 salas de cirurgia equipadas com bancada central de granito, ar condicionado, refletor cirúrgico, balança digital, motor cirúrgico; um setor para criação e manutenção de ratos e camundongos; 4 salas para alojamento dos animais, equipadas com timer, ar condicionado e sistema de exaustão; 1 sala de tratamento equipada com 2 bancadas e balanças digitais; 1 sala de armazenamento de maravalha e ração; 1 secretaria.


Possui prateleiras de aço galvanizado, cobertura, e sistema de irrigação automatizado. Destina-se a atividade de cultivo de fungos comestíveis e medicinais por meio da simulação de climas e condições de cultivo. Comporta 4 discentes.


Localizada próxima ao campus da USC (12 km), conta com laboratórios de: máquinas e implementos agrícolas, granja, cocho, tanques de piscicultura, estufas de propagação vegetal, abatedouro, câmara frigorífica, ordenho mecanizado, chiqueiro, além de área disponível para a instalação de ensaios de campo. Possui maquinário completo. Comporta 60 discentes.

Laboratório dimensionado para caracterização de resíduos agroindustriais, ensaios microbiológicos e de tratamento de água. Comporta 25 discentes. 


Realiza exames de culturas bacteriológicas (sangue, urina, secreções diversas), testes de sensibilidade bacteriana aos antibióticos, possui acervo bacterioteca para pesquisas clínicas e experimentais, balança semi-analítica, refrigerador de 250L, autoclave, estufa bacteriológica e diversas vidrarias específicas. Comporta 6 discentes.

Realiza ensaios experimentais de produção de etanol. Dispõe de uma mini destilaria completa, automatizada e configurada para realizar operações de tratamento de matéria-prima e reprodução de processo industrialização de bioenergia. Comporta 25 discentes.


Composto por 14 laboratórios de computação equipados com 390 computadores. Possui redes de computadores ethernet cat6, utilizando como plataformas os sistemas operacionais de rede família Windows Server, Linux e Unix. As estações desktops usam o sistema operacional Windows 7 Professional.

Desempenham importante papel na documentação de espécies animais e ensino por meio de estudos do material depositado, exposições, demonstrações em aula ou treinamento. Comporta 2 discentes.
Localizada na Central de Laboratórios de Pesquisa em Ciências e Tecnologia Ambiental, é equipada com rede Wireless, mesas e cadeiras provendo exclusivamente aos estudantes que desenvolvem projetos na central de laboratórios, o acesso à internet. Comporta 06 discentes.



Corpo Docente

AngelaMitie_ALTA

Prof.ª Dra. Ângela Mitie Otta Kinoshita - Doutora em Física aplicada à medicina e biologia (USP)

Qualificação: Bacharel em Física pelo Instituto de Física e Química de São Carlos, USP, Mestre e Doutor em Ciências, na área de concentração Física Aplicada à Medicina e Biologia, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - USP, Pós Doutorado na mesma área. Atua em temas como Biofísica, Novos Materiais de interesse na área da saúde e ambiental. Especialista em aplicações biológicas da Ressonância do Spin Eletrônico. Professor da Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências da Saúde e nos Programas de Pós-Graduação em Biologia Oral (mestrado e doutorado), Ciência e Tecnologia Ambiental.

Área de atuação: Nanopartículas metálicas e novos materiais. Aplicações da ressonância do Spin Eletrônico e outros métodos físicos em estudos relacionados ao ambiente.

Docente na Instituição desde 2003
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: angela.kinoshita@usc.br


 

 
AngeloRicardo

Prof. Dr. Angelo Ricardo Fávaro Pipi – Doutor em Química (USP - Ribeirão Preto)

Qualificação: Licenciado em Química e Bacharelado em Química com atribuições tecnológicas pelo Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos. Mestre em Ciência dos Materiais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP e doutor em Ciências pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - USP. Pós-Doutorado na Engenharia Química pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Atua em temas como tratamento de água através de processos eletroquímicos oxidativos avançados, fotodegradação empregando TiO2 e remoção de metais em meio aquoso por processos adsortivos através de novos materiais. Professor Doutor da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração.

Área de atuação: Tratamento de efluentes por Processos Eletroquímicos Oxidativos Avançados (PEOA), fotoquímicos empregando TiO2 e nanotubos de TiO2 e remoção de metais pesados em águas empregando processos adsortivos.

Docente na Instituição desde 2015
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: angelo.pipi@usc.br 

 

 
 BeatrizAntoniassi_ALTA

Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares – Doutora em Ciência e Tecnologia de Materiais (UNESP-Bauru)

Qualificação: Licenciada em Química pela Universidade do Sagrado Coração, Mestre e Doutora em Ciência e Tecnologia dos Materiais, pela Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista - UNESP. Atua em temas como Materiais, Sustentabilidade, Reaproveitamento de Resíduos e Educação Ambiental na área de ciência e tecnologia ambiental. Professora da Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas e no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (Mestrado).

Área de atuação: Controle de poluição: Baterias de íon-lítio.

Docente na Instituição desde 2008
Docente permanente no programa desde 2017

E-mail: beatriz.tavares@usc.br

 
 
loguinho_usc2

Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa – Doutor em Microbiologia Agropecuária (UNESP - Jaboticabal)

Qualificação: Graduado em Tecnologia em Biocombustíveis na Faculdade de Tecnologia de Jaboticabal (2010). Especialização em Gestão de Tecnologia Industrial Sucroenergética (pós-graduação Lato sensu - Master Technology Administration) pela Universidade Estadual de São Carlos (2013). Mestrado (2013) e Doutorado (2015) em Microbiologia Agropecuária pela FCAV - UNESP. tualmente é Professor Doutor da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração. Tem experiência na área de Produção de açúcar e etanol, tratamento de caldo, biomassas e bioenergia, produção de cachaça.

Área de atuação: Biomassas, Bioenergia e Produção de Açúcar e Etanol.

Docente na Instituição desde 2015
Docente permanente no programa desde 2016

E-mail: gustavo.costa@usc.br

 
 MarciaRodrigues_ALTA

Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves – Doutora em Engenharia Química (USP)

Qualificação: Qualificação: Doutora em Engenharia Química (2008) pelo Departamento de Engenharia Química, Universidade de São Paulo.

Área de atuação: Aproveitamento de resíduos industriais e agrícolas;  tratamento de efluentes industriais; controle de Poluição.

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: marcia.chaves@usc.br


 
 
 MeireCristina_ALTA

Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade – Doutora em Agronomia (Energia na Agricultura - UNESP)

Qualificação: Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2000), Graduada em Bacharelado em Engenharia Agronômica pela Universidade do Sagrado Coração (2016), Mestre em Agronomia (Área de Concentração: Sistemas de Produção) pela Universidade Estadual Paulista (2003) e Doutora em Agronomia (Área de Concentração: Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista (2007). Pós-Doutorado em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista (2014). Tem experiência na área Agronômica, com ênfase em Microbiologia, atuando principalmente na temática de aproveitamento de resíduos para o cultivo de fungos comestíveis e medicinais. Atualmente trabalha na Universidade do Sagrado Coração (USC) como docente atuando nas disciplinas de Microbiologia; Legislação Rural; Uso, manejo e conservação de solo e água; Plantas daninhas e métodos de controle; Forragicultura e pastagens e Zootecnia para o curso de graduação em Engenharia Agronômica e também como docente do corpo permanente da pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental. Professora permanente do curso de pós-graduação em Agronomia (Área de concentração: Energia na Agricultura) na UNESP- Campus Botucatu-SP.

Área de atuação: Inovações tecnológicas sobre o cultivo de cogumelos comestíveis.

Docente na Instituição desde 2013
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: meire.andrade@usc.br

 
 
 RaulUribe_ALTA

Prof. Dr. Raúl Andres Martinez Uribe – Doutor em Agronomia (Irrigação e Drenagem - UNESP)

Qualificação: Doutor em Agronomia (2009) pela Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Área de atuação: Bioenergia, Biomassas e Produção de Etanol.

Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: raul.uribe@usc.br

 
 ThomazFigueiredo_ALTA

Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo – Doutor em Agricultura (UNESP)

Qualificação: Graduado em Engenharia Agronomica pela Universidade do Oeste Paulista em Presidente Prudente (1993), Mestre em Agronomia (Área de Concentração: Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista (2006) e Doutor em Agronomia (Área de Concentração: Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista (2010). Pós-Doutorado em Agronomia (area de concentração Irrigação) pela Universidade Estadual Paulista (2012). Tem experiência na área Agronômica, com ênfase em fertilidade do solo, adubação e nutrição mineral de plantas. Atualmente trabalha na Universidade do Sagrado Coração (USC) como docente atuando nas disciplinas de Fertilidade do solo, mecanização agricola, silvicultura, defensivos agricolas, maquinas agricolas, adubação e nutrição mineral de plantas e Manejo de Bacias hidrográficas para o curso de graduação em Engenharia Agronômica e engenharia ambiental também como docente do corpo permanente da pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Área de atuação: Aproveitamento de resíduos orgânicos no processo de compostagem.

Docente na Instituição desde 2014
Docente permanente no programa desde 2014

E-mail: thomaz.lobo@usc.br

 
 

AndersonAntonio

Prof. Dr. Anderson Antônio da Conceição Sartori – Doutor em Agronomia (Irrigação e Drenagem – UNESP - Botucatu)

Qualificação: Graduado em Agronomia pela Universidade Federal da Grande Dourados (2007). Mestrado em Agronomia - Energia na Agricultura, pela Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP-Botucatu-SP (2010). Especialização em Georreferenciamento de Imóveis Rurais e Urbano pós-graduação Lato sensu - pela Fundação Educacional de Ituverava, FEI (2012). Doutorado em Agronomia - Irrigação e Drenagem pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agronômicas (2014), com período de estágio no exterior Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - (CRA) Bari-Itália . Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Geotecnologias NEPGeo. Tem experiência na área de Agronômica e Ambiental, com ênfase em Geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Sistema de Informação Geográfica - SIG, Sensoriamento Remoto, Geoestatística e GPS. Atualmente trabalho na Universidade do Sagrado Coração (USC) como docente atuando nas disciplinas de Solos, Geoprocessamento, Planejamento Ambiental, Avaliação de Impactos Ambientais para diferentes cursos de graduação e também como docente do corpo permanente da pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Área de atuação: Geoprocessamento aplicado no planejamento e manejo de recursos naturais.

Docente na Instituição desde 2015
Docente permanente no programa desde 2016

E-mail: anderson.sartori@usc.br

 
 
 CarlaGheler_ALTA

Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa – Doutora em Ecologia Aplicada (USP)

Qualificação: Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Rio Claro, SP; Mestre em Recursos Florestais pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo; Doutora em Ecologia Aplicada pela Universidade de São Paulo. Pós-Doutorado em Ecologia pela Universidade de São Paulo. Atua em temas como Biologia da conservação, Ecologia animal, Ecologia aplicada e Manejo de Fauna. Professora na Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências da Saúde e no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental.

Área de atuação: Ecologia aplicada, Ecologia de agroecossistemas e Manejo de fauna.

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: carla.costa@usc.br

 
 
 MarcosBohrer_ALTA

Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira – Doutor em Ecologia Aplicada (USP)

Qualificação: Bacharel/Licenciado em Engenharia Biotecnológica pela Escola Superior Agrária de Bragança (Portugal), mestrado/doutorado em Ecologia Aplicada na ESALQ - Universidade de São Paulo (2008). Realizou doutorado-sanduíche na Universidade de Hohenheim (Alemanha). Pós-Doutorado na APTA - Polo Centro Sul. Tem experiência na área de Genética e Genômica Populacional de Plantas, atuando nos seguintes temas: Genética e Genômica de populações, Marcadores Moleculares, Ecologia Aplicada em Agroecossistemas, entre outros. Coordenador do Grupo de Ecologia Vegetal Aplicada (GEVA), Vice-diretor científico da Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos. Docente do Centro de Exatas e Sociais Aplicadas e do Programa de Mestrado de Ciência e Tecnologia Ambiental da Universidade do Sagrado Coração.

Área de atuação: Ecologia Vegetal Aplicada.

Docente na Instituição desde 2014
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: marcos.siqueira@usc.br

 
 
 Rodney_ALTA

Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo – Doutor em Ciências Veterinárias (UFRRJ)

Qualificação: Graduado em Licenciatura em Ciências Agrícolas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2005), Mestre em Ciências (Área de Concentração: Parasitologia Veterinária) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2006) e Doutor em Ciências (Área de Concentração: Parasitologia Veterinária). Pós-doutorado financiado pela FAPESP no Instituto de Biociências, Departamento de Parasitologia da UNESP de Botucatu - SP. Atualmente trabalha na Universidade do Sagrado Coração (USC) como docente atuando nas disciplinas de Avaliação de Impacto Ambiental, Ciência do Meio Ambiente, Gestão Ambiental, Entomologia Agrícola e Parasitologia. Atualmente é professor permanente no Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) do IBB / UNESP - Botucatu - São Paulo e tem experiência nas áreas de Biodiversidade, Ecologia e Taxonomia de parasitos de peixes e estudos envolvendo microparasitos de organismos aquáticos.

Área de atuação: Diagnóstico morfológico e as principais ferramentas utilizadas na identificação de espécies de Mixozoários parasitos de peixe de águas interiores..

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: rodney.azevedo@usc.br

 
 
TadeuAntonio

Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior – Doutor em Agronomia (Proteção de Plantas - UNESP - Botucatu)

Qualificação: Engenheiro Agrônomo pela Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), UNESP, Mestre e Doutor em Agronomia na área de concentração em Proteção de Plantas pela mesma Instituição. Atua em temas como Fitopatologia, Proteção de Plantas e Ecologia e Diversidade de Microrganismos. Professor da Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas e no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental. Também é Professor Colaborador junto ao Programa de Pós-Graduação em Proteção de Plantas da FCA/UNESP.

Área de atuação: Microbiologia / Proteção de Plantas.

Docente na Instituição desde 2015
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: tadeu.junior@usc.br

 
 
 VanessaDoro_ALTA

Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski - Doutora em Ciências Veterinárias (UFRRJ)

Qualificação: Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2003), mestre em Ciências (Área de concentração: Parasitologia) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2005) e doutora em Ciências (Área de concentração: Parasitologia) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2009). Tem experiência na área de Ciências, com ênfase em Parasitologia Animal e Ecologia de Comunidades, atuando principalmente nos seguintes temas: biodiversidade e taxonomia de parasitos de peixes. Pós-doutorado financiado pela FAPESP no Instituto de Biociências, Departamento de Parasitologia da UNESP de Botucatu - SP. Atualmente trabalha na Universidade do Sagrado Coração (USC) como docente atuando nas disciplinas de Helminthologia e Protozoários, Parasitologia, Epidemiologia e Histologia e Embriologia para diferentes cursos de graduação e também como docente do corpo permanente da pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental. Professora permanente do curso de pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) na Unesp- campus Botucatu.

Área de atuação: Biodiversidade dos metazoários parasitos de peixes de águas interiores.

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: vanessa.kozlowiski@usc.br

 

 
 WillianRicardo_ALTA

Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana – Doutor em Ciências Biológicas (Zoologia - USP)

Qualificação: Graduado em Ciências Biológicas Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Uberlândia e mestre em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Doutor em Ciências Biológicas (Zoologia) com pós-doutorado no Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. Atua na área de Zoologia, principalmente nos temas de Taxonomia, Sistemática, Filogenia, Paleontologia e Morfologia de Crustacea com ênfase nos caranguejos Brachyura. Também atua nas linhas de Desenvolvimento larval e processos heterocrônicos em Decapoda. Professor permanente do programa de pós-graduação em Zoologia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP (Botucatu) e colaborador do programa de pós-graduação em Bioprospecção Molecular pela Universidade Regional do Cariri (URCA). Presidente da Sociedade Brasileira de Carcinologia (SBC). Professor da Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências da Saúde e no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (mestrado).

Área de atuação: Biodiversidade e sistemática de Decapoda (Crustacea).

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: willian.santana@usc.br

 

CamilaBuzalaf

Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf - Doutora em Imunologia Básica e Aplicada (USP)

Qualificação: Graduada em Ciências Biológicas - Modalidade Médica pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" UNESP de Botucatu (2001), Mestrado em Imunologia Básica e Aplicada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (2004) e Doutorado pelo mesmo Programa, com estágio sanduíche na University of Michigan, Ann Arbor, MI, EUA (2008). Pós-doutora pela Faculdade de Odontologia de Bauru - Universidade de São Paulo. Atualmente é Professora Doutor da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração. Tem experiência na área de Toxicologia e Imunologia, com ênfase no impacto de contaminantes ambientais na saúde e nos mecanismos celulares e moleculares envolvidos.

Área de atuação: Toxicologia e Imunotoxicologia de contaminantes ambientais.

Docente na Instituição desde 2014
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: camila.buzalaf@usc.br

 
 
CarlaDalBianco_ALTA

Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez – Doutora em Biologia Celular e Estrutural

Qualificação: Bacharel em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências de Botucatu, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Mestre e Doutor em Biologia Celular e Estrutural, na área de concentração Biologia Celular, pelo Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Pós-Doutorado junto ao programa de Biologia Geral e Aplicada, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP. Atua em temas como toxicologia, toxicologia da reprodução e do desenvolvimento, programação fetal e desreguladores endócrinos. Professor da Universidade do Sagrado Coração - USC no Centro de Ciências da Saúde e no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (mestrado).

Área de atuação: Toxicologia Experimental, Biologia e Toxicologia da Reprodução.

Docente na Instituição desde 2015
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: carla.fernandez@usc.br

 
 
GeisianyMaria

Prof.ª Dra. Geisiany Maria de Queiroz Fernandes – Doutora em Ciências Farmacêuticas (Ênfase: Microbiologia e Biotecnologia - UNESP)

Qualificação: Graduada em Biomedicina pela Universidade de Franca- UNIFRAN, com habilitação em Análises Clínicas e Microbiologia. Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara- UNESP- com ênfase em Microbiologia. Doutora em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara- UNESP- com ênfase em Biotecnologia. Atualmente desenvolve Pós-doutorado pela Faculdade de Ciências de Bauru-UNESP, atuando no desenvolvimento de biossensores enzimáticos. Possui experiência em Microbiologia Aplicada e no desenvolvimento de processos biotecnológicos para obtenção de enzimas, utilizando resíduos agroindustriais. Professora auxiliar II do Centro da Saúde e Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (Mestrado) da Universidade do Sagrado Coração- USC.

Área de atuação: Microbiologia e Biotecnologia Aplicada.

Docente na Instituição desde 2013
Docente permanente no programa desde 2016

E-mail: geiziany.queiroz@usc.br

 

 
 LucasTrevizani_ALTA

Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen – Doutor em Morfologia Genética (UNIFESP)

Qualificação: Profissional: Graduado em Biomedicina pela Universidade de Marília, (2007), Mestrado em Biologia Oral pela Universidade Sagrado Coração (2009) e Doutorado em Morfologia Genética pela Universidade Federal de São Paulo (2012). Atualmente é Professor Doutor da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração. Tem experiência na área de Genética Humana, com ênfase em Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: Doença de Alzheimer e Helicobacter pylori.

Área de atuação: A influência dos Aspectos Moleculares do Helicobacter pylori na sociedade e em pacientes dispépticos.

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: lucas.rasmussen@usc.br

 
 
Spencer_ALTA

Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão - Doutor em Morfologia Genética (UNIFESP)

Qualificação: Livre docente em Genética Humana e Médica (2010) pela Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM).

Área de atuação: Implicações entre ambiente e fatores genético-moleculares do Helicobacter pylori na qualidade de vida de pacientes com doenças pépticas.

Docente na Instituição desde 2012
Docente permanente no programa desde 2015

E-mail: spencer.payao@usc.br

 




Corpo Discente

 BeatrizLourenço

Beatriz Lourenço Manzato
Formação: Gestão Ambiental
Projeto: Seleção de basidiomicotas de uso potencial na destoca biológica de Eucalyptus spp
Orientador: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior

  

 
BrunaLeticia

Bruna Letícia Martins
Formação: Biomedicina
Projeto: Efeito anti-biofilme de β-glucanase fúngica obtida a partir de efluentes agroindustriais
Orientador: Prof.ª Dra. Geisiany Maria de Queiroz Fernandes

  

 
CarolineLourenço

Caroline Lourenço Manzato
Formação: Gestão Ambiental
Projeto: Estimativa de biomassa e estoque de carbono na cultura do eucalipto com uso de dado óptico de sensoriamento remoto
Orientador: Prof. Dr. Anderson Antonio da Conceição Sartori

  

 
DeboraCaroline

Débora Caroline Negrelli
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Estudo Qualitativo e Quantitativo dos Metazoários Parasitos de Três Espécies de Peixes Siluriformes Coletados no Rio Jacaré-Pepira, Estado de São Paulo, Brasil.
Orientador: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

  

 
ElderBruno

Elder Bruno Fontes
Formação: Química
Projeto: Preparação, caracterização de micropartículas de fibroína/hidroxiapatita como biomaterial para engenharia tecidual óssea.
Orientador: Prof.ª. Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

  

 
FernandaSilva

Fernanda Silva Lima
Formação: Administração, Especialização em MBA Marketing e Vendas e MBA em Gestão de Negócios
Projeto: Análise econômica da produção sustentável do cogumelo comestível shiitake nos padrões da certificação orgânica.
Orientador: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade

  

 
FreddiBardella

Freddi Bardela De Souza
Formação: Medicina Veterinária e Especialização em Residência Médica
Projeto: Correlação entre os polimorfismos de receptores hormonais, das citocinas e o ambiente no câncer de mama em cadelas.
Orientador: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

  

 
LeonardodeAlmeida

Leonardo de Almeida Stringaci
Formação: Tecnologia em Gastronomia e Especialização em Gestão de Negócios em Serviços de Alimentação – Foco em Resultados
Projeto: Avaliação físico-química e sensorial de aguardente produzida a partir de sorgo sacarino e envelhecida em barris de carvalho europeu e amburana.
Orientador: Prof. Dr. Raul Andres Martinez Uribe

 

 
LeticiadeCassia

Letícia De Cassia Gilli
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Ecologia Trófica e área de uso de Onças-pardas em paisagens agrícolas do estado de São Paulo.
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

  

 
LilianCamargo

Lilian Camargo Consalter
Formação: Ciências Biológicas e Especialização em Pericia Auditoria e Gestão Ambiental
Projeto:Ecologia de mamíferos em uma paisagem agrícola no estado de São Paulo
Orientador: Prof. Dr. William Ricardo Amâncio Santana

  

 
 LucianaSilvaGuimaraes

Luciana Silva Guimarães
Formação: Engenharia Química
Projeto: Oxidação do corante reativo azul 4por processos eletroquímicos oxidativos avançados foto-assistidos utilizando ânodos eletroquimicamente estáveis
Orientador: Prof. Dr. Angelo Ricardo Favaro Pipi

  

 
MarcelaGrandinetti

Marcela Grandinetti Marques
Formação: Engenharia Química
Projeto: Avaliação técnico-econômica do reuso de água em indústria metal-mecânica
Orientador: Prof.ª. Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves

  

 
MariaIara

Maria Iara Fonseca Alonso
Formação: Turismo, Tecnologia em Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Especialização em Educação Ambiental
Projeto: Análise epistemológica dos educadores infantis e desenvolvimento de material didático para educação ambiental em ambientes não formais
Orientador: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

  

 
MuriloRonchesel

Murilo Ronchesel
Formação: Comunicação Social e Especialização em Linguagem, Cultura e Mídia
Projeto: Marketing Verde: um estudo sobre a certificação orgânica dos cogumelos comestíveis
Orientador: Prof. Dr. Meire Cristina Nogueira de Andrade

  

 
RodrigoAgostinho

Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça
Formação: Direito e MBA em Gestão Estratégica
Projeto: Lacunas na conservação do Cerrado Paulista
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

  

 
RodrigoSeveriano

Rodrigo Severiano Rocha
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Estudo da morfologia e análise molecular dos parasitos de Geophagus proximus CASTELNAU, 1855 (CICHLIDAE, PERCIFORMES) provenientes do reservatório de Ibitinga, médio Rio Tietê, São Paulo, Brasil.
Orientador: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

  

 
SandroCiaramello

Sandro Ciaramello
Formação: Engenharia Elétrica e Especialização em Engenharia de Produção
Projeto: Potencial Energético e Custos de Produção de Sete Biomassas
Orientador: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

  

 
ThaissaDuarte

Thaissa Duarte Serrano
Formação: Biomedicina
Projeto: Estudo taxonômico e molecular dos nematoides anisaquídeos coletados em três espécies de peixes usados no preparo de comida japonesa
Orientador: Prof.ª. Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

  

 
VanessaFernanda

Vanessa Fernanda Stati
Formação: Biomedicina
Projeto: Otimização da produção de celulase por fermentação líquida empregando resíduos agroindustriais
Orientador: Prof.ª Dra. Geisiany Maria de Queiroz Fernandes

  

 
WanderCavalcante

Wander Cavalcante Garcia
Formação: Administração, Ciências Contábeis, Especialização em Gestão Empresarial e Especialização em Planejamento e Gestão Tributária
Projeto: Análise da viabilidade do uso da destoca biológica em áreas de reflorestamentos de Eucalyptus spp, no interior do Estado de São Paulo: um estudo de caso
Orientador: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior

  

 

Adriano Santiago Munhoz
Formação: Ciências com Habilitação em Biologia, Licenciatura em Matemática e Especialização em Ensino de Biologia.
Projeto: O ensino de evolução no ensino médio: dificuldades e desafios.
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

Bruno Henrique Serotini
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Efeito da Exposição Gestacional ao TCDD ao desenvolvimento do diabetes autoimune tipo I na prole
Orientador: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

Camila Do Carmo Sanchez
Formação: Química
Projeto: Avaliação do potencial citotóxico e imunomodulatório de derivados do metabolismo da dexametasona.
Orientador: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

Claudiane Ribeiro Balan
Formação: Ciências Sociais e Especialização em Planejamento Metodológico Educacional de Políticas Públicas.
Projeto: O mundo do trabalho na perspectiva dos trabalhadores sobre os riscos químicos.
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez

Eduardo Do Valle Lozano
Formação: Engenharia Agronômica
Projeto: Aspectos agroindustriais do cultivo de milho para produção de etanol.
Orientador: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

Eliana Pigozzi Biudes
Formação: Química, Pedagogia e Especialização em Gestão Ambiental Especialização em Planejamento, Implementação e Gestão da EAD – PIGEAD.
Projeto: Estudo da Viabilidade de Resíduos de Cervejaria e Refrigerante na Cultura da Alface.
Especialização em: Planejamento, Implementação e Gestão da EAD - PIGEAD
Orientador: Prof. Dr.Thomaz Figueiredo Lobo

Felipe Freitas Januário
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Análise qualitativa e quantitativa de metazoários parasitos de duas espécies de peixes provenientes dos rios Jacaré-Pepira e Jacaré-Guaçu, pertencentes à bacia do médio Tietê, São Paulo, Brasil.
Orientador: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

Geraldo Ari Gentil Junior
Formação: Tecnologia em Processamento de Dados e Especialização em Segurança em Redes de Computadores
Projeto: Obtenção de Placas de Madeira Plástica a base de PVC Reciclado para uso em Construção Civil
Orientador: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves

Giovanna Andressa Martos
Formação: Tecnologia em Processos Químicos, Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes.
Projeto: Avaliação de Questões Ambientais no ENEN e sua relação com a aprendizagem em Ambientes não Formais.
Orientador: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

Jeniffer De Sousa Bogdanavicius Rodrigues
Formação: Ciências Contábeis e Especialização em Auditoria e Perícia.
Projeto: Viabilidade Econômica na Utilização de Lodo de Esgoto na Substituição da Adubação Química Nitrogenada
Orientador: Prof.ª Dra.Thomaz Figueiredo Lobo


Luan Matheus Marchiori
Formação: Arquitetura e Urbanismo
Projeto: Definição De Área Prioritária Para Alocação De Um Parque Industrial Ecologico: Uma Abordagem Multicriterial
Orientador: Prof. Dr. Anderson Antônio da Conceição Sartori

Michel Augusto Massambani Michelotti
Formação: Engenharia Química
Projeto: Síntese de Nanopartículas de Dióxido de Titânio e uso como Agente Antifúngico
Orientador: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

Odair Jose Machado
Formação: Ciências Biológicas e Especialização em Analises Clinicas.
Projeto: Intoxicação pela Fumonisina B1 em período subcrônico de exposição: correlação entre a presença de lesões proliferativas a quantificação do Antígeno Nuclear de Proliferação Celular - PCNA e a Bromoproteína BRD4
Orientador: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

Rafael Fernandes Swenson
Formação: Ciências Biológicas
Projeto: Ontogenia e diferenciação sexual em Mithracidae (Crustacea: Decapoda: Brachyura)
Orientador: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana

Sebastião de Oliveira
Formação: Administração
Especialização em: Estratégia Empresarial e Empreendedorismo, Logística Empresarial, Controladoria e Finanças, Educação Profissional Integrada à Ed. Básica na Modalidade Jovens e Adultos e Educação a Distância
Projeto: Utilização e viabilidade de um polímero hidroabsorvente na produção de alface americana (Lactuca sativa).
Orientador: Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira

Sidnei Fonseca Guerreiro
Formação: Ciências Econômicas
Projeto: Analise da viabilidade econômica com integração de geotecnologias e o mecanismo de desenvolvimento limpo - MDL: estudo de caso na cultura do Eucalyptus spp
Orientador: Prof. Dr. Anderson Antônio da Conceição Sartori

Suelen da Silva Motta
Formação: Tecnologia em Alimentos
Projeto: Resíduo da Indústria Cervejeira para o cultivo de Pleurotus ostreatus.
Orientador: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade




Coordenação do Programa

Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita
Telefone: (14) 2107-7069
E-mail: angela.kinoshita@usc.br 
DOCENTES TITULARES

Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf
E-mail: camila.buzalaf@usc.br 

Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves
E-mail: marcia.chaves@usc.br 

Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade
E-mail: meire.andrade@usc.br 

Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo
E-mail: rodney.azevedo@usc.br 

Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita
E-mail: angela.kinoshita@usc.br 

DOCENTES SUPLENTES

Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa
E-mail: carla.costa@usc.br 

Prof. Dr. Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira
E-mail: marcos.siqueira@usc.br 

Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão
E-mail: spencer.payao@usc.br 




Estrutura Curricular

MESTRADO

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Lucas T. Rasmussen e William R. A. Santana
Créditos: 4
Carga Horária: 60 h
Ementa:
Discussão dos aspectos pedagógicos e didáticos, reflexões sobre temas de pedagogia na área de Ciências Ambientais, uso diversificado de técnicas de ensino/didática; elaboração de material didático. A disciplina opera paralelamente às disciplinas “Seminários e Princípios Metodológicos da Ciência” e “Redação Científica” nas quais os alunos exercem atividades práticas relacionadas às metodologias didáticas e de apresentação de seminários.
Objetivos:

  • Discutir aspectos pedagógicos e didáticos que fundamentam o processo de ensino/aprendizagem.
  • Conhecer técnicas de ensino e aprendizagem.
  • Realizar atividades práticas de oratória e comportamento em sala de aula.

Bibliografia:

LOWMAN J. Dominando as Técnicas de Ensino. São Paulo: Atlas, 2007. 309p. Gil A C. Didática de Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2006. 283p.
CAMARGO, M. Filosofia do conhecimento e ensino-aprendizagem. Petrópolis: Vozes, 2004.
LARANJEIRA, M. I. Da arte de aprender ao ofício de ensinar: relato, em reflexão, de uma trajetória. Bauru, EdUSC, 2006.
MADEIRA, M.C. Professor universitário Aprimorando o desempenho. São Paulo, Sarvier, 2011.
RIVERO, C. M. L.; GALLO, S. A formação de professores na Sociedade do conhecimento. Bauru: Edusc, 2006.
SEMLER, R.; DIMENSTEIN, G.; COSTA, A. C. G. Escola sem sala de aula. Campinas, SP: Papirus, 2004.
VEIGA, I. P. A. et al. Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas: Papirus, 2000.

Critério de Avaliação: Dinâmica e envolvimento do aluno nas disciplinas de “Seminários e Princípios Metodológicos da Ciência” e “Redação Científica”

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Abordagem dos conceitos e métodos de estatística descritiva e inferência para análise de dados e auxilio na interpretação de artigos científicos.
Sumário dos conteúdos

  • Estatística descritiva
  • Introdução aos conceitos e métodos da inferência estatística
  • Probabilidade e distribuições de probabilidade
  • Testes de hipóteses e intervalo de confiança
  • Testes paramétricos e não paramétricos
  • Correlação e regressão linear
  • Introdução à Análise Multivariada
  • Utilização de softwares para análise estatística de dados.

Bibliografia:
ARANGO, H. G. Bioestatística teórica e computacional. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.
BLAIR, R. C.; TAYLOR, R. A. Bioestatística para ciências da saúde. São Paulo: Person, 2013.
KEAREY, P.; KLEPEIS, K. A.; VINE, F. J. Princípios de bioestatística. Porto Alegre: AMGH Editora, 2014.
LAURENTI, R. et al. Estatísticas de saúde. São Paulo: EPU, 2005.
VIEIRA, S. Introdução à bioestatística. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.
VIEIRA, S. Bioestatística: tópicos avançados. Rio de Janeiro: Campus, 2010.
SOFTWARE RECOMENDADO:
INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ. Software Bioestat 5.0, c2014. Programa gratuito com 210 aplicativos estatísticos, voltados para as áreas das ciências biológicas e médicas.

Critério de Avaliação : Resolução de problemas contextualizados, durante a disciplina

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf, Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues De Morais Chaves, Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo
Créditos: 4
Carga Horária: 60
Ementa:
Conceitos fundamentais em ciência e tecnologia ambiental necessários para que o discente possa atuar de forma interdisciplinar em soluções de problemas associados ao ambiente, à diversidade biológica e ecologia, bem como aos problemas relacionados à saúde humana derivados da interação com o ambiente.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Sistemas ambientais: matéria e energia
  • Ecologia de ecossistemas: interação entre sistemas vivos e inertes
  • Evolução e biodiversidade
  • Ecologia de comunidades
  • População humana
  • Os desafios da urbanização crescente no Brasil e no mundo.
  • Relação sociedade e ambiente.
  • Recursos naturais: suprimento, distribuição e uso
  • Poluição do ar, solo e água: causas e efeitos
  • Mudanças climáticas e biomas
  • Prevenção e controle de poluição ambiental
  • Parâmetros e monitoramento da qualidade da água, solo e ar
  • Métodos biológicos e físico-químicos de tratamento de efluentes
  • Remediação de áreas contaminadas
  • Efeitos dos impactos ambientais na saúde humana
  • Atividades práticas:
  • Percepção ambiental através de estudo de situações reais.
  • Diagnóstico e estratégias ambientais.

Bibliografia:

ALMEIDA, J. R. Ciências Ambientais. 2. ed. Rio de Janeiro: Thex, 2008.
ARTO, I.; DIETZENBACHE, E. Drivers of the growth in global greenhouse gas emissions. Environmental Science e Technology, Easton, v. 48, n. 10, p. 53885394, may. 2014.
BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.
CHIVIAN, E.; BERNSTEIN, A. Sustaining life: how human health depends on biodiversity. 3rd ed. NewYork: Oxford University Press, 2008.
FRIEDLAND, A.; RELYEA, R.; COURARD-HAURI, D. Environmental science: foundations and applications. [s.l.]: W. H. Freeman and Company Publishers, 2012.
GOPAL, B; JUNK, W. J.; DAVIS, J. A. Biodiversity in wetlands: assessment, function and conservation. Leiden: Backhuys Publishers, 2000.
LORA, E. E. S. Prevenção e controle da poluição nos setores energético, industrial e de transporte. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2002.
LOSERT, S. et al. Human exposure to conventional and nanoparticle-containing sprays: a critical review. Environmental Science e Technology, Easton, v. 48, n. 10, p. 53665378, may. 2014.
MANAHAN, E. S. Environmental science and technology. Boca Raton: CRC Press, 1997.
PELLIN, A. et al. Avaliação ambiental estratégica no Brasil: considerações a respeito do papel das agências multilaterais de desenvolvimento. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 27-36, jan./mar. 2011.
QUEIROZ, J. M. Desenvolvimento econômico, inovação e meio ambiente: a busca por uma convergência no debate. Caderno do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 6, n. 9, p. 143-170, jul./dez. 2011.
SHENDEROV, B. A.; MIDTVEDT, T. Epigenomic programing: a future way to health?. Microbial Ecology in Health Disease, New York, v. 25, p. 1-8, 2014.
SUN, H. J. et al. Arsenic and selenium toxicity and their interactive effects in humans. Environment International, Oxford, v. 19, 69C, p. 148-158, aug. 2014.
THIBODEAUX, L. J. Environmental chemodynamics: movement of chemicals in air, water, and soil. 2. ed. New York: Wiley-Interscience, 1996.
PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
AGRICULTURE, ECOSYSTEMS E ENVIRONMENT. Amsterdam; New York: Elsevier, c1983-. ISSN: 0167-8809.
BIODIVERSITY AND CONSERVATION. London: Chapman e Hall, c1992-. Quinzenal. ISSN: 0960-3115.
BIOMASS AND BIOENERGY. Oxford: Pergamon, c1991-. Mensal. ISSN 0961-9534.
ECOLOGY. Washington: Ecological Society of America, 2000-. Mensal. ISSN: 0012-9658.
ENVIRONMENTAL AND MOLECULAR MUTAGENESIS. New York: Liss, c1987-. ISSN: 1098-2280.
ECOTOXICOLOGY. London : Chapman e Hall, 1992-. ISSN: 0963-9292.
ENVIRONMENTAL SCIENCE E TECHNOLOGY. Easton: American Chemical Society, c1967-. Bimensal. ISSN: 0013-936X.
JOURNAL OF ENVIRONMENTAL MANAGEMENT. London: Academic Press, 1973-. Mensal. ISSN: 0301-4797.
SCIENCE OF THE TOTAL ENVIRONMENT. Amsterdam: Elsevier, 1972-. ISSN: 0048-9697.

Critérios de avaliação: Os alunos serão avaliados nos encontros por sua postura e participação no tema e ao final de cada módulo será aplicado um questionário de avaliação dos conteúdos trabalhados.

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira De Andrade, Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Bases metodológicas da ciência; Apresentação didática e discussão dos projetos de pesquisa. Reuniões de discussões e questionamentos envolvendo discentes e docentes do programa. Análise qualitativa do desenvolvimento e andamento dos projetos mediante verificação dos itens alcançados segundo o cronograma de atividades de modo a adequar e garantir o pleno desenvolvimento dos projetos no programa de Pós-Graduação.

Sumário dos conteúdos

  • A normatização da bibliografia
  • Ética na Ciência
  • Os termos de uma pesquisa
  • Técnicas de oratória e protocolos de apresentações para públicos
    Metodologia, método
  • Recursos audiovisuais e ferramentas de divulgação científicas
  • Apresentação dos projetos pelos alunos com presença dos orientadores.

Bibliografia:
Devido à natureza diferenciada desta atividade, as referências específicas recomendadas são aquelas que se relacionam diretamente com o projeto de pesquisa específico de cada aluno, obtidas através da pesquisa bibliográfica.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO. C. F.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Penso, 2013.
VOLPATO, G. L. Ciência: da filosofia à publicação. 6. ed. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

Critérios de avaliação: Os alunos serão avaliados em 3 etapas durante a disciplina, através da apresentação de seminários com temas a serem estabelecidos.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira, Prof. Dr. Rodney Kozlowiski De Azevedo e Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
A disciplina aborda os fundamentos, conceitos e ferramentas de elaboração de artigos científicos para publicação. Serão desenvolvidas atividades relacionadas à construção e análise de manuscritos que apresentem escopo exigido dentro das normas dos principais periódicos nacionais e internacionais em circulação. A utilização das bases de dados científicos será abordada de forma prática em sala equipadas com microcomputadores em tempo real.
Sumário dos conteúdos temáticos:

  • Conceitos e ferramentas na elaboração de artigos científicos.
  • Normas ABNT e normatização por periódicos científicos.
  • Aspectos relevantes da elaboração de artigo científico.
  • Redação de artigo científico.
  • Busca por periódicos em base de dados.
  • Aspectos estruturais na seleção de periódicos para publicação.
  • Sistematização para envio de artigos em periódicos indexados e de bom impacto.

Bibliografia:
BRAHAMSOHN, P. Redação científica. São Paulo: Guanabara Koogan, 2004.
CERVO, A. L.; SILVA, R.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2007.
FERREIRA, G. Redação científica: como entender e escrever com facilidade. São Paulo: Atlas, 2011.
VIEIRA, C. L. Pequeno manual de divulgação científica: dicas para cientistas e divulgadores de ciência. Rio de Janeiro: Ciência Hoje, 1999.
VOLPATO, G. L. Ciência: da filosofia à publicação. 4. ed. Botucatu: Tipomic, 2004.
VOLPATO, G. Método lógico para publicação científica. Botucatu: Best Writing, 2011.
VOLPATO, G. Bases teóricas para redação científica. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2007.
VOLPATO, G. Dicas para redação científica. 3. ed. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

Bases de Dados Científicos:
SCIENTIFIC ELECTRONIC LIBRARY ONLINE. Scielo, [2014?]. Disponibiliza uma biblioteca eletrônica abrangendo uma coleção selecionada de periódicos científicos.
ELSEVIER. Scopus, c2014. Disponibiliza resumos e citações de artigos para jornais e ou revistas acadêmicas.
ELSEVIER. Elsevier, c2014. Apresenta informações e serviços sobre a maior editora de literatura médica e científica domundo.
PERIÓDICOS CAPES. Portal de Periódicos da Capes, c2010. Reúne e disponibiliza biblioteca virtual com produção científica internacional a instituições de ensino e pesquisa no Brasil.

Bibliotecas Digitais:
FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Biblioteca de Ciências Biomédicas, [2014?]. Integra a Rede de Bibliotecas da Fiocruz disponibilizando acesso à informação científica na área biomédica.
2014.
PERIÓDICOS CAPES. Portal de Periódicos da Capes, c2010. Reúne e disponibiliza biblioteca virtual com produção científica internacional a instituições de ensino e pesquisa no Brasil.
UNIVERSIDADE DE CAMPINAS. Biblioteca Digital de Campinas, c2002-2011. Disponibiliza teses e dissertações defendidas na instituição.
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sistema integrado de bibliotecas, c2001-2010. Disponibiliza acesso a todo o corpo de informações gerido pelas bibliotecas da Universidade de São Paulo.
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Acervo digital da UNESP, 2011. Repositório de conteúdos gerados e adquiridos pela Universidade.

Critério de Avaliação – Submissão de um artigo científico (qualis superior ou igual a B3).

DISCIPLINAS OPTATIVAS

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues De Morais Chaves, Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira De Andrade
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa
Aspectos teóricos sobre o aproveitamento de resíduos industriais, urbanos e agrícolas, para maximização do uso das matérias-primas e insumos utilizados nos processos produtivos geradores destes resíduos, bem como minimizar a geração de resíduos a serem dispostos no ambiente. Estudo de legislações ambientais brasileiras referentes aos resíduos, além de iniciativas nacionais e internacionais para a utilização dos resíduos como matéria prima ou substrato na obtenção de um novo produto.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Classificação e caracterização de resíduos (legislação ambiental);
  • Potencial técnico-econômico do aproveitamento de resíduos;
  • Aproveitamento de resíduos industriais;
  • Resíduos inorgânicos;
  • Resíduos orgânicos;
  • Aproveitamento de resíduos urbanos:
  • Resíduos sólidos urbanos;
  • Resíduos de construção civil;
  • Resíduos de estação de tratamento de águas e esgotos;
  • Aproveitamento de resíduos agrícolas e florestais;
  • Resíduos como matéria-prima para biorrefinaria;
  • Substratos para atividade agrícola

Bibliografia:
ALMEIDA, L. B. et al. Resíduos de bananeira como substrato base para o cultivo in vitro de Coprinus comatus. Ambiência, Guarapuava, v. 9, n. 3, p. 643-650, set./dez. 2013.
ANURAG, M. et al. Integrated biorefinery model based on production of furans using open-ended high yield processes. Green Chemistry, Cambridge, v. 16, p. 2480-2489, feb. 2014.
ARAÚJO, R. S.; HUNGRIA, M. (Org.). Microrganismos de importância agrícola. Brasília, DF: EMBRAPA, 1994.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10004: Resíduos sólidos classificação. Rio de Janeiro, 1987.
______. NBR 10007: Amostragem de resíduos. Rio de Janeiro, 1987.
BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº. 305, de julho de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 4 jul. 2002.
______. Resolução nº. 307, de julho de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 17 jul. 2002.
______. Resolução nº. 357, de 17 março 2005. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 mar. 2005.
GOODSHIP, V. (Ed.). Management, recycling and reuse of waste composites. Cambridge: Woodhead, 2009.
MUNIYANDI, S. F.; SOHAILI, J.; HASSAN, A. Mechanical, thermal, morphological and leaching properties of nonmetallic printed circuit board waste in recycled HDPE composites. Journal of Cleaner Production, Oxford, v. 57, p. 327-334, oct. 2013.
NAKAMURA, S. Waste input-output analysis: concepts and application to industrial ecology. [Dordrecht]: Springer. 2009.
PEIXOTO, R. T. G. Compostagem: princípios, práticas e perspectivas em sistemas orgânicos de produção. In: AQUINO, A. M.; ASSIS, R. L. Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília, DF: EMBRAPA, 2005.
POINCELOT, R. P. The biochemistry and methodology of composting. New Haven: CAES, 1975.
PRICE, J. L.; COOPER, R. C. (Ed.). Electronic waste: reuse, recycling and export considerations. New York: Nova Science Pub Inc, 2012.
SIQUEIRA, F. B.; HOLANDA, J. N. F. Reuse of grits waste for the production of soil-cement bricks. Journal of Environmental Management, London, v. 131, n. 15, p. 1-6, dec. 2013.
WEI, H. M.; ZHANG, H. Construction waste recycling analysis. Applied Mechanics and Materials, Germany, v. 448-453, p. 715- 718, oct. 2013.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
ENVIRONMENTAL SCIENCE E TECHNOLOGY. Easton: American Chemical Society, c1967-. Bimensal. ISSN: 0013-936X.
ENVIRONMENTAL TECHNOLOGY. London: Publications Division, Selper Ltd., 1990-. ISSN: 0959-3330.
JOURNAL OF ENVIRONMENTAL MANAGEMENT. London: Academic Press. 1973-. Mensal. ISSN: 0301-4797.
JOURNAL OF HAZARDOUS MATERIALS. Amsterdam: Elsevier, 1975-. ISSN: 0304-3894.
WASTE MANAGEMENT AND RESEARCH: THE JOURNAL OF THE INTERNATIONAL SOLID WASTES AND PUBLIC
CLEANSING ASSOCIATION. London: Academic Press, c1983-. Mensal. ISSN: 0734-242X.

Critério de Avaliação : Os alunos serão avaliados por sua postura e participação em sala de aula. Além disso, os alunos deverão apresentar uma proposta embasada nos conhecimentos adquiridos para o aproveitamento de um dado resíduo (seminário e relatório escrito).

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Raul Andres Martinez Uribe, Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa:
Matriz energética nacional e mundial. Formas e fontes de energia. Energias alternativas. Produção de biomassa e biocombustíveis. Matérias-primas agroindustriais e alternativas. Composição e caracterização de biomassa e biocombustíveis. Biomassa lignocelulósica. Aproveitamento de co-produtos e valorização de resíduos.
Sumário dos conteúdos temáticos

  • Matriz energética mundial: evolução e tendências
  • Fontes clássicas e inovadoras de energia
  • Tecnologias do uso da biomassa.
  • Tecnologias de produção de biocombustíveis.
  • Produção de etanol de primeira geração
  • Hidrólises de amidos
  • Produção de etanol de segunda geração
  • Rendimentos e controles
  • Principais matérias-primas agrícolas dedicadas e alternativas.
  • Análises composicionais de biomassas e eficiência de uso
  • Aproveitamento de bio-resíduos agrícolas, industriais e urbanos como fontes de energia.
  • Degradação de resíduos orgânicos e industriais (aterros e biodigestores).

Bibliografia:
BISWAS, R.; UELLENDAHL, H.; AHRING, B. K. Wet explosion pretreatment of sugarcane bagasse for enhanced enzymatic
hydrolysis. Biomass and Bioenergy, Oxford, v. 61, p. 104-113, feb. 2014.
FORTES, C. et al. Stalk and sucrose yield in response to nitrogen fertilization of sugarcane under reduced tillage. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 48, n. 1, p. 88-96, jan. 2013.
KHANAL, S. K. et al. Bioenergy and biofuel from biowastes and biomass. Reston: American Society of Civil Engineers, 2010.
KLASS, D. L. Biomass for renewable energy, fuels and chemicals. Califórnia: Academic press, 1998.
LEE, S.; SHAH, Y. T. Biofuels and bioenergy: processes and technologies. Boca Raton: CRC Press. 2012.
LEE, S.; SPEIGHT, J. G.; LOYALKA, S. K. Handbook of alternative fuel technologies. 2. ed. Boca Raton: CRC Press, 2014.
LEMOS, E. G. M.; STRADIOTTO, N. R. Bioenergia: desenvolvimento, pesquisa e inovação. São Paulo: Cultura acadêmica, LUO Z.; WANG L.; SHAHBAZI, A. Optimization of ethanol production from sweet sorghum (Sorghum bicolor) juice using response surface methodology. Biomass and Bioenergy, Oxford, v. 67, p. 53-59. aug. 2014.
OLSSON, L. Biofuels. Nova York: Springer, 2007.
URIBE, R. A. M.; GAVA, G. J. C.; SAAD, J. C. C.; KÖLLN, O. T. Ratoon sugarcane yield integrated drip-irrigation and nitrogen fertilization. Engenharía Agrícola, Jaboticabal, v. 33, n. 6, p. 1124-1133, nov./dec. 2013.
VEJA, J. M.; CASTILLO, F.; CARDENAS, J. La bioconversión de la energía. Madrid: Ediciones Pirámide, 2001.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
BIOMASS AND BIOENERGY. Oxford: Pergamon, c1991-. Mensal. ISSN 0961-9534.
PESQUISA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Brasília, DF: EMBRAPA, 1977-. Mensal. ISSN 1678-3921.
REVISTA BRASILEIRA DE BIOENERGIA. São Paulo: Centro Nacional de Referência em Biomassa, 2007-. Trimestral. ISSN 1677-3926.
REVISTA ENGENHARIA AGRÍCOLA. Sorocaba: Sociedade Brasileira de Engenharia Agrícola, 1972-. Quadrimestral. ISSN 1809-4430.

Critérios de avaliação: Ao final da disciplina será realizada uma avaliação discursiva.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Conceitos gerais de ética, bioética e biossegurança. Neste contexto, serão trabalhados métodos e técnicas de experimentação com o uso de animais, incluindo manipulação de roedores de pequeno porte, procedimentos de anestesia, analgesia e eutanásia, além dos cuidados necessários no trans e pós-cirúrgico de camundongos, ratos e

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Conceitos básicos e definições em Ética e Bioética;
  • Fundamentos em Bioética;
  • A Bioética no contexto da pesquisa;
  • Riscos físicos, químicos e biológicos;
  • Equipamentos de proteção individual;
  • Procedimentos em caso de acidentes;
  • Destinação de resíduos;
  • Tipos de biotério: criação e experimentação;
  • Riscos associados à experimentação animal;
  • A pesquisa com animais de laboratório de pequeno porte;
  • Biologia e manipulação de animais de pequeno porte;
  • Procedimentos de anestesia, analgesia e eutanásia;
  • Cuidados no trans e pós-cirúrgico

Bibliografia:
BONIS, M.; COSTA, M. A. F. Educação em biossegurança e bioética: articulação necessária em biotecnologia. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 6, p. 2107-2114, dez. 2009.
BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Comissão Técnica Nacional de Biossegurança. Instrução normativa nº 1, de 05 de setembro de 1996. Normas para emissão do Certificado de Qualidade em Biossegurança. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 06 set. 1996.
______. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA).
Conselhos e comissões. MCTI, 2014.
DAMY, S. B. et al. Aspectos fundamentais da experimentação animal: aplicações em cirurgia experimental. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 56, n. 1, p. 103-111, 2010.
DESENVOLVIMENTO da ciência através do conhecimento, promoção do bem-estar e uso ético de animais de laboratório. SBCAL/COBEA, [2014?].
DURAND, G. Introdução geral á bioética: história, conceitos e instrumentos. São Paulo: Loyola, 2003.
SCHRAMM, F. R. Bioethics, biosafety and the question of control of biotechnoscience practices: an introduction.
Redbioética/UNESCO, Montevideo, v. 1, n. 2, p. 99-110, Dec. 2010.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
BIOETHCS. Oxford: Wiley-Blackwell, 2014. Bimestral. ISSN 1467-8519.
JOURNAL OF BIOETHICAL INQUIRY. Dordrecht: Springer, 2014. Anual. ISSN 1176-7529.
PENN BIOETHICS JOURNAL. Philadelphia: University of Pennsylvania, 2014. Semestral. ISSN: 2150-5462.

Critérios de avaliação: A avaliação será feita através: 1- da elaboração de pareceres, com ênfase no aspecto ético, sobre estudos já realizados; 2- análise e discussão de planos operacionais padrão (POPs), relacionados aos cuidados com roedores em pesquisa.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Tadeu Fernandes da Silva Junior, Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa e Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Apresentar os conceitos fundamentais e as potencialidades das aplicações práticas da utilização de microrganismos para o controle biológico de pragas e doenças, visando a redução da utilização de defensivos agrícolas na agricultura;demonstrar como os microrganismos podem ser utilizados em processos de biorremediação, de compostagem e no setor sucro-energético.

Sumário dos Conteúdos Temáticos:

  • Conceitos de Biotecnologia
  • Histórico da Agricultura, Revolução Verde e o aumento do uso de defensivos agrícolas
  • Importância das doenças e pragas agrícolas e os impactos da utilização de defensivos
  • Princípios e conceitos do controle biológico de pragas e doenças
  • Métodos de isolamento, purificação, identificação e cultivo de bactérias e fungos
  • Conceitos e aplicações da biorremediação
  • Aplicações de microrganismos na Agricultura
  • Tópicos em sucroenergia

Bibliografia:
AGRIOS, G.N. Plant Pathology. Fifth Edition. Academic Press Inc. New York. 2004. 922p.
AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M. & BERGAMIN FILHO, A. eds. Manual de Fitopatologia. Volume 1 - Princípios e Conceitos. 4ª Edição. Editora Agronômica Ceres Ltda. São Paulo. 2011. 704p.
ARAÚJO, R. S.; HUNGRIA, M. (Org.). Microrganismos de importância agrícola. Brasília, DF. EMBRAPA. 1994.
BASSO, L. C.; BASSO, T. O.; ROCHA, S. N. Ethanol Production in Brazil: The Industrial Process and Its Impact on Yeast Fermentation. In: BERNARDES, M. A. S. Biofuel Production: Recent Development and Prospects. São Paulo: INTECH e-book, 2011. p. 85-100.
BETTIOL, W.; MORANDI, A.B. Controle biológico de doenças de plantas: Uso e perspectivas. Jaguariuna: EMBRAPA- Meio Ambiente. 2009. 341p.
BORÉM, A.; SANTOS, F. R. Entendendo a biotecnologia. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2008. 342 p.
CARDOSO, J.B.N.E.; TSAI, S.M.; NEVES, M.C.P. Microbiologia do solo. Campinas. SBCS. 1992.
KIMATI, H.; AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M.; BERGAMIN FILHO, A. & CAMARGO, L.E.A. ed. Manual de Fitopatologia. Volume 2. Doenças das Plantas Cultivadas. 4ª Edição. Editora Agronômica Ceres Ltda. São Paulo. 2005. 666p.
PEIXOTO, R.T.G. Compostagem: Princípios, práticas e perspectivas em sistemas orgânicos de produção. In: AQUINO, A.M.; ASSIS, R.L. Agroecologia: Princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília, DF. EMBRAPA, 2005.
SERAFINI, L. A.; BARROS, N. M.; AZEVEDO, J. L. (Org.). Biotecnologia: avanços na agricultura e na agroindústria. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2002. 433 p.
SILVA, F.C.; ALVES, B.J.R.; FREITAS, P.L. Sistema de produção mecanizada da cana-de-açúcar integrada à produção de alimentos. v.1. Embrapa: Brasília, 2015.

Critério de Avaliação : Os alunos serão avaliados por sua postura e participação em sala de aula. Além disso, os alunos também apresentarão um seminário sobre temas da área de biotecnologia e farão uma prova discursiva.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Raul Andres Martinez Uribe, Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa:
A atmosfera da Terra, radiação solar e radiação terrestre, elementos e fatores do clima: temperatura, pressão, umidade. A circulação atmosférica, Sistemas formadores de tempo: massas de ar, frentes. Classificações e regimes climáticos. Climatologia geográfica: mudanças climáticas, irregularidades do clima, desertificação e secas, efeito estufa, clima e agricultura, clima das cidades, poluição atmosférica. Métodos de estimativa da evapotranspiração; Balanço hídrico.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • A atmosfera da Terra
  • A composição da atmosfera
  • Balanço da radiação na superfície terrestre
  • Temperatura
  • Umidade atmosférica e a condensação do ar
  • Nuvens
  • Precipitações
  • Maritimidade e continentalidade
  • A pressão atmosférica e os ventos.
  • Massas de ar
  • Regimes climáticos
  • Tipos de classificações climáticas
  • Classificação de Köppen
  • Tipos de clima no Brasil
  • Irregularidades do clima atual
  • Desertificação e secas.
  • O clima urbano – Poluição atmosférica
  • Fatores que influenciam o clima atual
  • El Niño
  • O efeito de estufa
  • O buraco da camada de ozônio
  • Clima em áreas urbanas
  • Clima em áreas rurais
  • Planejamento

Bibliografia:
ALMEIDA, H. A.; HERMENEGIDIO, G. M. S. Comparação de dados meteorológicos obtidos por estações meteorológicas convencional e automática. Revista Brasileira de Climatologia, Presidente Prudente, v. 12, p. 32-47, jan. 2013.
KÄRNER, O.; FREITAS, C. R. Detecting climate variability signals in long air temperature records. International Journal of Climatology, Chichester, v. 34, n. 6, p. 1737-1740, may 2014.
MENDONÇA, F.; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2007.
MONTEIRO, J. E. (Org.). Agrometeorologia dos cultivos: o fator meteorológico na produção agrícola. Brasília, DF: INMET, VAREJÃO-SILVA, M. A. Meteorologia e climatologia. Recife: Versão Digital, 2006.
WAONGO, M. et al. A Crop Model and Fuzzy Rule Based Approach for Optimizing Maize Planting Dates in Burkina Faso, West Africa. Journal of applied meteorology and climatology, Boston, Mass., v. 53, n. 3, p. 598-613, Mar. 2014.
WILKEN, P. S. Engenharia de drenagem superficial. São Paulo: CETESB, 1998.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
INTERNATIONAL JOURNAL OF CLIMATOLOGY. Chichester: John Wiley & Sons, 2014. Irregular. ISSN 0899-8418.
JOURNAL OF APPLIED METEOROLOGY AND CLIMATOLOGY. Boston: American Meteorological Society, 2014. Mensal. ISSN 1558-8424.
REVISTA BRASILEIRA DE CLIMATOLOGIA. Presidente Prudente: Associação Brasileira de Climatologia, 2014. Anual. ISSN 1980-055X.

Critérios de avaliação: Ao final da disciplina será realizada uma avaliação discursiva.

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa:
Apresentar e discutir problemas ligados a limitações conceituais, tecnológicas e institucionais relativas à ecologia aplicada. Conceitos ecológicos aplicados à conservação. Abordagem experimental e estimativa populacional. Como a conservação é resultante da ação do homem no meio ambiente, torna-se necessário avançar sobre os conceitos da abordagem aplicada da Ecologia Humana e Etnoecologia. A disciplina terá abordagem conceitual e, portanto, poderá interessar àqueles que estejam investigando qualquer sistema de estudo. Os objetivos da disciplina serão atingidos através de aulas teóricas e aulas de discussão da literatura pertinente.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Apresentação do curso
  • Populações, espécies e evolução no mundo real
  • Populações pequenas x populações em declínio – problemas relacionados à conservação biológica I
  • Ecologia x conservação biológica – problemas relacionados à conservação biológica II
  • Diversidade x complexidade ambiental – problemas ligados a comunidades
  • Abordagem experimental – problemas relacionados ao diagnóstico populacional
  • Estimativas de abundância x crescimento populacional – problemas relacionados a populações
  • Heterogeneidade espacial e temporal- problemas relacionados à ecologia de paisagens
  • História humana x história natural
  • Ecologia comportamental – problemas relacionados a sistemas de acasalamento
  • Ecologia comportamental – problemas relacionados à dispersão
  • Tragédia dos comuns x sustentabilidade: caça, pesca e coleta
  • Negociação de conflitos: manejo de pragas
  • Ecologia de doenças

Bibliografia:
BALÉE, W. The research program of historical ecology. Annual Review of Anthropology, Palo Alto, v. 35, p. 75-98, oct. 2006.
BOITANI, L.; FULLER, T. K. (Ed.). Research techniques in animal ecology: controversies and consequences. New York: Columbia University Press, 2004.
CAUGHLEY, G. Directions in conservation biology. Journal of Animal Ecology, Oxford, v. 63, n. 2, p. 215-44, apr. 1994.
CAUGHLEY, G.; SINCLAIR, A.R.E. Wildlife ecology and management. Cambridge: Blackwell Science, 2005.
COLLINS, W. W.; QUALSET, C. O. Biodiversity in agroecosystems. New York: Taylor e Francis, 1998.
CULLEN, L.; RUDRAN, R.; VALLADARES-PADUA, C. (Ed.). Métodos de estudo em biologia da conservação e manejo da vida silvestre. Curitiba: Editora UFPR, 2012.
BOCHERENS, H. et al. Isotopic evidence for dietary ecology of cave lion (Panthera spelaea) in North-Western Europe: Prey choice, competition and implications for extinction. Quaternary International, Oxford, v. 245, n. 2, p. 249-261, dec. 2011.
GARAY, I.; DIAS, B. Conservação da biodiversidade em ecossistemas tropicais. Petrópolis: Vozes, 2001.
HARDIN, G. The tragedy of the commons. Science, Washington, v. 162, p. 1243-1248, dec. 1968.
KREBS, C. J. Ecology. 5th ed. San Francisco: Benjamin Cummings, 2001.
LAWTON, J. H. Are there general laws of ecology? Oikos, Copenhagen, v. 10, p. 406-413, 1999.
MAYR, E. Populações, espécies e evolução. São Paulo: Edusp, 1970.
PERFECTO, I.; VANDERMEER, J.; WRIGHT, A. Natures matrix: linking agriculture, conservation and food sovereignty.
London: Earthscan, 2009.
ROCHA, C. F. D. et al. Biologia da conservação: essências. São Paulo: Rima, 2006.
SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de textos, 2006.
SEPPELT, R. et al. A quantitative review of ecosystem service studies: approaches, shortcomings and the road ahead. Journal of Applied Ecology, Oxford, v. 48, n. 3, p. 630636, June. 2011.
SINCLAIR, A. R. E.; FRYXELL, J. M.; CAUGHLEY, G. Wildlife ecology, conservation and management. New Jersey: Wiley-Blackwell Published, 2006.
TURNER, M.; GARDNER, R. H.; O’NEILL, R. V. Landscape ecology in theory and practice: pattern and process. New York: Springer Verlag, 2001.
VERDADE, L. M.; LYRA-JORGE, M. C.; PIÑA, C. I. (Ed.). Applied ecology and human dimensions in biological conservation. New York: Springer, 2014.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
AGRICULTURE, ECOSYSTEMS AND ENVIRONMENT. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Irregular. ISSN 0167- 8809.
BIOLOGICAL CONSERVATION. Essex: Elsevier Applied Science, 2014. Mensal. ISSN 0006-3207.
CONSERVATION BIOLOGY. Boston: Blackwell Scientific Publications, 2014. Trimestral. ISSN 0888-8892.
FOREST ECOLOGY AND MANAGEMENT. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Outras. ISSN 0378-1127.
MAMMALIA: MORPHOLOGIE, BIOLOGIE, SYSTEMATIQUE DES MAMMIFERES. Paris: Museum National d’ Histoire Naturelle, 2014. Trimestral. ISSN 0025-1461.
THE JOURNAL OF APPLIED ECOLOGY. Oxford: Blackwell Scientific Publications, 2014. Quadrimestral. ISSN 0021-8901.
TRENDS IN ECOLOGY AND EVOLUTION. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Mensal. ISSN 0169-5347.

Forma e critério de avaliação: Semanalmente os alunos realizarão atividades em sala de aula referente ao texto prévio e ao conteúdo da aula. Na última semana de aula os alunos devem apresentar um seminário referente aos temas trabalhados e definidos pela professora. A nota final será calculada somando todas as notas das atividades semanais (40%) e do seminário (60%).

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski De Azevedo, Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa
Descrição e características dos principais ambientes aquáticos. Biodiversidade dos organismos aquáticos. Ocupação e distribuição dos organismos aquáticos. Interações tróficas e ciclos biogeoquímicos. Fatores limitantes bióticos e abióticos. Adaptações dos organismos aquáticos. População e comunidade. Impactos antrópicos em ecossistemas aquáticos. Avaliação e monitoramento de ecossistemas aquáticos (através das características físico-químicas da água e do uso de organismos bioindicadores).

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Estrutura e classificação dos ecossistemas aquáticos.
  • Caracterização dos ecossistemas aquáticos dulcícolas e marinhos.
  • Ciclagem de materiais nos ecossistemas aquáticos.
  • Populações e comunidades em ambientes aquáticos.
  • Estrutura das redes tróficas.
  • Contaminantes e poluentes aquáticos.
  • Comportamento dos poluentes no meio aquático.
  • Adaptações dos organismos aquáticos.
  • Fatores bióticos limitantes.
  • Fatores abióticos limitantes.
  • Indicadores físicos da qualidade da água.
  • Indicadores químicos da qualidade da água.
  • Organismos bioindicadores da qualidade aquática.
  • Sanidade de organismos aquáticos.

Bibliografia:
BARNES, R. S. K.; MANN, K. H. Fundamentals of aquatic ecology. 2. ed. Oxford: Blackwell Science, 1991.
BICUDO, E. de M.; BICUDO, D. de C. Amostragem em Limnologia. 2. ed. São Carlos: Rima, 2004.
BRANDÃO, H. et al. Influence of cage farming on feeding and reproductive aspects of Pimelodus maculatus Lacépède, 1803
(Siluriformes: Pimelodidae) in the Chavantes reservoir, Brazil. Acta Scientiarum. Biological Sciences, Maringá, v. 36, n. 1, p. 41-50, jan./mar. 2014.
EIRAS, J. C., Elementos de ictioparasitologia. Portugal: Fundação Eng. António de Almeida, 1994.
GARAY, I.; DIAS, B. Conservação da biodiversidade em ecossistemas tropicais. Petrópolis: Vozes, 2001.
GESSNER, M. O. et al. Biodiversity effects on ecosystem functioning: insights from aquatic systems. Oikos, Reino Unido, v. 104, p. 419-422, mar. 2004.
GOLESTANINASAB, M. et al. A survey on bioconcentration capacities of some marine parasitic and free-living organisms in the Gulf of Oman. Ecological Indicators, Amsterdam, v. 37, p. 99-104, feb. 2014.
HADER, D. P. et al. Effects of solar UV radiation on aquatic ecosystems and interactions with climate change. Photochemical e Photobiological Sciences, London, v. 6, p. 267-285, jan. 2007.
McVEY, J. P.; CHENG-SHENG, L.; O’BRYEN, P. J. Aquaculture and ecosystems: an integrated coastal and ocean management approach. Louisiana: The World Aquaculture Society, 2006.
SILVA-SOUZA, A. T. Sanidade de organismos aquáticos. Maringá: Associação Brasileira de Patologia de Organismos Aquáticos, 2006.
WALTER, K.; DODDS, W. K. Freshwater ecology: concepts and environmental applications. 2th ed. San Diego: Academic Press, 2002.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS
AQUATIC BIOLOGY. Oldendorf/Luhe : Inter-Research, 2014. Trimestral. ISSN 1864-7782.
BIOLOGICAL CONSERVATION. Essex: Elsevier Applied Science, 2014. Mensal. ISSN 0006-3207.

Forma e critério de avaliação: Semanalmente os alunos realizarão atividades em sala de aula referentes à textos atuais e ao conteúdo da aula. Na última semana de aula os alunos deverão apresentar um seminário. A nota final será calculada somando-se todas as notas das atividades mencionadas.

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Breve histórico da epidemiologia. Processo saúde e doença. Bases introdutórias da epidemiologia para o diagnóstico de perfis de morbimortalidade. Distribuição das doenças no espaço e no tempo. A transição epidemiológica. As principais doenças infecciosas e parasitárias (DIP) e doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil. Conceituações e diferenças entre DIP e DCNT. Agente e fator de risco: suficiente e necessário. Estudo de fatores relacionados à DIP e DCNT e sua interface com a saúde humana. Conceitos básicos sobre a prevenção de doenças e saneamento ambiental. Delineamento da pesquisa epidemiológica. Inquéritos epidemiológicos. Avaliação qualitativa e quantitativa de doenças e meios para prevenção, erradicação e controle das mesmas.

Sumário dos conteúdos temáticos:

  • Conceito de Epidemiologia e Saúde Coletiva.
  • Globalização e Epidemiologia.
  • Transição demográfica e epidemiológica.
  • Impactos na saúde provocados pelo desequilíbrio ambiental.
  • Conceito Ecológico da Doença: Características principais do meio ambiente, hospedeiro e agente etiológico,
  • capazes de influenciar na ocorrência das doenças.
  • Saneamento ambiental (abastecimento de água, coleta e destino de resíduos, controle de vetores de
  • doenças, educação sanitária).
  • Métodos de investigação epidemiológica.
  • Processo saúde-doença.
  • Classificação das medidas preventivas.
  • Principais medidas de saúde coletiva.
  • Prevalência e incidência de doenças.
  • Determinação da frequência de doenças em populações.
  • Indicadores de saúde: dados de morbidade e mortalidade.
  • Estudos epidemiológicos qualitativos e quantitativos.
  • Análise epidemiológica em Bauru.

Bibliografia:
BASTOS, J. L. et al. Age, class and race discrimination: their interactions and associations with mental health among Brazilian university students. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. 175-186, jan. 2014.
BONITA, R.; BEAGLEHOLE, R.; KJELLSTRÖM, T. Epidemiologia básica. 2. ed. São Paulo: Santos, 2010.
CARVALHO, J. A. M. de; GARCIA, R. A. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 725-733, jun. 2003.
DOLL, R.; HILL, A. B. The mortality of doctors in relation to their smoking habits. A preliminary report. British Medical Journal, London, v. 1, p. 1451-455, june. 1954.
FORATTINI, O. P. Ecologia, epidemiologia e sociedade. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
MEDRONHO, R. et al. Epidemiologia. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2009.
PATARRA, N. de L. Mudanças na dinâmica demográfica. In: MONTEIRO, C. A. (Org.). Velhos e novos males da saúde no Brasil: a evolução do país e de suas doenças. São Paulo: Hucitec, 2000. p. 375-392.
ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e saúde. 6. ed. Rio de Janeiro: Medsi, 1999.
SNOW, J. On the mode of communication of Cholera. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Uberlândia, v. 3, n. 6, p. 1-11, jun. 2008.
TEIXEIRA, T. R. A. et al. Social geography of AIDS in Brazil: identifying patterns of regional inequalities. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 259-271, fev. 2014.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
CADERNOS DE SAUDE PUBLICA = REPORTS IN PUBLIC HEALTH. Rio De Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, 2014. Trimestral. ISSN 0102-311X.
EPIDEMIOLOGIA E SERVICOS DE SAÚDE. Brasília, DF: Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, 2014. Trimestral. ISSN 1679-4974.
REVISTA BRASILEIRA DE EPIDEMIOLOGIA = BRAZILIAN JOURNAL OF EPIDEMIOLOGY. São Paulo: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2014. Trimestral. ISSN:1415-790X.

Forma e critério de avaliação: Semanalmente os alunos realizarão atividades em sala de aula referentes à textos atuais e ao conteúdo da aula. Na última semana de aula os alunos deverão apresentar um seminário. A nota final será calculada somando-se todas as notas das atividades mencionadas.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Articular teoria e prática da atividade docente, aproximando, do discente de pós-graduação à realidade acadêmica na graduação. Aprimorar a formação do discente oferecendo-lhes contato com cursos de graduação, permitindo-o o planejamento e a prática do ensino, organização do trabalho pedagógico, comunicação com os alunos de graduação, reflexão, discussão e análise das situações vivenciadas pelos professores de ensino superior. Deste modo o discente terá a oportunidade de integrar a teoria à prática realizando um treinamento adequado para o magistério.

Objetivos:

  • Conhecer, refletir e discutir a prática docente no Ensino Superior
  • Compreender a relação professor/aluno nos diferentes contextos do processo de ensino/aprendizagem
  • Discutir as metodologias que fundamentam o processo de ensino/aprendizagem
  • Conhecer e auxiliar na elaboração de ferramentas e estratégias utilizadas no ensino.

Bibliografia:
CANDAU, V. M. A didática em questão. 20. Ed. Petropolis, Vozes, 2001
CANDAU, V. M. A didática em questão. 33. Ed. Petropolis, Vozes, 2012, disponível em https://pedagogiafadba.files.wordpress.com/2013/08/a-didc3a1tica-em-questc3a3o.pdf
KARLING, A. A. A didática necessária. São Paulo, IBRASA, 1991.
HAYDT, R. C. C. Curso de didática geral. 7. Ed. São Paulo, Atica, 2003.
LIBANEO, J. Didática. São Paulo, Cortez, 1999
TEIXEIRA, A. B. M. (Org.).Temas Atuais em Didática. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
VEIGA, I. P. A.; CASTANHO, M. E. L. M. (Orgs.). Pedagogia Universitária: a aula em foco. 2. ed. Campinas: Papirus, 2001. p. 75-89.
CUNHA, M. I. da. Diferentes olhares sobre as práticas pedagógicas no ensino superior: a docência e sua formação. Educação, v.54, n.3, p.525-36, 2004.
PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2004.
SANTOS, M. T. & Greca, I. M., 2006. A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas Metodologias. Ijuí: UNIJUÍ
DALBEN, A. I. L. F. (Org.). Convergências e Tensões no Campo da Formação e do Trabalho Docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.
PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

Critérios de Avaliação: Nota atribuída pelo docente responsável da disciplina de graduação de acordo com o envolvimento do aluno durante o acompanhamento da disciplina.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa:
Fundamentos, conceitos, ferramentas e tecnologias moleculares disponíveis em estudos de conservação da biodiversidade em populações naturais. Problemáticas de degradação ambiental, as consequências e como a genética da conservação vem sendo aplicada em estudos conservacionistas. Questões relativas aos estudos taxonômicos, manejo de espécies e reprodução em cativeiro com ênfase na genética de populações farão parte do escopo da disciplina.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Diversidade genética e genética evolutiva de populações naturais;
  • Consequências genéticas do tamanho populacional pequeno;
  • Genética e extinção;
  • Resolução de incertezas taxonômicas e definição de unidades de manejo;
  • O manejo genético de espécies ameaçadas em ambiente natural;
  • Reprodução em cativeiro e reintrodução;
  • A genética molecular na análise forense e no estudo da biologia das espécies;
  • Genética da conservação na biodiversidade brasileira.

Bibliografia:
ALLENDORF, F. W.; LUIKART, G. H.; AITKEN, S. N. Conservation and the genetics of populations. 2th ed. Malden, MA: Wiley- Blackwell; 2012.
FRANKHAM, R.; BALLOU, J. D.; BRISCOE, D. A. Introduction to conservation genetics. 2th ed. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2010.
HEDRICK, P. W. Genetics of populations. 4th ed. Boston: Jones and Bartlett Publishers, 2009.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
CONSERVATION GENETICS. Switzerland: Springer Netherlands, 2014. Anual. ISSN: 1572-9737.
NATURE GENETICS. New York: Nature Publishing Group, 2014. Mensal. ISSN 1061-4036.
MOLECULAR ECOLOGY. Oxford: Blackwell Science, 2014. Mensal. ISSN 0962-1083.
TRENDS IN ECOLOGY AND EVOLUTION. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Mensal. ISSN 0169-5347.
PLOS ONE. San Francisco, CA: Public Library of Science, 2014. Outras. ISSN: 1932-6203.

Critério de Avaliação – Relatório prático, seminário, Resolução de problemas – quiz, Redação de uma resenha científica.

Docente responsável: Prof. Dr. Anderson Antonio da Conceição Sartori
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Apresentar as geotecnologias; caracterizar SIGs, sistemas de geoprocessamento; caracterizar as estruturas de dados digitais; apresentar diferentes possibilidades de aquisição, manipulação e integração de dados; caracterizar e construir consultas e análises espaciais; apresentação dos sistemas gratuitos e/ou livres; apresentação e conceituação do sensoriamento remoto; apresentação de diferentes imagens orbitais, seu uso e processamento; apresentação da tecnologia GPS e seu uso nas ciências ambientais.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Introdução ao Geoprocessamento.
  • Característica dos SIGs.
  • Dados Espaciais. Fontes de dados. Bases digitais na Internet. Atlas digitais.
  • Estruturas de dados: modelos vetorial e matricial. Topologia.
  • Aquisição e manipulação de dados. Gerenciamento de dados. Integração de dados. Consulta e análise espacial.
  • Introdução ao Sensoriamento Remoto. Princípios físicos. Espectro Eletromagnético. Plataformas e Sensores. Sistemas sensores mais usuais no Brasil.
  • Aquisição de imagens. Análise visual de imagens. Processamento digital de imagens. Tipos de GPS e suas aplicações.
  • Geoestatística e suas aplicações.
  • Aplicações do geoprocessamento em estudos meteorológicas, agrícolas, urbanos e ambientais.  Estudos de Caso.
  • Atividades práticas. Prática laboratorial.

Bibliografia:

ASSAD, E.D., SANO, E.E. Sistema de informações geográficas: aplicações na agricultura. 2 ed. Brasília: Embrapa, 1998.

BERRY, J.K. Beyond Mapping: concepts, algorithms, and issues in GIS. John Wiley & Sons, 1996. 246 p.

BURROUGH, P.A; McDONNELL, R.A. Principles os geographical information systems. Oxford: University Press, 2004.

DEMERS, M.N. Fundamentals of Geographic Information Systems. Hoboken: J. Wiley, 2009. 443 p.

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 160 p.

FLORENZANO, T.G. Imagens de satélite para estudos ambientais. São Paulo: Oficina de Textos, 2002. 97 p.

JENSEN, J.R. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. Tradução: EPIPHANIO, J.C.N. (coordenador)...[et al.]. São José dos Campos: Parêntese, 2009.

MOREIRA, M.A. Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologias de Aplicação. 3. ed. Viçosa: Editora UFV, 2005. 320 p.

NOVO, E.M.L.M. Sensoriamento Remoto: princípios e aplicações. São Paulo: Edgard Blucher, 2010. 387 p.

Critério de Avaliação: Os alunos serão avaliados neste encontro por sua postura e participação no tema da referida aula, com elaboração de resumos ao final das aulas, para complementar a avaliação participativa. Além disso, os alunos apresentarão um seminário sobre aplicação das geotecnologias nas diversas áreas e farão uma prova discursiva.

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira De Andrade, Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão
Créditos: 2
Carga Horária: 30

Ementa:
Características distintivas dos principais grupos de microrganismos (bactérias, fungos, algas, protozoários e vírus) em seus habitats naturais (água, solo, ar e resíduos). Influências ambientais no crescimento de microrganismos.
Metabolismo microbiano. Metodologias de medidas de crescimento e controle microbiano. Biotecnologia do solo. Microbiota associada a patologias. Aspectos preventivos associados ao ambiente e saúde.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Introdução e campo de atuação da microbiologia ambiental.
  • Biodiversidade de microrganismos.
  • A distribuição dos microrganismos na natureza.
  • Efeitos dos determinantes ambientais e sua importância na microbiologia do ar, ecossistemas terrestres e aquáticos.
  • Coleta e cultivo de microrganismos, medidas de biomassas e impactos antrópicos na biodiversidade.
  • Metabolismo microbiano.
  • Controle de crescimento microbiano.
  • Microbiologia da água e do ar. Indicadores microbiológicos de poluição.
  • A comunidade microbiana do solo e fatores de equilíbrio.
  • Aspectos microbiológicos da biodegradação. Transformações de poluentes orgânicos e inorgânicos e
  • interações microbianas.
  • Aspectos genéticos e ambientais do Helicobacter pylori.

Bibliografia:
AGOSTINHO, C. N. et al. Microbiologia do solo. Campinas: SBCS, 1992.
CALEMAN NETO, A. et al. Gene polymorphism of interleukin 1 and 8 in chronic gastritis patients infected with Helicobacter pylori. The Journal of Venomous Animals and Toxins Including Tropical Diseases, Botucatu, v. 20, p. 17-21, apr. 2014.
MAIER, R. M.; PEPPER, I. L.; GERBA, C. P. Environmental microbiology. Florida: Academic Press, 2000.
MELO, I. S.; AZEVEDO, J. L. (Org.). Ecologia microbiana. Jaguariúna: EMBRAPA-CNPMA, 2001.
MELO, I. S.; AZEVEDO, J. L. Microbiologia Ambiental. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2008.
PELCZAR, M. J.; CHANG, E. C. S.; KRIEG, N. R. Microbiologia: conceitos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 1994. vol. 1, 2.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
ADVANCES IN APPLIED MICROBIOLOGY. San Diego: Academic Press, 2014. Irregular. ISSN 0065-2164.
ANNALS OF MICROBIOLOGY. Milano: University of Milan, Dept. of Food Science and Microbiology, 2014. Semestral. ISSN 1590-4261.
APPLIED AND ENVIRONMENTAL MICROBIOLOGY. Washington: American Society for Microbiology, 2014. Mensal. ISSN 0099-2240.
BRAZILIAN JOURNAL OF MICROBIOLOGY. São Paulo: Sociedade Brasileira de Microbiologia, 2014. Trimestral. ISSN 1517- 8382.
WORLD JOURNAL OF MICROBIOLOGY & BIOTECHNOLOGY. Oxford: Rapid Communications, 2014. Trimestral. ISSN 0959- 3993.

Critério de Avaliação : Os alunos serão avaliados por sua participação em sala de aula e também pela apresentação de seminários com temas relacionados a disciplina.

Docentes responsáveis: Prof. Dr. Angelo Ricardo Fávaro Pipi, Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Abordagem teórica sobre a química analítica ambiental, tendo como foco principal o meio ambiente. Com esta disciplina espera-se que o pós-graduando tenha conhecimento das técnicas analíticas básicas para aplicações na identificação e caracterização de poluentes no meio ambiente.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Introdução à química ambiental
  • Principais contaminantes ambientais
  • Amostragem e planejamento amostral
  • Preparo e análise de amostras
  • Espectrofotometria de ultravioleta-visível na determinação de poluentes
  • Espectrofotometria de absorção atômica na determinação de poluentes
  • Aplicação da Cromatografia na separação e identificação de poluentes

Bibliografia:
BAIRD, C.; CANN, M. Química Ambiental. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.
BARD, A. J.; FAULKNER L. R. Electrochemical Methods: fundamentals and Applications. New York: Wiley, 1980.
BRETT, C. M. A.; BRETT, A. M. O. Electrochemistry: principles, methods and applications. Oxford: Oxford University Press,
CIENFUEGOS, F.; VAITSMAN, D. Análise instrumental. Rio de Janeiro: Interciência, 2000.
EWING, G. W. Métodos instrumentais de análise química. São Paulo: Edgard Blucher, 1982. v. 1.
HARRIS, D. C. Análise química quantitativa. Rio de Janeiro: LTC, 2008.
JIAN, M. et al. Speciation and detection of arsenic in aqueous samples: A review of recent progress in non-atomic spectrometric methods. Analytica Chimica Acta, Amsterdan, v. 831, p. 1-23, June. 2014.
QIAN, L.; QUNFANG, Z.; GUIBIN, J. Nanomaterials for analysis and monitoring of emerging chemical pollutants. Trends in Analytical Chemistry, Amsterdam, v. 58, p. 10-22, June. 2014.
SKOOG, D. A. et al. Fundamentos de química analítica. Tradução: Marco Tadeu Grassi. 8. ed. Rio de Janeiro: Pioneira Thomson Learning, 2006.
YONG, C.; SIDISKY, L. M. A new interface for coupling solid phase microextraction with liquid chromatography. Analytica Chimica Acta, Amsterdam, v. 817, p. 23-27, mar. 2014.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
ANALYTICA CHIMICA ACTA. Amsterdam: Elsevier Scientific Publishing, 2014. Mensal. ISSN 0003-2670.
ANALYTICAL CHEMISTRY. Washington: American Chemical Society, 2014. Bimensal. ISSN 0003-2700.
GREEN CHEMISTRY. Cambridge: Royal Society of Chemistry, 2014. Bimestral. ISSN 1463-9262.
LANGMUIR: THE ACS JOURNAL OF SURFACES AND COLLOIDS. Washington: American Chemical Society, 2014.ISSN: 0743-7463.
WATER RESEARCH. New York: International Association on Water Pollution Research, 2014. Outras. ISSN: 0043-1354.
TRENDS IN ANALYTICAL CHEMISTRY. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Mensal. ISSN 0165-9936.

Forma e critério de avaliação: A cada aula, os alunos farão uma atividade em sala de aula referente ao conteúdo ministrado e ao artigo que será discutido. Nas aulas práticas, os alunos deverão preparar um relatório da atividade prática realizada discutindo os resultados encontrados. A nota final será calculada somando todas as notas das atividades semanais (40%) e do relatório (60%).

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Abordagem dos princípios de técnicas de análises Físico-Químicas aplicadas à ciência e tecnologia ambiental. Principais técnicas de análises que podem ser empregadas na realização de projetos de pesquisa, bem como para a leitura crítica de artigos que envolvam os temas da disciplina.

Sumário dos conteúdos Temáticos:

  • Microscopia Óptica (OM)
  • Microscopia Eletrônica (SEM, TEM)
  • Microscopia de Força Atômica (AFM)
  • Espectrofotometria de Ultra Violeta e Visível (UV-Vis)
  • Espectroscopia de Infravermelho (FTIR)
  • Espectroscopia de Absorção Atômica (AAS)
  • Espectrometria de massas com plasma acoplado indutivamente (ICP-MS)
  • Difração de raios X (DRX)
  • Espectroscopia de Ressonância Magnética Eletrônica (ESR ou EPR ou EMR)
  • Técnicas Eletroanalíticas (Potenciometria e Amperometria)
  • Cromatografia (HPLC e CG)
  • Análises Térmicas (TG/DTG, DTA, DSC)

Bibliografia:
BAFFA, O.; KINOSHITA A.; ABREGO, F.C.; SILVA, N.A. ESR and NMR dosimetry. In: KAWAMORI, A.; YAMAUCHI, J.; OHTA, H. (Ed.). EPR in the 21 Century. Amesterdam: Elsevier, 2002. p. 614-623.
BAIRD, C.; CANN, M. Química ambiental. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.
BARD, A. J.; FAULKNER L. R. Electrochemical methods: fundamentals and applications. 2nd ed. New York: Wiley, 2000.
BRETT, C. M. A.; BRETT, A. M. O. Electrochemistry: principles, methods and applications. Oxford: Oxford University Press, CIENFUEGOS, F.; VAITSMAN, D. Análise instrumental. Rio de Janeiro: Interciência, 2000.
CULLITY, B. D. Elements of X-Ray diffraction. New Jersey: Prentice Hall, 2002.
EWING, G. W. Métodos instrumentais de análise química. São Paulo: Edgard Blucher, 1998.
GALWEY, A. K. Is the science of thermal analysis kinetics based on solid foundations?: a literature appraisal. Thermochimica Acta, Amsterdam, v. 413, n. 1-2, p. 139-183, apr. 2004.
PAVIA, D. L.; LAMPMAN, G. M.; KRIZ, G. S. Introdução à espectroscopia. Stanford: Cengage, 2010.
SKOOG, D. A. et al. Fundamentos de química analítica. 8. ed. Rio de Janeiro: Pioneira Thomson, 2006.
SKOOG, D. A.; HOLLER, F. J.; CROUCH, S. R. Principles of instrumental analysis. 6nd ed. New Jersey: Prentice Hall, 2006.
VYAZOVKIN, S. Thermal Analysis. Analytical Chemistry, Washington, v. 80, n. 12, p. 4301-4316, 2008.

Critério de Avaliação: Redação de um artigo científico de revisão da literatura com aplicações na Ciência Ambiental de um dos temas da disciplina

Docentes responsáveis: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf, Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandes
Créditos: 2
Carga Horária: 30
Ementa:
Conceitos em toxicologia e metodologias aplicadas a ensaios em toxicologia experimental. Além disso, tratará de metodologias aplicadas à toxicologia ambiental e avaliação dos mecanismos de ação e efeitos dos agentes tóxicos nas comunidades e ecossistemas.

Sumário dos conteúdos temáticos

  • Conceitos Básicos em Toxicologia
  • Toxicocinética
  • Toxicodinâmica
  • Planejamento experimental
  • Parâmetros biológicos em toxicologia experimental
  • Análise e extrapolação de dados
  • Toxicovigilância: biomarcadores e estudos epidemiológicos
  • Avaliação e gestão do risco toxicológico à saúde humana

Bibliografia:
ABBAS, A. K., et al. Robbins e Cotran Patologia: bases patológicas das doenças. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
AZEVEDO, A. F.; CHASIN, A. A. M. As bases toxicológicas da ecotoxicologia. São Carlos: RiMa, 2003.
EVANS, G. O. Animal hematotoxicology: a practical guide for toxicologists and biomedical researchers. Boca Raton: CRC Press, 2008.
HAYES, W. A. Principles and methods of toxicology. 5th ed. Boca Raton: CRC Press, 2001.
HOOD, R. D. Developmental and reproductive toxicology: a practical approach. 3th ed. Boca Raton: CRC Press, 2011.
KLAASSEN, C. D.; AMDUR, M. O.; DOULL, J. Casarett and Doull’s toxicology: the basic science of poisons. 7th ed. New York: Mc Graw Hill, 2008.
LARINI, L. Toxicologia. 2. ed. São Paulo: Manole, 1993.
OGA, S.; CAMARGO, M. M. A.; BATISTUZZO, J. A. O. Fundamentos de toxicologia. 4. ed. São Paulo: Atheneu, 2014.
SISINNO, C. L. S.; OLIVEIRA-FILHO, E. C. Princípios de toxicologia ambiental. Rio de Janeiro: Interciência, 2013.
WALKER, C. H. et al. Principles of ecotoxicology. 4. ed. Boca Raton: CRC Press, 2012.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
EXPERIMENTAL AND TOXICOLOGIC PATHOLOGY. Jena: Gustav Fischer, 2014. Irregular. ISSN 0940-2993.
REPRODUCTIVE TOXICOLOGY. Elmsford: Pergamon Press, 2014. ISSN 0890-6238.
TOXICOLOGY. Limerick: Elsevier Scientific Publishers, 2014. Mensal. ISSN 0300-483X.
JOURNAL OF BIOCHEMICAL AND MOLECULAR TOXICOLOGY. New York: Wiley, 2014. Quinzenal. ISSN 1099-0461.

Critério de Avaliação: Apresentação oral de um trabalho envolvendo um acidente ambiental ocorrido no Brasil ou no mundo. O conteúdo da apresentação deverá compreender, de acordo com a literatura científica, a contextualização do mesmo, além dos contaminantes envolvidos, a população biótica a abiótica acometida, os mecanismos de ação dos tóxicos, e a avaliação da toxicidade e do risco à saúde ambiental e humana.

CRÉDITOS NECESSÁRIOS PARA CUMPRIMENTO DO TOTAL DO PROGRAMA - NÍVEL MESTRADO

*Cada crédito corresponde a 15 horas
Disciplinas Obrigatórias:14 créditos
Disciplinas optativas: 6 créditos (Considerando que os pós-graduandos poderão desenvolver disciplinas da outra área de concentração ou de outros programas recomendados pela CAPES.
Atividades Acadêmicas Científicas Complementares (AACC): 4 créditos
Dissertação:16 créditos
Total de créditos: 40 créditos




Documentos de Interesse

  • Estatuto USC : Clique aqui!
  • Regimento Geral da USC : Clique aqui!
  • Regimento PRPPG : Clique aqui!
  • Manual de Biossegurança: Clique aqui!
  • Manual de Atividades Acadêmico Científico Culturais (AACC) dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu: Clique Aqui!
  • Formulário das Atividades Acadêmico-Científico Culturais: Clique aqui!
  • Regulamento de Ética em Pesquisa: Saiba mais!
  • Regulamento da Comissão de Ética no Uso de Animais: Clique aqui!
  • Guia para normatização de dissertações e teses USC: Clique aqui!
  • Regulamento para concessão, renovação, extensão e cancelamento de bolsas/taxas para os programas de Pós-Graduação Stricto Sensu: Clique aqui!
  • Regulamento do Estágio de Docência para Discentes de cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu: Clique aqui!
  • Edital De Bolsas E Taxas Do Programa: Clique aqui!
  • Descritivo de comprovante do Edital de Bolsas: Clique aqui!
  • Anexo I do Edital de bolsas e Taxas: Clique aqui!
  • Ficha de inscrição para Edital de bolsas e taxas do programa Ciência e Tecnologia Ambiental: Clique aqui!
  • Requerimento de Defesa de Mestrado: Clique aqui!
  • Requerimento de Qualificação: Clique aqui!
  • Termo de autorização para Publicação: Clique aqui!
  • Termo de Responsabilidade de Entrega de Documentos: Clique aqui!
  • Declaração de Inexistência de Plágio: Clique aqui!
  • Regulamento do Programa de Mestrado Acadêmico em Ciência e Tecnologia Ambiental: Clique aqui!
  • Regulamento da Central de Laboratórios em Ciência Tecnológica e Ambiental: Clique aqui!
  • Normas para o desenvolvimento das pesquisas acadêmicas: Clique aqui!



Egressos

AngelaBraga

Angela Braga Franzolin Motta
Formação: Farmácia, Aperfeiçoamento em Curso Fundamental de Agricultura Biológico-Dinâmica e Especialização em Agricultura Biológico Dinâmica.
Dissertação de Mestrado: Produção e Nutricação Mineral da Alface sob adubação mineral, orgânica e Biodinâmica.
Orientador: Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo

  

BeatrizMalaghini

Beatriz Malaghine Soncksen
Formação: Ciências Biológicas
Dissertação de Mestrado: A conservação da Biodiversidade segundo alunos do curso de ciências biológicas.
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

  

CelsoAntonio

Celso Antonio Donizeti Da Silva
Formação: Engenharia Civil, Formação Pedagógica de Docentes, Especialização em Perícias de Engenharia, Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho e Especialização em MBA em Gestão Ambiental
Dissertação de Mestrado: Análise crítica de metologia de investigação de áreas contaminadas - avaliação preliminar (AP): Um estudo de caso.
Orientador: Prof. Dr. Edilson Moura Pinto

  

ChristhoperAndrade

Christopher De Andrade Cardoso
Formação: Filosofia, Especialização em Antropologia e Especialização em Gestão Ambiental
Dissertação de Mestrado: Avaliação de concepções ambientais em alunos de Ensino Médio: Um estudo de caso Bauru/SP
Orientador: Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira

  

logo_foto

Eugênia Maria Sellmann Chaves
Formação: Serviço Social, Especialização em Toxicologia e Especialização em Gestão de Políticas Públicas e do Terceiro Setor.
Dissertação de Mestrado: Desvelando a relação entre saúde e ambiente na Cracolândia de Bauru
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez

  

GlauciaMaria

Glaucia Maria Da Costa Santos
Formação: Pedagogia, Especialização em Psicopedagogia, Especialização em Ensino Especializado de alunos com necessidades educacionais especiais e Especialização em Gestão Escolar
Dissertação de Mestrado: Educação Ambiental: A conservação da Natureza segundo alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

  

GuilhermeDonizete

Guilherme Donizeti Da Silva
Formação: Engenharia Civil
Dissertação de Mestrado: Aplicações de Nanopartículas de Prata e de Óxido de Zinco em Materiais da Construção Civil.
Orientador: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

  

LuannaMunhoz

Luanna Munhoz Zabaglia
Formação: Biomedicina
Dissertação de Mestrado: Expressão de MicroRNAs e dos genes da Interleucina 2 e fator de necrose tumoral e suas correlações com o H.Pylory.
Orientador: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen

  

LucasAparecido

Lucas Aparecido Rosa Leite
Formação: Ciências Biológicas e Especialização em Gestão e Análise de Ambientes Aquáticos Continentais.
Dissertação de Mestrado: Metazoários parasitos de Prochilodus lineatus (Valenciennes, 1837) provenientes do Rio Batalha, estado de São Paulo: Ecologia e uso como indicadores de poluição aquática
Orientador: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

  

logo_foto

Maria Elza Campos Guijarro
Formação: Lic. Ciências, Letras-Português, Aperfeiçoamento em Prática em Conversação em Inglês, Aperfeiçoamento em Perfeccionamiento para Prof. de Español, Especialização em Educomunicação e Mestrado em Master en Formación de Profesores de ELE.
Dissertação de Mestrado: A popularização da ciência e da tecnologia ambiental em Feiras de Ciências realizadas em escolas de ensino médio de Bauru-SP
Orientador: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

  

MarianaLiessa

Mariana Liessa Rovis Sanches
Formação: Biomedicina
Dissertação de Mestrado: Efeito da Dioxina em associação ou não com Metilmercúrio na diferenciação adipogênica
Orientador: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

  

MicheleCristina

Michelle Cristina Mollemberg
Formação: Ciências Biológicas
Dissertação de Mestrado: Morfologia e ultraestrutura do desenvolvimento ovariano em Mithracidae (Crustacea: Decapoda: Brachyura)
Orientador: Prof. Dr. William Ricardo Amâncio Santana

  

PatriciaChiara Patrícia Chiara Silvério
Formação: Engenharia Agronômica
Dissertação de Mestrado: Níveis de Cloreto presentes no sorgo biomassa em função de fontes de adubação potássica e épocas de colheira.
Orientador: Prof. Dr. Raul Andres Martinez Uribe
  
RicardoCrepaldi

Ricardo Crepaldi
Formação: Bach. e Lic. Quimica
Dissertação de Mestrado: Estudo da degradação de Benzeno em ar confinado por TiO2 presente em revestimento cerâmico comercial e assistida por radiação ultravioleta.
Orientador: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves

  



Calendário de qualificações e defesas

Nome: LEONARDO DE ALMEIDA STRINGACI
Fase: QUALIFICAÇÃO
Nível: MESTRADO
Programa: CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL
Área: CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL
Orientador: Prof. Dr. RAUL ANDRES MARTINEZ URIBE
Banca: Prof. Dr. GUSTAVO HENRIQUE GRAVATIM COSTA, Prof.ª Dra. MEIRE CRISTINA NOGUEIRA ANDRADE
Título: AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E SENSORIAL DE AGUARDENTE PRODUZIDA A PARTIR DE SORGO SACARINO E ENVELHECIDA EM BARRIL DE CARVALHO.
Data, horário e local: 15/09 - 09h - L-003




Aluno em Regime Especial

  • Poderão ser aceitos, na categoria de alunos especiais não vinculados a Programas de Pós-Graduação, portadores de diploma universitário ou certificado de conclusão de Graduação que desejem cursar disciplinas especificamente escolhidas;
  • O aluno especial não vinculado ao Programa de Pós-Graduação, no que couber, ficará sujeito às mesmas normas do aluno regular, sendo sua admissão condicionada à existência de vaga na (s) disciplina (s) que pretenda cursar;
  •  Ao aluno especial, não vinculado ao Programa de Pós-Graduação, aprovado em disciplina (s), será conferido certificado de aprovação;
  • No caso de o aluno especial não vinculado ao Programa de Pós-Graduação desejar passar à condição de aluno regular, deverá submeter-se às exigências de seleção inicial;
  • O número de vagas para alunos especiais nas disciplinas do Programa poderá ser, no máximo, cem por cento das vagas dos alunos regulares matriculados na disciplina;
  • O aluno especial poderá cursar, no máximo, cinquenta por cento do total das disciplinas do programa;
  • O valor a ser pago irá depender da carga horária total a ser cursada, podendo ser parcelada no número de meses em que ocorrem a(s) disciplina(s).

Documentos exigidos:

  • Requerimento com a solicitação da disciplina que deseja cursar: Clique aqui
  • Cópia da carteira de identidade;
  • Cópia do CPF;
  • Cópia do diploma de Graduação;
  • 01 fotografia ¾ recente.



Cronogramas das Aulas

2º semestre de 2017: 1º módulo

De 07 de agosto à 19 de setembro de 2017

Segunda-Feira
Sala: F-102
Horário: 09h às 12h30
Disciplina: Bioestatística*

Sala: J-204
Horário: 13h30 às 17h
Disciplina: Redação Científica
Disciplina: Pesquisa - Seminários e Princípios Metodológicos da Ciência

Terça-Feira
Sala: J 204
Horário: 08h30 às 12h
Disciplina: Biotecnologia Aplicada às Ciências Ambientais e Agrárias

Sala: F-102
Horário: 13h30 às 17h
Disciplina: Geoprocessamento Aplicado à Gestão Ambiental

 

2º semestre de 2017: 2º módulo

De 02 de outubro a 21 de novembro de 2017

Segunda-Feira
Sala: J 204
Horário: 13h30 às 17h
Disciplina: Redação Cientifica
Disciplina: Pesquisa - Seminários e Princípios Metodológicos da Ciência

Terça-Feira
Sala: J-204 / Lab. Engenharia Ambiental Bloco O
Horário: 08h30 às 12h
Disciplina: Química Analítica Ambiental

Sala: J-204
Horário: 13h30 às 17h
Disciplina: Ecossistemas Aquáticos




Prova de Proficiência

A aprovação pelo pós graduando em prova de proficiência na língua inglesa é exigida para os Cursos de Pós Graduação Stricto Sensu da USC, ficando condicionada para a obtenção do título de Mestre. Os alunos terão que atingir pontuação mínima de 50% de qualquer um dos exames da tabela abaixo, os estudantes deverão apresentar certificado validado no prazo indicado no Edital do Processo Seletivo de seu ingresso. Os estudantes que já possuírem comprovantes de proficiência em língua inglesa poderão apresentá-lo para possível dispensa, desde que a prova tenha sido realizada nos últimos cinco anos.

Lista de exames aceitos para proficiência em língua inglesa.




Apoio FAPESP

Atribuições

    • Esclarecer dúvidas sobre bolsas e auxílios oferecidos por esta agência de fomento;
    • Auxiliar no preenchimento do seu Currículo Lattes.

FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo  –

Horário de Funcionamento: De Segunda-feira à Quinta-feira das 08h às 12h e das 13h às 18h. Sexta-Feira: 08h às 12h e das 13h às 17h. Telefone: (0**14) 2107-7096

Local: Piso superior da Biblioteca Cor Jesu




Projetos de Pesquisa

Descrição: O contínuo crescimento da população mundial tem intensificado os consequentes efeitos negativos que as atividades humanas exercem sobre o ambiente. Isso é observado através do uso indiscriminado de fontes hídricas e incremento da poluição gerada. Além disso, esse aumento populacional vem exigindo uma agricultura competitiva e tecnificada que possibilite a produção de alimentos de melhor qualidade e em maior quantidade. Os compostos orgânicos apresentam todos os nutrientes essenciais para as plantas principalmente o N que tem forte ligação com a matéria organica. O N é o nutriente em que as plantas necessitam em maiores quantidades. Grande parte deste nutriente está na atmosfera na forma de N2, e muito difícil de ser fixado ao solo este nutriente as plantas irão conseguir aproveitar somente com a fixação biológica, industrial ou através de descargas elétricas. As principais questões ambientais na utilização de resíduos orgânicos no solo podem ser assim listadas: apresenta uma elevada quantidade de N que é facilmente transformado de amônio (NH4) para nitrato (NO3-), através de bactérias nitrificantes. Os solos apresentam uma maior quantidade de cargas negativas que positivas, devido a isto, o íon (NO3) vai ser mais facilmente lixiviado por apresentar cargas negativas como o solo, com isto poderá haver contaminação de NO3 no lençol freático, por este motivo que a recomendação dos adubos orgânicos deverá levar em conta os teores de N do resíduo, a sua mineralização e a necessidade do nutriente pela cultura, fazendo desta maneira pode minimizar este problema. Outro problema seria a contaminação com metais pesados, deve-se procurar aplicar resíduos que apresenta baixos teores destes elementos e em solos com pH corrigido para diminuir a disponibilidade desses elementos tóxicos, porem os metais pesados são complexados pela matéria orgânica não permitindo que estes sejam totalmente disponibilizados pelas plantas, ou seja é melhor aplicar resíduos orgânicos com metais pesados do que resíduos inorgânicos que apresentam teores altos de metais pesados. Um outro grande problema seria a presença de microorganismos patogênicos, este problema poderia ser solucionado através do processo de compostagem, que o aumento de temperatura da compostagem de 60 a 70 C irá eliminar estes microorganismos. Utilizando estes resíduos de uma maneira adequada poderá diminuir alguns problemas ambientais como depositá-los em aterros sanitários. O objetivo deste trabalho será verificar um melhor aproveitamento de resíduos orgânicos em compostagem para a substituição de fertilizantes minerais na produtividade e na nutrição das plantas. Primeiramente será feito levantamentos dos resíduos orgânicos produzidos no município de Bauru. Em seguida serão verificados os resíduos que podem ser feito a compostagem e serão analisados os teores de carbono e nitrogênio, utilizando a metodologia (EMBRAPA, 2013) para posteriormente calcular as quantidades de resíduos a serem utilizadas. Os parâmetros avaliados no processo da compostagem será temperatura, umidade, relação C/N e rendimento. Após o término do processo de compostagem será testado estes compostos em diferentes culturas com o intuito de substituir os fertilizantes minerais em aplicações sucessivas em várias culturas. No final do ciclo será feito uma análise econômica ao longo do prazo.

Responsável: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves

Descrição: Os resíduos industriais, agrícolas e florestais são de grande importância como fonte de matéria- prima renovável, abundante e de baixo custo. O aproveitamento de resíduos lignocelulósicos (agrícolas e florestais) vem se destacando nos últimos anos para a produção de etanol de segunda geração. Assim, pesquisas têm sido realizadas visando ampliar o aproveitamento desses resíduos como fonte de matéria-prima para a produção de produtos químicos não combustíveis. Em paralelo, o aproveitamento dos resíduos industriais como matéria-prima ou aditivos para a obtenção de novos produtos é fundamental para o controle da poluição ambiental e preservação dos recursos naturais. O aproveitamento de resíduos diminui a quantidade de material descartado em aterros, aumentando o tempo de vida útil, além de gerar economia para a indústria e contribuir para o desenvolvimento sustentável da atividade industrial. Neste contexto, este projeto objetiva o estudo da obtenção de produtos de interesse industrial por meio da preparação, caracterização e utilização desses resíduos. As tecnologias empregadas incluem, mas não se limitam a: processos de hidrólise, fermentação, incorporação em matriz cimentícia e polimérica, extração por solvente, metalurgia de pós (Pechini) e precipitação seletiva.

Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

Descrição: O projeto apresenta como objetivo determinar as condições ideais de processamento agroindustrial de colmos e grãos de genótipos de sorgo sacarino, sorgo biomassa e milho para produção de bioetanol e bioenergia.

Responsável: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

Descrição: A infecção persistente da mucosa gástrica pelo Helicobacter pylori (H. pylori), promove uma inflamação crônica, propiciando um microambiente favorável para o aparecimento da gastrite atrófica com possível progressão para o câncer gástrico. Estima-se que 50% da população mundial seja infectada pelo H. pylori, porém, o resultado clínico da infecção depende não só da presença da bactéria, mas também de fatores genéticos desta e do hospedeiro. Os genes cagA e vacA são os principais marcadores de virulência bacterianos e podem influenciar na resposta imune e na inflamação crônica, favorecendo alterações epiteliais; que por sua vez, estimulam a apoptose, sendo o desequilíbrio entre a morte e a proliferação celular o principal fator relacionado a progressão da gastrite atrófica para o câncer gástrico. A desregulação na expressão dos genes envolvidos nestes controlados eventos, podem contribuir para a evolução das doenças gástricas. Alterações na expressão podem ser influenciadas por microRNAs no nível pós-transcricional, sendo que alguns estudos têm evidenciado a importância destes pequenos RNAs na homeostasia tecidual, assim como sua desregulação decorrente da infecção pelo H. pylori. Desta forma, a partir de amostras de biopsias gástricas de pacientes dispépticos e com câncer gástrico, os objetivos do presente projeto são: (I) Avaliar a expressão dos microRNAs miR-146, miR-155, miR-let-7a e miR-let-7b; (II) Avaliar os níveis de expressão do mRNA de genes reguladores da apoptose e das citocinas: Smac/Diablo, Caspase 9 e XIAP, TNF-α e IL-2; (III) Correlacionar a expressão dos microRNAs e do mRNA previamente selecionados; (IV) Associar a expressão dos miRNAs e RNAm com a presença do H. pylori e os genes de virulência bacterianos cagA, vacA e dupA. O desenvolvimento desta abordagem poderá abrir novas perspectivas para a caracterização de fatores envolvidos nas doenças pépticas, regulação gênica, além da elucidação quanto à interação entre genes envolvidos nas doenças gástricas, visando um melhor entendimento dos mecanismos fisiopatológicos destas doenças. Em conjunto esses dados podem sugerir biomarcadores e grupos de risco para progressão ao câncer gástrico.

Responsável: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen

Descrição: Nos últimos 20 anos foram feitas descobertas sobre o potencial das bactérias diazotroficas microaerobias, do gênero Azospirillum, fixadora de N atmosférico, quando em vida livre (BODDEY &DÖBREINER, 1995) as quais, quando associadas á rizosféra das plantas podem, contribuir com a nutrição nitrogenada dessas plantas, tornando-se alvo de estudo por parte de pesquisadores de fertilidade do solo e biologia.O objetivo deste experimento é verificar a eficiência de bactérias fixadoras de N e o quanto representaria em diminuição do N sintético na cultura da amoreira, diminuindo desta maneira os impactos da lixiviação de nitrato.Será adotado o delineamento experimental em blocos casualizados constituído por 06 tratamentos, com 4 doses de N (0, 40, 80 e 120 kg ha-1) e tres tipos de bactérias fixadoras de N (Azospirilium comercial, Azospirilium produzida pelo IAC e a Azotobacter Vinelandii), com 12 repetições por tratamento. Destas 12 repetições será avaliado 10 sendo que as outras 2 repetições será para margem de segurança se ocorrer alguma falha de pegamento. Os parâmetros que serão avaliados serão: desenvolvimento de plantas, matéria seca do sistema radicular e da parte aérea, nutrição mineral das plantas.

Responsável: Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo

Descrição: As maiores limitações à produtividade da cana-de-açúcar estão relacionadas à disponibilidade de quantidades adequadas de nutrientes minerais nos solos, com destaque ao nitrogênio (N). O objetivo deste trabalho é verificar o efeito da adubação organo mineral na produtividade, qualidade e nutrição da cultura da cana de açúcar.. Será adotado o delineamento experimental em blocos casualizado constituído por 7 tratamentos e 4 repetições assim definidos: T1 – sem adubação ; T2 – adubação mineral 100% do recomendado por (Raij et al., 1997); T3 – adubação organo mineral 50% do recomendado por (Raij et al., 1997); T4 – adubação organo mineral 100% do recomendado por (Raij et al., 1997); T5 – adubação organo mineral 125% do recomendado por (Raij et al., 1997); T6 – adubação organo mineral 150% do recomendado por (Raij et al., 1997); T7 – adubação organo mineral 175% do recomendado por (Raij et al., 1997). Os parâmetros avaliados neste ensaio serão os seguintes: produtividade da cana, qualidade da cana (BRIX, POL, Fibra, AR, ATR) e nutrição da planta (Teor e exportação de nutrientes).

Responsável: Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo

Descrição: Alterações de uso e ocupação do solo podem ocasionar impactos em diversos componentes do ecossistema. A mensuração dos impactos ocasionados por atividades antrópicas deve ser o cerne para a elaboração de ações emergenciais, bem como, para a gestão ambiental dos recursos naturais. Dentro de uma abordagem ao nível da paisagem, este projeto prevê o diagnóstico, avaliação e monitoramento de impactos ambientais ocasionados à vegetação e água frente à dinâmica de uso e ocupação do solo em uma paisagem agrícola fragmentada (sub-bacia do rio Alto Batalha, SP). Analises espacial tipicamente representativa das principais matrizes agrícolas do estado de São Paulo (pasto, cana-de-açúcar e eucalipto) serão selecionadas e monitoradas a fim de elucidar vetores de degradação do entorno de remanescentes florestais, permitindo relacionar seu estado de conservação aos grupos funcionais existentes, culminando na indicação de possíveis ações de manejo (enriquecimento e restauração) para recuperação da biodiversidade. O estudo incluirá vários subprojetos de alunos de iniciação científica, mestrado, com supervisão e orientação dos pesquisadores associados, especialistas em diversas áreas afins. A metodologia de pesquisa inclui análise da estrutura e dinâmica (1985-2017) da paisagem; do potencial de regeneração e da qualidade de remanescentes florestais; coleta e análise de parâmetros físico-químicos da água; e, diagnóstico erosivos, estimativas de perda de solos. O estado crítico de conservação dos remanescentes florestais inseridos na paisagem estudada ressalta a necessidade premente de atuações políticas que assegurem o uso sustentável de seus recursos naturais, servindo de modelo para outras regiões com semelhantes históricos de uso e ocupação agrícola.

Responsável: Prof. Dr. Anderson Antonio da Conceição Sartori

Descrição: O crescimento urbano desordenado causa problemas em função da significativa produção de resíduos. A problemática dos efluentes das cidades faz com que seja necessário o gerenciamento dos resíduos ao final dos processos, sendo um dos principais desafios à destinação final da quantidade gerada. Estes resíduos podem ser utilizados na agricultura e na produção de substratos em viveiros. Sabe-se que o tipo de substrato tem alta importância no desenvolvimento do sistema radicular e na nutrição mineral das plantas. Deste modo, grande parte do lodo de esgoto compostado comporta uma alta carga de macro e micro nutrientes de grande valor para o crescimento de mudas arbóreas e que são, na maioria das vezes descartado, e pior, de forma incorreta. O objetivo deste projeto é avaliar o efeito do substrato com lodo de esgoto compostado em espécies arbóreas nativas da região (Enterolobium Contortisiliquum, Cytharexyllum myrianthum, Cecropia pachystachya, Myroxylon peruiferum, Peltophorum dubium e Copaifera langsdorffi) avaliando o desenvolvimento de mudas (qualidade de crescimento, nutrição, entre outros), bem como gerar um sistema de economia de fertilizantes e água pelos viveiros.

Responsável: Prof. Dr. Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira

Descrição: O Brasil possui uma grande diversidade de peixes de água doce, com cerca de 24% de todas as espécies no mundo. Os mixozoários que infectam peixes representam um importante grupo de patógenos com ampla distribuição mundial. Alguns destes parasitos podem causar grandes problemas em ambientes naturais e confinados com altas razões de mortalidade e grandes perdas econômicas. Várias espécies já foram descritas, porém no Brasil este número é surpreendentemente baixo quando comparamos com o número de espécies de peixes registradas. Tem sido demonstrado que o estudo deste grupo de parasitos baseado somente em características morfológicas é insuficiente para a diagnose precisa das espécies. Sendo assim, o objetivo deste estudo é a aplicação de diferentes técnicas para o estudo destes parasitos coletados em peixes, entre elas podem ser citadas a biologia molecular, a microscopia eletrônica de transmissão e varredura e as análises histológicas.

Responsável: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

Descrição: O Brasil é um país megadiverso, sendo para muitos grupos zoológicos o mais rico em número de espécies atualmente. O Brasil possui hoje cerca de 7% da biodiversidade zoológica mundial. Contudo, as estimativas são de que a biodiversidade brasileira seja muito maior e a falta de conhecimento desta diversidade gera problemas em todas as áreas da biologia. Reconhecer e descrever as espécies e sua interação com o ecossistema é estritamente necessário para se entender as consequências das mudanças globais e de degradação ambiental. Sendo assim, estudos sistemáticos e levantamentos de diversidade zoológica são fundamentais para o conhecimento e, consequentemente, conservação da fauna brasileira e dos ambientes que a abriga. O objetivo deste projeto é estudar a fauna de invertebrados bentônicos do Brasil, com ênfase nos crustáceos decápodes. A ordem Decapoda é o grupo de crustáceos com maior importância na pesca mundial (e.g. camarões, lagostas, caranguejos) sendo também o mais abundante em número de espécies com aproximadamente 15.000 espécies válidas. Além disso, apresentam enorme importância ecológica, principalmente na manutenção de ambientes e comunidades bentônicas.

Responsável: Prof. Dr. William Ricardo Amâncio Santana

Descrição: A busca por fontes de energia renováveis tem resultado na utilização de biomassas com o intuito de produzir compostos (etanol, plásticos, derivados químicos) fundamentais para alcançar a segurança energética do país. O conhecimento das condições agronômicas das culturas que resultem em maiores taxas de conversão energética é decisivo. Este projeto propõe estudar as espécies (materiais genéticos), a adubação, a irrigação, os sistemas de plantio, os controles fitossanitários, os métodos de colheita das matérias primas, seu rendimento; assim como também a tecnologia sucroalcooleira, sua qualidade e os subprodutos envolvidos.

Responsável: Prof. Dr. Raul Andres Martinez Uribe

Descrição: As inovações tecnológicas voltadas ao desenvolvimento de baterias de alta potência para serem utilizadas em equipamentos eletroeletrônicos, resultaram em baterias com diferentes tipos de eletrodos e eletrólitos, alta capacidade de carga e durabilidade; entretanto, é preciso reconhecer que estas inovações não contribuíram para a solução do problema socioambiental gerada pelo descarte inadequado dessas baterias. A legislação brasileira vigente não dispõe de controle ou ação prática a respeito de como deveriam ser coletadas, armazenadas, tratadas e dispostas adequadamente as baterias íons-lítio, uma das mais utilizadas atualmente.. Nesse contexto, o presente projeto contemplará um sistema de coleta de baterias descartadas e desenvolvimento de atividades de educação ambiental; estudo de métodos de reciclagem de baterias íons- lítio, reprocessamento do material constituinte do catodo das baterias, reutilização do ânodo no controle de poluentes como, por exemplo, na adsorção de metais pesados e síntese de novos materiais para serem utilizados como catodos em baterias.

Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

Descrição: A maioria das bactérias fitopatogênicas pode sobreviver associadas a sementes ou partes propagativas, em órgãos vegetais infectados, em restos de cultura, no solo como populações residentes e/ou na superfície ou no interior de plantas cultivadas ou de plantas daninhas. Essa capacidade de sobrevivência é diretamente afetada pela temperatura, umidade, aeração, características químicas, físicas e biológicas do solo, além do órgão da planta ao qual a bactéria está infectando. O conhecimento dos nichos ecológicos de sobrevivência de bactérias fitopatogênicas é de extrema importância para o manejo adequado de fitobacterioses, uma vez que uma pequena quantidade de inóculo sobrevivente entre os ciclos de cultivo pode ser suficiente para iniciar uma nova epidemia no campo. A sobrevivência de bactérias fitopatogênicas em plantas hospedeiras ausentes de sintomas pode ser de grande importância epidemiológica, servindo como fonte de inóculo para disseminação secundária do patógeno, ou permitindo que células bacterianas possam sobreviver sob condições desfavoráveis. Até o momento, as principais bactérias estudadas por este projeto de pesquisa são Xanthomonas campestris pv. campestris, agente causal da podridão-negra das brássucas; Curtobacterium flaccumfaciens pv. flaccumfaciens, agente causal da murcha-de-curtobacterium do feijoeiro; Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli, agente causal do crestamento bacteriano do feijoeiro; e as quatro espécies de Xanthomonas spp., agentes causais de manchas foliares nas culturas do pimentão e tomate.

Responsável: Prof. Dr. Tadeu Antonio Fernandes da Silva Junior

Descrição: Desenvolver atividades relacionadas ao ensino-aprendizagem com foco na educação ambiental com interação entre Universidade e Ensino Fundamental e Médio

Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

Descrição: Os Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) são substâncias que apresentam potencial adverso à saúde humana, constituindo uma classe de poluentes atmosféricos. Dentre os possíveis métodos para o tratamento dos ambientes com elevada concentração de COVs está a degradação fotocatalítica em superfície de TiO2. O uso de revestimentos cerâmicos contendo superfície ativa de TiO2 foi inicialmente proposto devido a função auto-limpante, necessária em áreas externas de edifícios. Associado a esta característica, a conversão fotocatalítica de NOx à nitrato e, consequentemente, ácido nítrico, foi relatada. São raras as pesquisas sobre a capacidade de degradação de COVs por estas cerâmicas, especialmente, quando considerado o uso em ambientes internos de edificações. Neste contexto, este projeto propõe o estudo sobre a capacidade de degradação fotocatalítica de COVs presentes em ar confinado, em escala de bancada, por revestimentos cerâmicos contendo TiO2 na superfície. O estudo será conduzido em uma câmara adaptada para receber a placa cerâmica e radiação UV / visível, bem como uma fonte de COV. O contaminante volatilizado entrará em contato com a placa cerâmica, que deverá realizar o processo de degradação fotocatalítica. A degradação será acompanhada por análises de amostras da atmosfera interna da câmara, obtidas em intervalos de tempo por adsorção em fibra de polidimetilsiloxano. As amostras serão analisadas em cromatografia gasosa, acoplada à espectrometria de massas (GC-MS/HS-SPME). O estudo investigará o comportamento fotocatalítico do revestimento cerâmico em diferentes condições de exposição à radiação UV / visível e concentração de COV, com a finalidade de se obter as melhores condições para o uso destas cerâmicas em ambientes internos de edificações. Desse modo, este projeto pretende contribuir com a área de Ciências Ambientais, por disponibilizar informações a respeito de um produto que tem a finalidade de melhorar as condições de saúde humana, por meio da redução da poluição atmosférica local.

Responsável: Prof.ª Dra. Marcia Rodrigues de Morais Chaves

Descrição: Neste projeto visa-se estudar, experimentalmente, o potencial toxicológico e as possíveis alterações reprodutivas geradas pela exposição gestacional a contaminantes ambientais, agrotóxicos e fitoterápicos.

Responsável: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez

Descrição: A crescente preocupação com a questão da biodiversidade global tem sido muito discutida atualmente. Um dos principais passos para a conservação da biodiversidade requer inventários sistemáticos e os parasitos de peixes só recentemente foram incluídos nesta avaliação, sem mencionar o fato de que alguns grupos de parasitos podem ser utilizados como indicadores de impactos ambientais. Adicionalmente alguns ainda possuem potencial zoonótico, quando ingeridos crus ou mal cozidos. Sendo assim, o objetivo deste estudo é analisar a distribuição dos parasitos de peixes em diferentes ecossistemas aquáticos, fazer um estudo taxonômico com a possibilidade de descrição de várias novas espécies já que existem muitos peixes e habitats que ainda não foram analisados, analisar se algum destes parasitos apresenta potencial zoonótico e se podem ser utilizados como bioindicadores ambientais. Estes estudos podem ser realizados através da aplicação de diferentes técnicas.

Responsável: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

Descrição: É cada vez mais evidente o impacto negativo das más condições ambientais na saúde humana, uma vez que os toxicantes ambientais persistentes sofrem processos de bioacumulação e a biomagnificação. Dentre os diferentes toxicantes ambientais, as dioxinas e o metilmercurio (MeHg) constituem importantes acessos de exposição pelos animais e seres humanos, o qual se dá por meio da ingestão de água e de alimentos contaminados. Uma vez que o MeHg e as dioxinas frequentemente ocorrem juntos no ambiente, as possíveis formas de interação destes químicos, tais como efeitos aditivos, sinérgicos ou antagonistas, devem ser amplamente investigadas. Neste contexto, ainda são necessários estudos experimentais que definam as possíveis consequências dessa exposição conjunta sobre os diferentes sistemas e órgãos, utilizando doses relevantes e próximas à exposição ambiental. Os resultados poderão permitir a prevenção e a intervenção da toxicidade com objetivo de, no futuro, promover a melhoria das condições de saúde da população.

Responsável: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

Descrição: Inverstigar sobre novas tecnologias relacionadas a cogumelos comestíveis e medicinais.

Responsável: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade

Descrição: Métodos físicos avançados tais como Ressonância do Spin Eletrônico (RSE), também conhecida como Ressonância Paramagnética Eletrônica (RPE) e Ressonância Magnética Eletrônica (RME), Análise por Ativação de Nêutrons (NAA) e Espectrometria de massa com plasma acoplado indutivamente (ICP-MS), dentre outras, serão aplicadas a problemas relacionados ao ambiente, tais como impactos ambientais por substâncias detectáveis por estas, dosimetria de radiação ionizante, além da datação de material fóssil, que geralmente resulta em informações temporais associadas a extinção de espécies. Adicionalmente, novos materiais compostos por nanopartículas metálicas de interesse ao ambiente e a saúde serão desenvolvidos, caracterizados sob o ponto de vista físico químico e aplicados na resolução de problemas aos quais foram designados.

Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

Descrição: O número de casos de canceres, em especial de tumor mamário apresenta-se em crescimento acentuado tanto na Medicina veterinária quanto na Humana. A causa exata desta neoplasia é provavelmente de caráter multifatorial. Influências hormonais, envolvimento de citocinas/quimiocinas pró-inflamatórias e influências de fatores ambientais podem estar presentes. Entre os monitores de poluição, o cão se mostra adequado por apresentar grau de exposição á poluição semelhante ao seu dono. Assim temos por objetivo classificar os diferentes tipos de tumores, incluindo os mamários de acordo com a Organização mundial da saúde (OMS), avaliar a presença de componentes genéticos e inflamatórios através da caracterização dos polimorfismos de algumas interleucinas e correlacioná-los com a classificação histológica dos mesmos, além de estudar a correlação desses polimorfismos com os hábitos de vida dos animais e os locais onde vivem.

Responsável: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

Descrição: O estudo dos processos e padrões ecológicos nos permite compreender as adaptações e/ou mudanças na ecologia das populações que possam estar relacionadas às alterações antrópicas na paisagem. Neste sentido, o presente projeto tem como objetivo principal entender os processos e padrões ecológicos das populações de fauna em passagens agrícolas e perspectivas para conservação. Os resultados obtidos por meio de uma abordagem trófica, utilizando ferramentas de análises isotópicas e moleculares fornecerão informações que nos permitirá inferir sobre o uso, e a frequência de uso de determinados ambientes em detrimento de outros. Estabelecer se são espécies residentes permanentes, de longo prazo, residentes sazonais, parciais ou são apenas visitantes esporádicos. A comparação e análise de diferenças entre as dietas e na procedência dos itens consumidos pela fauna local, fornecerá informações, de modo geral, sobre o uso do espaço pelas espécies, mas também fornecerá dados sobre a dimensão dos impactos antrópicos nas interações alimentares, assim como nas populações de presas e predadores, e na estrutura genética destas populações. E como isto, pode e/ou afeta toda a dinâmica ecológica da área e de toda a taxocenose local. Permitindo assim, a identificação de como o uso antrópico da paisagem, altera e afeta não somente os padrões ecológicos da fauna silvestre, mas também como interfere nos processos ecológicos da paisagem. Análises com esta amplitude revelam aspectos do efeito antrópico sobre o ambiente, assim como de como as pessoas percebem o ambiente, permitindo direcionar propostas de políticas públicas ambientais em programas de gestão e conservação de paisagens agrícolas. A educação ambiental também é uma estratégia importante para analisar e alcançar as metas da conservação.

Responsável: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

Descrição: A prospecção de produtos e processos biotecnológicos, quer seja empregando metabólitos secundários provenientes de micro-organismos ou de plantas, permite o desenvolvimento econômico e o crescimento científico a partir de recursos oferecidos pela biodiversidade. Os objetivos desses estudos são otimizar a produção de enzimas fúngicas a partir de efluentes e prospectar micro-organismos e plantas com características metabólicas que permitam obter produtos biotecnológicos que melhorem a qualidade da saúde humana, animal e ambiental.

Responsável: Prof.ª Dra. Geisiany Maria Queiroz Fernandes

Descrição: Devido a problemas atuais de escassez e poluição de água potável, o projeto tem como objetivo geral o tratamento de água residual por meio da oxidação total ou parcial de diversos compostos tóxicos (fármacos, pesticidas, desreguladores endócrinos, etc.) aplicando para isso processos eletroquímicos oxidativos avançados (oxidação anódica, eletro-Fenton, fotoeletro-Fenton com aplicação de luz UV e solar) empregando ânodos dimensionalmentes estáveis e boro dopado com diamante, processos fotoquímicos empregando fotocatalisador de TiO2 em pó ou em nanotubos entre outros e processos adsortivos de separação de metais pesados em meio aquoso aplicando diversos materiais naturais e novos materiais sintéticos.

Responsável: Prof. Dr. Angelo Ricardo Fávaro Pipi




Grupos de Pesquisa

O grupo de pesquisa é composto por docentes da USC e de outras instituições, além de estudantes de Graduação e Pós-Graduação da USC. Desenvolve pesquisas com foco em doenças gástricas e na bactéria Helicobacter pylori com ênfase nas características moleculares desta bactéria (marcadores de virulência bacteriano) e do processo inflamatório gerado pela sua presença. Neste âmbito o grupo de pesquisa tem como objetivo auxiliar no entendimento das doenças gástricas.

Líder: Prof. Dr. Lucas Rasmussen

A principal repercussão do Grupo de pesquisa é transferir tecnologia de ponta no estudo de biomassas para produção de energia renovável, à comunidade; estudando as rotas completas de produção agronômica e agro-industrial, assim como o aproveitamento de resíduos para diversos fins com o intuito de diminuir o impacto ambiental dos mesmos e gerar produtos.

Líder: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

O grupo de pesquisa é composto por docentes da USC e de outras instituições, além de estudantes de Graduação e Pós-Graduação da USC. Desenvolve pesquisas com foco no tratamento de água residuais contaminadas por diversos compostos orgânicos tóxicos, carcinogênicos e biocumulativos empregando para isso processos eletroquímicos oxidativos avançados, fotoquímicos e adsortivos. Neste âmbito, o grupo de pesquisa tem como objetivo auxiliar no entendimento na degradação de compostos como fármacos, pesticidas, metais pesados, desreguladores endócrinos, corantes, entre outros.

Líder: Prof. Dr. Angelo Ricardo Fávaro Pipi

É cada vez mais evidente o impacto negativo das más condições ambientais na saúde humana, uma vez que os contaminantes ambientais persistentes sofrem processos de bioacumulação e a biomagnificação. Diferentes toxicantes ambientais constituem importantes acessos de exposição pelos animais e seres humanos, o qual se dá principalmente por meio da ingestão de água e de alimentos contaminados. Ainda, os mesmos frequentemente ocorrem juntos no ambiente, e as possíveis formas de interação destes químicos, tais como efeitos aditivos, sinérgicos ou antagonistas, devem ser amplamente investigadas. Projetos envolvendo estudos experimentais são desenvolvidos nessa linha de pesquisa com o objetivo de definir as possíveis consequências da exposição particular e/ou conjunta sobre os diferentes sistemas e órgãos, utilizando doses relevantes e próximas à exposição ambiental.

Líder: Prof.ª Dra Camila Peres Buzalaf

O Monitoramento Citogenético das Células Tronco Humanas cultivadas tem sido condição indispensável para utilização destes ensaios clínicos devido a possibilidade de desenvolvimento de neoplasia. Paralelamente nosso grupo vem desenvolvendo uma série de ensaios pré-clínicos com intuito de estendê-los em breve, para ensaios clínicos nas áreas médicas e odontológicas.

Líder: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

Os projetos de pesquisa desenvolvidos no Laboratório de Ecologia e Conservação (LECO/USC) tem por missão a ampliação da base conceitual, o desenvolvimento metodológico/tecnológico e a estruturação institucional da área de conservação biológica e ecologia aplicada, tendo como linha mestra de pesquisa a ecologia e adaptação de vertebrados à paisagens agrícolas.

Líder: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

O grupo de pesquisa é composto por professores e por estudantes da Universidade Sagrado Coração (USC) e da UNESP de Botucatu e se dedica aos estudos dos chamados ectoparasitos de peixes de águas interiores. O enfoque de nossas pesquisas é voltado para a biodiversidade, parasitos como indicadores ambientais e novas técnicas e ferramentas para o diagnóstico taxonômico.

Líder: Prof. Dr. Rodney Koslowiski de Azevedo

Constituído por professores de várias instituições de ensino/pesquisa, com formações multidisciplinares, bem como alunos de graduação e pós-graduação. A principal atuação do grupo se concentra em temas como: genética de populações, genética vegetal, banco de sementes, fragmentos florestais, ecossistemas agroecológicos, arborização urbana, educação ambiental, entre outros.

Líder: Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira

O grupo Greentech se dedica às pesquisas para a obtenção de produtos e tecnologias associadas ao controle de poluição ambiental. O foco das pesquisas é o aproveitamento de resíduos industriais e agroindustriais, tornando-os produtos de maior valor agregado, por meio de processos químicos, físicos e biológicos. O estudo sobre tratamento de efluentes industriais também é de interesse deste grupo.

Líder: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Morais Chaves

O principal objetivo do grupo é promover técnicas para o melhoramento das condições físicas, químicas e biológicas do solo com o aproveitamento de resíduos.

Líder: Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo

O grupo de pesquisa materiais e sustentabilidade atua nas linhas de controle de poluição, com ênfase no reaproveitamento de baterias íon-lítio; gerencia e controla os resíduos perigosos, químicos gerados na universidade; atua também na divulgação do conhecimento através de projetos voltados para o ensino médio.

Líder: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

O grupo de pesquisa é composto por docentes da USC e de outras instituições, além de estudantes de Graduação e Pós-Graduação da USC. Desenvolve trabalhos relacionados a novos materiais de interesse na área da saúde e ao ambiente. Os novos materiais de interesse à saúde são desenvolvidos e o desempenho avaliado em modelo animal. Adicionalmente, métodos físicos avançados tais como Ressonância do Spin Eletrônico (RSE), também conhecida como Ressonância Magnética Eletrônica (RME), Análise por Ativação de Nêutrons (NAA) e Espectrometria de massa com plasma acoplado indutivamente (ICP-MS), dentre outras, serão aplicadas a problemas relacionados ao ambiente, tais como impactos ambientais por substâncias detectáveis por estas, dosimetria de radiação ionizante, além da datação de material fóssil, que geralmente resulta em informações temporais associadas a extinção de espécies.

Líder: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

O Grupo de Pesquisa envolve pesquisadores, alunos, estagiários entre outros no desenvolvimento de tecnologia de cultivo de cogumelos comestíveis. Tem como principal atividade a manipulação, desenvolvimento e manutenção de fungos comestíveis e medicinais, bem como de fungos e bactérias patogênicas e/ou contaminantes de ocorrência na fungicultura. Para isso são realizados testes de produtividade, velocidade de crescimento micelial, intensidade e vigor; isolamento e identificação de microrganismos contaminantes para diagnóstico de pragas e doenças; produção de micélio, matrizes e Spawn de fungos comestíveis; e análises microbiológicas de cogumelos, de compostos, de insumos e/ou resíduos agrícolas e agroindustriais.

Líder: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade

Os estudos e pesquisas georreferenciadas em Ciências Agrárias e Ambientais carecem de uniformização e suporte técnico, humano e material. Com a formação do grupo de pesquisa NEPGeo, pesquisadores, alunos e técnicos oferecem suporte uns aos outros, principalmente por apresentar uma equipe multidisciplinar de formação e linha de pesquisa. Constam das proposições do grupo, subgrupos de estudos específicos, palestras, cursos de atualização para os componentes do grupo e comunidade científica em geral, participação em eventos ligados aos temas nacionais e internacionais e suporte aos cursos de Graduação e Pós - Graduação da USC.

Líder: Prof. Dr. Anderson Antônio da Conceição Sartori


Este grupo de pesquisa é composto por professores e por estudantes da Universidade Sagrado Coração (USC) e da UNESP de Botucatu e se dedica aos estudos de parasitologia de peixes de águas interiores com aplicação em diferentes temas: biodiversidade, ecologia do parasitismo, parasito como indicador ambiental e com potencial zoonótico e taxonomia.

Líder: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah

O grupo estuda a ecologia e a diversidade de microrganismos de importância para a agricultura, especialmente agentes fitopatogênicos de importância para culturas de interesse econômico, visando aprimorar as práticas de manejo.de doenças.

Líder: Prof Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Junior

O grupo de estudos em Sistemática e Evolução busca entender os padrões observados em diferentes grupos zoológicos bem como os processos envolvidos no relacionamento e evolução destes grupos. Também busca conhecer a biodiversidade, com especial ênfase em crustáceos, e entender seus padrões de distribuição. A inclusão e estudo de fósseis é um componente informativo e temporal essencial nestes estudos. Além disso, o conhecimento de ciclos de vida e importância biológica das espécies estudadas nas cadeias tróficas faz parte da abordagem complementar das diferentes linhas de pesquisa incluídas neste grupo.

Líder: Prof. Dr. William Ricardo Amâncio Santana

As pesquisas do grupo estão voltadas para o estudo dos problemas reprodutivos que podem ser originados pela exposição a contaminantes ambientais durante o período gestacional, assim como os problemas endócrinos que podem advir desta exposição e as implicações ao sistema reprodutor.

Líder: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez




Fomentos

Bolsas FAPESP em Andamento

MESTRADO

16/01587-3 – Estudo qualitativo e quantitativo dos metazoários parasitos de duas espécies de peixes Siluriformes coletados no rio Jacaré-Pepira, Estado de São Paulo, Brasil.
Beneficiário: Débora Caroline Negrelli
Orientador: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

16/03297-2 – Estudo da morfologia e análise molecular dos parasitos de Geophagus proximus Castelnau, 1855 (Cichlidae, Perciformes) provenientes do reservatório de Ibitinga, médio Rio Tietê, São Paulo, Brasil.
Beneficiário: Rodrigo Severiano Rocha
Orientador: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

2016/00513-6 – Estudo Taxonômico e Molecular dos Nematoides Anisaquídeos coletados em três espécies de peixes usados no preparo de comida japonesa.
Beneficiário: Thaíssa Duarte Serrano
Orientadora: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

INICIAÇÃO CIENTÍFICA

16/23122-2 – Fermentação etanólica de mosto misto de melaço de cana e pasta de milho.
Beneficiário: Giovanni Uema Alcantara
Orientador: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

16/24503-0 – Morfologia funcional das cerdas da carapaça e pereópodos do caranguejo decorador Macrocoeloma trispinosum (Latreille, 1825) (Crustacea: Decapoda: Brachyura)
Beneficiário: Amanda Lopes e Silva
Orientador: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana

17/00598-4 – Estudo dos monogenéticos parasitos da tilápia Oreochromis niloticus (Linnaeus, 1758) coletadas do rio Jacaré-Pepira do estado de São Paulo, Brasil.
Beneficiário: Lúcia do Valle Fragoso
Orientador: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

16/21438-2 – Avaliação do desenvolvimento sexual de ratos machos e fêmeas expostos ao cloreto de tributil-estanho (TBTCl) durante a gestação e lactação, aliado ou não, à suplementação calórica após o desmame.
Beneficiário: Lethycia Almeida Santos
Orientador: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez

16/18131-2 – Avaliação da contaminação por dioxina no desenvolvimento e progressão da obesidade.
Beneficiário: Vitor Leonardo Bassan
Orientador: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

16/17783-6 – Efeito de leucotrienos na obesidade induzida por dioxinas em camundongos 5-LO knockout: um estudo proteômico.
Beneficiário: Isadora de Oliveira Soler
Orientador: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

16/07624-8 – Desenvolvimento de floculante natural a partir do quiabo para clarificação do caldo de cana.
Beneficiário: Letícia Murador Blanco
Orientador: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Costa

16/09275-0 – Diagnóstico de perdas de solo e risco de erosão na sub bacia do alto Batalha no município de Bauru.
Beneficiário: Flávia Luize Pereira de Souza
Orientador: Prof. Dr. Anderson Antonio da Conceicao Sartori

16/16732-9 – Identificação de espécies hospedeiras de Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli, agente causal do crestamento bacteriano comum do feijoeiro.
Beneficiário: Letícia Rodrigues Nogueira
Orientador: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior

16/16596-8 – Dinâmica populacional de Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli, agente causal do crestamento bacteriano do feijoeiro, na rizosfera de plantas daninhas.
Beneficiário: Matheus Carlos Leandrin
Orientador: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior

16/14449-8 – Detecção do marcador de patogenicidade do h. pylori, gene Sabá, análise da expressão e caracterização dos polimorfismos -238 e -850 do gene do fator de necrose tumoral no processo inflamatório gástrico.
Beneficiário: Jéssica Nunes Pereira
Orientador: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen

16/02655-2 – Otimização da produção de beta-glucanase fúngica empregando resíduos agroindustriais.
Beneficiário: Luana do Amaral Bovi
Orientador: Prof.ª Dra. Geisiany Maria de Queiroz Fernandes

16/13009-4 – Identificação de plantas daninhas hospedeiras de Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli, agente causal do crestamento bacteriano do feijoeiro.
Beneficiário: Bianca Cristina Costa Gêa
Orientador: Prof. Dr. Tadeu Antônio Fernandes da Silva Júnior

16/06399-0 – Desenvolvimento e estudo da reação tecidual de um novo biomaterial composto de látex Hancornia speciosa Gomes e nanopartículas de prata.
Beneficiário: Jéssica Mariana Bonete
Orientador: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

15/16400-3 – Palha de sorgo sacarino e sorgo biomassa na formulação de novos compostos para o cultivo do cogumelo Pleurotus ostreatus.
Beneficiário: Otavio Augusto Pessotto Alves Siqueira
Orientador: Prof.ª Dra. Meire Cristina Nogueira de Andrade

15/00207-0 – Levantamento epidemiológico das larvas de anisakidae (Nematoda) parasitos de três espécies de peixes marinhos, comercializados no município de Bauru, estado de São Paulo, Brasil
Beneficiário: Beatriz Narciso Agostinho
Orientador: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

Auxílios à Pesquisa obtidos: FAPESP

16/21040-9 – Biodiversidade dos metazoários parasitos das espécies de peixes dominantes do reservatório da usina hidrelétrica de Ibitinga e de seus dois principais afluentes, os rios Jacaré-Pepira e Jacaré-Guaçu, Estado de São Paulo, Brasil
Responsável: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

12/23655-0 – Biodiversidade dos metazoários parasitos das espécies de peixes dominantes do Rio Batalha, médio Rio Tietê, SP, Brasil 
Responsável: Prof.ª Dra. Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski

16/11460-0 – Efeitos da exposição gestacional e lactacional ao cloreto de tributil-estanho (TBTCl), aliado, ou não, à suplementação calórica após o desmame - investigação do efeito obesogênico sobre a função testicular e parâmetros espermáticos em ratos machos
Responsável: Prof.ª Dra. Carla Dal Bianco Fernandez

15/15483-2 – EPR BioDose 2015
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

15/11371-5 – Análise da expressão de micro RNAs e de genes associados a apoptose e a inflamação nas doenças gástricas: uma possível relação com o Helicobacter pylori
Responsável: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen

14/18306-1 – Genômica da conservação em copaíba (Copaifera langsdorffii Desf.) em diferentes formações vegetacionais da região Centro-oeste do estado de São Paulo.
Responsável: Prof. Dr. Marcos Vinícius Bohrer Monteiro Siqueira

14/12862-0 – Análise da biodiversidade dos mixozoários (Myxozoa: Myxosporea) parasitos das espécies de peixes dominantes do Rio Batalha, médio Rio Tietê, SP, Brasil através da caracterização morfológica, histológica, ultraestrutural e molecular.
Responsável: Prof. Dr. Rodney Kozlowiski de Azevedo

13/01201-0 – Biodiversidade e padrões de endemismo de Majoidea (Crustacea, Decapoda, Brachyura) no Brasil 
Responsável: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana

12/24468-9 – EPRBioDose 2013
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

12/23897-3 – Dieta de canídeos simpátricos e seu papel como dispersores de sementes em uma paisagem silvicultural do Estado de São Paulo
Responsável: Prof.ª Dra. Carla Gheler Costa

12/18333-3 – Caracterização do marcador de patogenicidade dupA, do Helicobacter pylori, genotipagem e análise da expressão dos genes do fator de necrose tumoral e E-caderina em amostras de crianças e adultos com sintomas pépticos
Responsável: Prof. Dr. Lucas Trevizani Rasmussen

10/11381-7 – EPRBiodose 2010
Responsável: Prof. Dr. Angela Mitie Otta Kinoshita

06/60836-1 – Caracterização dos marcadores de patogenicidade cagA e vaca em amostras de placa dental, saliva e mucosa gástrica de pacientes com gastrite
Responsável: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

04/15273-3 – Caracterização dos genes ribossômicos e dos polimorfismos da apolipoproteína AV e das interleucinas 6, 8 e 1ª (alpha) em pacientes com Doença de Alzheimer
Responsável: Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão

03/09505-6 – Uso da ressonância do spin eletrônico (RSE) no estudo da regeneração óssea guiada por membrana de resina de poliuretano e membrana de politetrafluoretileno
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

CNPq

409405/2016-7 – “Efeito da exposição ao metilmercúrio e dioxina nos perfis obeso e diabético de camundongos 5-LO knockout: mecanismos moleculares envolvidos”
Responsável: Prof.ª Dra. Camila Peres Buzalaf

401142/2016-7 – “Em busca das espécies hospedeiras de Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli e Curtobacterium flaccumfaciens pv. flaccumfaciens, principais bactérias patogênicas ao feijoeiro no Brasil."
Responsável: Prof. Dr. Tadeu Fernandes da Silva Junior

429334/2016-8 – “ Estudo do aparelho reprodutor de quatro gêneros de Mithracidae (Crustacea: Decapoda: Brachyura): subsídios para o cultivo em cativeiro”.
Responsável: Prof. Dr. William Ricardo Amancio Santana

442246/2016-1 – “Feira de Ciências e Mostra Itinerante: O despertar de vocações científicas”
Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

471574/2014-7 – “Feira de Ciências e Mostra Itinerante: O despertar de vocações científicas”
Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

420119/2013-2 – “Museu Itinerante de Química: História e Ensino por meio de atividades experimentais”
Responsável: Prof.ª Dra. Beatriz Antoniassi Tavares

459710/2014-1 – “Remediação de sedimentos contaminados com íons Pb por meio de capeamento in situ, visando o controle de poluição ambiental”
Responsável: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Moraes Chaves

459710/2014-1 – “Aproveitamento de resíduo eletrônico visando o controle de poluição ambiental: Baterias de íon-Lítio”
Responsável: Prof.ª Dra. Márcia Rodrigues de Moraes Chaves

478371/2011-0 – “Avaliação da resposta tecidual e desempenho de filme de látex incorporado à nanoparticulas de prata na Regeneração Óssea Guiada.”
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

Fomentos obtidos junto a Empresas

“Aspectos Agroindustriais de Sorgo Sacarino e Biomassa para produção de Bioetanol e Bioenergia” – obtido junto a Nexstep Sementes do Brasil
Responsável: Prof. Dr. Gustavo Henrique Gravatim Rosa

“Avaliação da eficiência do nitrogênio através de bactérias fixadoras na cultura da amoreira” – obtido junto a BRATAC Fiação de Seda
Responsável: Prof. Dr. Thomaz Figueiredo Lobo

“Estudo Morfológico e Composicional de Fios de Seda produzidos pela Indústria Bratac por Microscopia Eletrônica de Varredura - obtido junto a BRATAC Fiação de Seda
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita

“Estudo de Viabilidade para Utilização de Dosímetros de Alanina no PQAEE – Programa de Qualificação Ambiental de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Angra 1” – obtido junto a Eletronuclear
Responsável: Prof.ª Dra. Angela Mitie Otta Kinoshita




Responsabilidade Social

REGER - Redução na geração de resíduos: Projeto de Extensão da Universidade do Sagrado Coração, coordenado por Docentes do Programa. – Saiba mais.

Projeto Flora Urbana: Coordenado por professor do Programa em Ciência e Tecnologia Ambiental cataloga árvores bauruenses. – Saiba mais.

Plantando Sorrisos da USC realiza o terceiro momento no Centro de Progressão Penitenciária III – Saiba mais.

Quarta edição do Plantando Sorrisos da USC apoiou o outubro rosa – Saiba mais.

Feira de ciências e Mostra itinerante – O despertar de vocações científicas. Realizado sob responsabilidade de docente do Programa – Saiba mais.

Plantando Sorrisos 1

Plantando Sorrisos 2




Produção Técnica

Em breve!




Destaques

Estudantes que participam do projeto de Extensão Flora Urbana, sob responsabilidade do docente do Programa, prof Anderson Sartori, montam banco de dados sobre arborização em Bauru – Saiba mais.

Mestrando Élder Bruno Fontes tem seu trabalho premiado no 30º COB - Congresso Odontológico de Bauru na USP – Saiba mais.

Início dos Programas de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado na USC – Saiba mais.

REGER – Redução na Geração de Resíduos – Projeto de Extensão da Universidade do Sagrado Coração, coordenado por Docentes do Probrama. – Saiba mais.

Projeto Flora Urbana coordenado por professor do Programa em Ciência e Tecnologia Ambiental cataloga árvores bauruenses – Saiba mais.

Especialista em Gestão Ambiental diz que impacto de hidrelétrica não compensa energia – Saiba mais.

GEVA Participa da 24ª Semana da Biologia da Unesp de Bauru – Saiba mais.

GEVA Comemora três anos com visita técnica à floresta Estadual de Pederneiras – Saiba mais.

GEVA Visita O Jardim Botânico De Bauru – Saiba mais.

Professor da USC apresentou resultados de pesquisa na Universidade de Cambridge – Saiba mais.

USC lança revista científica na área de Ciência e Tecnologia Ambiental – Saiba mais.

Semana Integrada do meio ambiente de Bauru – Saiba mais.

GEVA promoveu palestra sobre formação de cientistas – Saiba mais.

Aula Inicial dos ingressantes 2016 no Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental – Saiba mais.

Professor do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da USC concede entrevista para para o site universitag sobre bioenergia no Brasi – Saiba mais.

Estudantes do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental consquistaram bolsa FAPESP. Na foto Luanna Munhoz Zabaglia, Mariana Liessa Rovis Sanches, Rodrigo Severiano Rocha e Débora Caroline Negrelli. – Saiba mais.

Congresso Paulista de Ciência e Tecnologia Ambiental: A Universidade do Sagrado Coração (USC) promoverá, nos dias 30 e 31 de maio, o Congresso Paulista de Ciência e Tecnologia Ambiental 2016 (CPCTA-2016), uma iniciativa dos pesquisadores do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da Universidade em parceria com a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES).
“Superando o presente e escrevendo o futuro” é o tema da primeira edição do Congresso que unirá, em um único evento, palestras e mesas-redondas que abarcam os temas: Ambiente e Tecnologia, Diversidade Biológica e Ecologia e, ainda, Saúde, Ambiente e Sociedade. – Saiba mais.

USC lança revista científica na área de Ciência e Tecnologia Ambiental: Dr. Marcos Vinicius Bohrer Monteiro Siqueira, Dr. Herbert Duchatsch Johansen, Dra. Camila Peres Buzalaf , Dr. Edilson Moura Pinto, docentes do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental e o Esp. Murilo Ronchesel, disencte do Programa fazem parte do corpo editoral da revista. – Saiba mais.

Docentes e Discentes do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental lançam livro na área. – Saiba mais.

Professor da USC e discente do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental concede entrevista sobre a necessidade de planos de pavimentação urbana e rural e de drenagem para resolver a questão das enchentes na cidade de Bauru. – Saiba mais.

Curso de redação científica foi realizado na USC pelo Dr. Gilson Volpato. – Saiba mais.

Grupo GEVA da USC promoveu a segunda edição do minicurso de sequenciamento genétic. – Saiba mais.

Professor do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC concede entrevista para o site Biota+10 da FAPESP sobre a importância da copaíba. – Saiba mais.

Plantando Sorrisos da USC realiza o terceiro momento no Centro de Progressão Penitenciária III. – Saiba mais.

Professor do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC apresenta resultados de projeto na sede da FAPESP. – Saiba mais.

Quarta edição do plantando sorrisos da USC apoiou o outubro rosa. – Saiba mais.

Professores do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da USC concedem entrevista para oi programa espaço aberto da TV Câmara. – Saiba mais.

Professor do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC concede entrevista para a rádio Unesp sobre a exposição fotográfica oriunda do projeto plantando sorrisos IV. – Saiba mais.

Professora do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC lança livro sobre a importância da conservação da biodiversidade. – Saiba mais.

Professora do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC concede entrevista para a TV Unesp sobre o uso de plantas não convencionais na alimentação. – Saiba mais.

Professora do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental USC concede entrevista na TV acadêmica USC sobre os projetos plantando sorrisos. – Saiba mais.

Professores do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da USC participaram de autoria de livro didático. – Saiba mais.

Professores do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da USC escreveram um capítulo do livro “Biodiversity in Agricultural Landscapes of Southeastern Brazil. – Saiba mais.

Minicurso “Introdução à Plataforma R” foi realizado na USC – Saiba mais.

Grupo de ecologia vegetal aplicada da USC realizou minicurso sobre restauração florestal – Saiba mais.

USC realizou minicurso de introdução a biologia da conservação – Saiba mais.

Professor da USC é co-autor de artigo – Saiba mais.

Professor da USC é o novo vice-diretor científico da sociedade brasileira de recursos genéticos (SBRG) – Saiba mais.

USC realizou minicurso sobre melhoramento genético de plantas – Saiba mais.

USC tem mais 2 cursos de mestrado. – Saiba mais.

USC realizou aula inaugural do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental com a palestra da Prof.ª Dra. Edivânia Torres (UFPE). – Saiba mais.

Feira de ciências e Mostra itinerante – O despertar de vocações científicas. Realizado sob responsabilidade de docente do Programa. – Saiba mais.

Professores da USC são convidados a participar de programa de pesquisa sobre biodiversidade. – Saiba mais.

Professores da USC são recebidos por pesquisadores da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios de Bauru (APTA). – Saiba mais clicando aqui e aqui.

Grupo de pesquisa da USC estabelece parceria com prefeitura de Lençóis Paulista. – Saiba mais.

Estudantes e professores da USC realizam visita técnica na UNESP de Botucatu. – Saiba mais.

Professores da USC visitaram Centro de Pesquisa Mokiti Okada em Ipeúna (SP). – Saiba mais.

USC recebe visita de pesquisadores do Centro de Pesquisa Mokiti Okada. – Saiba mais.

USC realizou treinamento sobre a utilização de pipetas – Saiba mais.

Professor representa a USC em importante curso sobre conservação ambiental – Saiba mais.

Professor da USC é coautor de capítulo em livro sobre ecologia – Saiba mais.

Grupo de pesquisa geva promoveu minicurso de sequenciamento genético – Saiba mais.

Grupo GEVA da USC promoveu a ação plantando sorrisos – Saiba mais.




Processo seletivo

27/04/2017 a 31/07/2017 – Inscrições e pagamento de taxa

02/08/2017 – Processo seletivo

03/08/2017 – Divulgação dos resultados

De 03/08/2017 a 07/08/2017 – Realização de matrículas

07/08/2017 – Início das aulas

07/02/2018 – Prazo final para apresentação do Certificado de Proficiência

Recomenda-se entrar em contato com a coordenação do Programa até 20/06/2017 para orientações pelo email: angela.kinoshita@usc.br

Inscrição 01x de R$ 100,00
Mensalidades 24x de R$ 900,00
Desconto especial para estudantes egressos da USC* 20%
Desconto especial para estudantes egressos da USC com pontuação > 172***
Desconto de pontualidade* 10%
Docentes e Funcionários da USC*


*Itens não cumulativos.
**Bolsas para funcionários e docentes de acordo com os termos da convenção coletiva da  categoria.
*** Pontuação equivalente ao terceiro colocado do processo seletivo Fevereiro/2017 (item não cumulativo aos demais descontos).

RG 14.951.918-7 - 176,7 pontos

RG 41.450.982-1 - 174,5 pontos


Data da última atualização: 05/09/2017.*informações sujeitas a alterações

Receba nossas notícias
USC - Sagrado Coração

(14) 2107-7000
(14) 99825-8771

© 2017 | USC - Universidade do Sagrado Coração. Todos os direitos reservados.

Site Seguro