Programa de Mestrado em Fisioterapia

Titulação: Mestre

Duração: 02 anos

Entre em Contato: (14) 2107-7199 - strictosensu.prppg@usc.br

Apresentação

O programa de Mestrado Acadêmico em Fisioterapia, com a área de concentração “Fisioterapia em Saúde Funcional”, tem como objetivo geral formar pesquisadores e docentes, em nível de mestrado, considerando que a saúde funcional se destaca como ponto de confluência de saberes, práticas e tecnologias comprometidas com a superação de modelos fisioterapêuticos tradicionais e suas ênfases na atuação curativa.

As linhas de pesquisa e os projetos dos docentes do programa visam investigar, descrever e analisar os aspectos epidemiológicos, biológicos, moleculares e estruturais relacionados à funcionalidade do sistema musculoesquelético e cardiorrespiratório, bem como, propor intervenções fisioterapêuticas nos diferentes níveis de atenção à saúde em todos os ciclos de vida. Assim, objetiva avaliar, manter, prevenir, promover e reabilitar a funcionalidade de cada indivíduo durante todos os ciclos de vida, permitindo independência funcional, maior tempo de produtividade, menor sobrecarga ao sistema previdenciário e serviços de saúde.



Objetivos

Formar docentes/pesquisadores e profissionais no nível de Mestrado Acadêmico em Fisioterapia, com conhecimento científico, para ações de avaliação e intervenção envolvendo a funcionalidade do sistema musculoesquelético, cardiovascular e respiratório nos diferentes níveis de atenção à saúde.


Público-Alvo

Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacional, Educadores Físicos, Psicólogo, Engenheiros e demais profissionais da área afins.


Perfil do Egresso

O perfil do egresso, considerando as especificidades das linhas de pesquisa inseridas na área de concentração, será o de um profissional capacitado para:

  • Atuar como pesquisador crítico-reflexivo, ético e comprometido com ações profissionais de caráter interdisciplinar, associadas à sua área de atuação e capacitado para docência.
  • Desenvolver novas técnicas e instrumentos na prática fisioterapêutica em saúde funcional, baseada em evidências científicas.
  • Aplicar métodos, técnicas e instrumentos de avaliação e protocolos de intervenção em saúde funcional, com base científica.

Requisitos

Ser graduado em Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Educação Física, Psicologia, Engenharia e demais áreas afins.

Data da última atualização: 01/02/2017. *informações sujeitas a alterações



Área de Concentração

Fisioterapia na Saúde Funcional
Estudar os processos de avaliação e intervenção nos sistemas musculoesquelético, cardiovascular e respiratório, objetivando desenvolvimento tecnológico e inovações em Fisioterapia e sua aplicabilidade na funcionalidade, considerando-se os diferentes níveis de atenção à saúde (promoção, prevenção, tratamento e reabilitação).

 Linhas de Pesquisa:

fisioterapia

  • Linha de Pesquisa 1

Avaliação e Intervenção em Fisioterapia no sistema musculoesquelético

Investigar, descrever e analisar os aspectos epidemiológicos, biológicos, estruturais, psicossociais relacionados à funcionalidade do sistema musculoesquelético; desenvolver, adaptar e validar instrumentos de medida e protocolos, bem como, propor intervenções nos diferentes níveis de atenção à saúde.

  • Linha de Pesquisa 2

Avaliação e Intervenção em Fisioterapia cardiovascular e respiratória

Investigar, analisar e descrever os indicadores biológicos, fisiopatológicos, clínicos, funcionais e comportamentais relacionados aos sistemas cardiovascular e respiratório; propor e aplicar intervenções fisioterápicas nos diferentes níveis de atenção à saúde.




Infraestrutura

Laboratórios

Os laboratórios de pesquisas destinados ao desenvolvimento das atividades dos docentes ligados ao Programa de Mestrado Acadêmico em Fisioterapia foram disponibilizados em 2013. O prédio conta com uma área física de 588,94m2. Este espaço conta com sete laboratórios, sendo eles:  Laboratório de imagem corporal, Laboratório da saúde da mulher, Laboratório do núcleo de pesquisa em fisioterapia na saúde comunitária, Laboratório de análise do movimento humano, Laboratório de diagnóstico cinético funcional cardiorrespiratório, Laboratório de intervenção e reabilitação cardiorrespiratória e Laboratório de avaliação funcional. Há, também, 02 (duas) salas equipadas com computadores para os alunos, 01 sala de expurgo, 01 sala de reuniões para docentes, 01 copa, banheiros para docentes e discentes. Abaixo segue descrição:
Localizado no bloco K, campus da USC, com dimensão de 22,45m². São desenvolvidas pesquisas atitudinais, metodológicas e de avaliação e intervenção sobre imagem corporal. O laboratório está equipado com espelho observador, mesa para discussão de grupo focal. A docente possui parceria estabelecida com o Grupo de estudos e pesquisa em imagem corporal, da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas. Equipamento em parceria USC e Laboratório de Pesquisa da UNICAMP: filmadora

Localizado no bloco K, campus da USC, com dimensão de 20,10 m². Este espaço é utilizado para ensaios clínicos em saúde da mulher nos diferentes ciclos de vida. O laboratório é equipado com maca ginecológica, carrinho auxiliar, escada, bolas de Bobath, rolos de posicionamento, perineômetro, eletroestimulador endovaginal, eletrodos vaginal e anal, luvas, preservativos, fraldas geriátricas e absorventes.

Saúde da mulher - DSC_0009

Localizado no bloco K, no campus da USC, com dimensão de 17,90 m², possui equipamentos obtidos exclusivamente por meio de dois Auxílios à Pesquisa FAPESP (06/60908-2R; 2011/20123-4) e dois Editais Universais do CNPq (475743/2008-3; 478188/2011-0), que permitem o desenvolvimento de pesquisas epidemiológicas e de educação em saúde, com enfoque em qualidade de vida, capacidade funcional e atividades de vida diária (AVD) nos diferentes ciclos de vida. O laboratório é equipado com dois computadores, filmadora, máquina fotográfica, gravador, dois oxímetros de pulso, um cardiofrequencímetro, um banco de Wells, um estadiômetro, uma balança digital, um dinamômetro e um adipômetro científico.
Localizado no bloco K, no campus da USC, com dimensão de 29,85 m². Objetivos: este espaço é reservado para o desenvolvimento das avaliações de risco ocupacional em ambientes simulados, avaliação de capacidade funcional/ocupacional e de validade e confiabilidade de medidas diretas. Material existente: maca, dinamômetro de preensão palmar, faixas elásticas e protótipos de caixa. Equipamentos em parceria com as docentes Ana Beatriz de Oliveira e Tatiana de Oliveira Sato da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar): inclinômetros e eletrogoniômetros.

Laboratório de Análise do Movimento Humano -DSC_0046

Localizado no bloco K no campus da USC, divido em duas salas (1 e 2) com dimensões de 7,78 m2 e 15,95 m², respectivamente. Objetivos: O espaço da sala 1 é destinado para realização de testes de função pulmonar. Material existente: esfigmomanômetro, estetoscópio, maca, manovacuômetro e peak flow meter. Material parceria: espirômetro (USC/UFSCar). O espaço da sala 2 é destinado para realização de testes funcionais, ergométricos e ergoespirométricos, de atividades de vida diária (AVD) e de força muscular. Material existente: esfigmomanômetro, estetoscópio, maca, cardiofrequencímetro, oxímetro de pulso e ergômetro portátil (degrau). Material parceria: dinamômetro de preensão palmar e ergoespirômetro (parceria USC/UFSCar; USC/UNESP-Bauru), eletrocardiograma (parceria USC/UFSCar), cardiofrequencímetro (parceria USC/UFSCar; USC/UNESP-Bauru), eletrocardiógrafo (parceria USC/UFSCar; USC/UNESP-Bauru), Monitorização Ambulatorial de Pressão Arterial (MAPA) (parceria USC/UNESP-Bauru).

Laboratorio de Diagnostico Cinético Funcional Cardiorrespiratório - DSC_0033

Localizado no bloco K no campus da USC, com dimensão de 33,55 m². Objetivos: O espaço destinado para a sala 1 é utilizado para a realização dos programas de reabilitação, treinamento físico e condicionamento cardiorrespiratório. Material existente: kit de oxigenoterapia, incentivadores respiratórios, oxímetro de pulso, cardiofrequencímetro, glicosímetro, cicloergômetros, esteiras rolantes e colchonetes.

Laboratório de Intervenção e Reabilitação Cardiorespiratória - DSC_0014

Com área física de 22,45 m2 é utilizado para o desenvolvimento de programas de treinamento muscular periférico visando o fortalecimento e aptidão física. Material existente: colchonetes, aparelho step, halteres, caneleiras, anilhas, barras, faixas elásticas, aparelho supino/mesa extensora e aparelho estação.
Nos Laboratórios Multiusos, utilizados por alunos de graduação e pós-graduação, são disponibilizados horários específicos estabelecidos para as pesquisas que serão desenvolvidas pelos pós-graduandos do programa de Mestrado de Fisioterapia.
Localizado no bloco K, na Clínica de Fisioterapia, no campus da USC, com dimensão de 98 m². A infraestrutura deste Laboratório é constituída de uma piscina aquecida com temperatura da água mantida entre 32oC a 34oC, três profundidades (1m, 1,30m e 1,60m), piso antiderrapante, barras fixas, turbilhões, escada de aço inoxidável, iluminação artificial e natural. Destina-se ao desenvolvimento de atividades relacionadas aos projetos e/ou cursos de extensão, Graduação e Pós-Graduação. O laboratório é equipado com coletes cervicais, tornozeleiras de E.V.A., pesos, aquatubos, flutuadores circulares e cinturões pélvicos, três bicicletas aquáticas (parceria USC/ Hidrobike Comércio de Equipamentos Esportivos Ltda). Os horários e dias destinados para o desenvolvimento de pesquisas são: das 15h às 17h (de segunda à sexta-feira).

Piscinas Terapêuticas - DSC_0023

O laboratório de Morfofisiologia fica localizado no térreo do Bloco C, anexo ao laboratório de anatomia. Possui área de 12m2 (3,48m x 3,45m), com entrada/saída independente do laboratório de anatomia. Será utilizado com o objetivo de desenvolver cirurgias e procedimentos experimentais, visando à pesquisa de técnicas e terapias alternativas para avaliação e reabilitação. Serão realizados procedimentos de indução de lesões e técnicas cirúrgicas para posterior realização de testes e alternativas de avaliação e reabilitação. No laboratório, os animais poderão permanecer em repouso antes e depois da cirurgia, garantindo a observação constante do pesquisador. Nas Terapias Alternativas os animais passarão por protocolos de eletroestimulação, laserterapia e exercícios na piscina experimental e na esteira experimental com finalidade de potencializar a recuperação funcional. Para Análise Funcional serão coletados dados da marcha do animal, ao caminhar sobre a plataforma de análise, calculados pelo índice funcional do nervo isquiático. Este espaço permitirá pesquisar mecanismos de avaliação e recuperação funcional experimental, com lesões nervosas periféricas e musculares e patologias metabólicas, cardíacas e respiratórias. Materiais Existente



Corpo Docente

_0002_alberto Prof. Dr. Alberto de Vitta - Doutor em Educação (UNICAMP)
E-mail: avitta@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Pós-doutorado em Saúde Pública
Currículo Lattes
 
 GeraldoMarcoRosa_ALTA Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Junior - Doutor em Bases Gerais da Cirurgia (UNESP)
E-mail: geraldo.junior@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Bases Gerais da Cirurgia
Currículo Lattes
 
 LeticiaCarnaz_NOVA_ALTA Prof.ª Dra. Leticia Carnaz - Doutora em Fisioterapia (UFSCar)
E-mail: leticia.carnaz@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutora em Fisioterapia
Currículo Lattes
 
 LucileneFerreira_AR Prof.ª Dra. Lucilene Ferreira - Doutora em Educação Física (UNICAMP)
E-mail: lucilene.ferreira@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Educação Física – Atividades Adaptadas
Currículo Lattes
 
 MAmeliaXimenes_AR Prof.ª Dra. Maria Amélia Ximenes Correia Lima - Doutora em Ciências Sociais (PUC/SP)
E-mail: maria.lima@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Ciências Sociais/Antropologia pela PUC/SP
Currículo Lattes
 
 MartaHelena_AR Prof.ª Dra. Marta Helena de Souza De Conti - Doutora em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia (UNESP)
E-mail: marta.conti@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia
Currículo Lattes
 
 RodrigoLeal_AR Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho - Doutor em Ciências (Farmacologia) (USP)
E-mail: rodrigo.carvalho@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Ciências
Currículo Lattes
 
 GabrielaMarini_ALTA Prof.ª Dra. Gabriela Marini - Doutora em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia (UNESP)
E-mail: gabriela.marini@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Ginecologia e Obstetrícia
Currículo Lattes
 
HerbertDuchatsch Prof. Dr. Paulo Sérgio Bossini - Doutor em Fisioterapia
E-mail: paulo.bossini@usc.br
Docente permanente desde o 2º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Fisioterapia (UFSCar)
Currículo Lattes
 
Prof. Dr. Cleber Ferraresi - Doutor em Biotecnologia pela (UFSCar)
E-mail:  cleber.ferraresi@usc.br
Docente permanente desde o 2º semestre de 2016
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Biotecnologi (UFSCar)
Currículo Lattes
 
Prof.ª Dra. Nise Ribeiro Marques - Doutora em em Desenvolvimento Humano e Tecnologias
E-mail: nise.marques@usc.br
Docente permanente desde o 2º semestre de 2016
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia no sistema musculoesquelético
Qualificação: Doutorado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias (New Hampshire, EUA)
Currículo Lattes

 BrunaVaranda_AR Prof.ª Dra. Bruna Varanda Pessoa Santos - Doutora em Fisioterapia (UFSCar)
E-mail: bruna.santos@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória
Qualificação: Doutorado em Fisioterapia
Currículo Lattes
 
 Camila Gimenes_AR Prof.ª Dra. Camila Gimenes - Doutora em Fisiopatologia em Clínica Médica (UNESP)
E-mail: camila.gimenes@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória
Qualificação: Doutorado em Fisiopatologia em Clínica médica (UNESP - Botucatu)
Currículo Lattes
 
 EduardoArca_ALTA Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca - Doutor em Fisiopatologia em Clínica Médica (UNESP)
E-mail: eduardo.arca@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória
Qualificação: Doutorado em Fisiopatologia em Clínica Médica (UNESP/Botucatu).
Currículo Lattes
 
 SilviaBarrile_ALTA Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile - Doutora em Fisiopatologia em Clínica Médica (UNESP)
E-mail: silvia.barrile@usc.br
Docente permanente desde o 1º semestre de 2015
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória
Qualificação: Doutorado em Fisiopatologia em Clínica Médica
Currículo Lattes
 
  Prof. Dr. Antonio Roberto Zamuner - Doutor em Fisioterapia (UFSCar)
E-mail: antonio.zamuner@usc.br
Docente permanente desde o 2º semestre de 2016
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória
Qualificação: Doutorado em Fisioterapia  (UFSCar)
Currículo Lattes




Corpo Discente

Barbara Visciglia Minghini
Aline Neves Paez
Débora Neves
Guilherme Eleutério Alcalde
João Fernando Corazza
Joyce Camila Saltorato
Maria Angelica Saqueti Fambrini
Marieli Matias Ramos
Natalia Silva Pilé
Nicoly Machado Maciel
Terezinha Sasaki Marques.

Alunos em Regime Especial
Murilo Aparecido Silva
Daniel Ryuji Okada
Fernanda Massari Landgraf
Jessica Naira Francisco
Lilian de Melo Barbosa




Coordenação do Programa

Prof. Dr. Alberto De Vitta
Telefone: (14) 2107-7199
E-mail: avitta@usc.br

Prof.ª Dra. Marta Helena de Souza De Conti
Telefone: (14) 2107-7199
E-mail: marta.conti@usc.br

Coordenador: Prof. Dr. Alberto De Vitta
Vice Coordenadora: Prof.ª Dra. Marta Helena Souza De Conti

Docente Representante: Prof.ª Dra Bruna Varanda Pessoa Santos

Docente Suplente: Prof.ª Dra. Leticia Carnaz

Docente Representante: Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior
Docente Suplente: Prof. Dr. Eduardo Agruilar Arca

Docente Representante: Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile
Docente Suplente: Prof. Dr. Rodrigo Leal De Paiva Carvalho

Discente Representante: Bárbara Visciglia Minghini
Discente Suplente: Aline Neves Paez




Estrutura Curricular

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Letícia Carnaza, Prof.ª Dra. Bruna Varanda Pessoa
Ementa: Metodologia estatística para produção, organização, analise e apresentação de dados na área da fisioterapia. Tratamento de dados quantitativos: teste de normalidade; testes paramétricos e não-paramétricos univariados; estatística multivariada. Estudo das técnicas de analise qualitativa. Tratamento de dados qualitativos, confiabilidade e validade de estudos.

Referências Bibliográficas: BEISER, A.; SULLIVAN, L.; D ́AGOSTINO, R. B. Introductory applied Biostatistics. Belmont: Thomson-Brooks/Cole, 2006.
CALLEGARI-JACQUES, S. M. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed, 2007.
DOMHOLDT, E. Physical therapy research: principles and applications. 2th ed. Philadelphia: W.B. Saunders Company, 2000.
FIELD, A. Discovering statistics using IBM SPSS statistics. 4th ed. London: Sage Publications Ltd, 2013.
FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.
GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Tradução: Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2009.
HAIR, J. F. et al. Analise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.
ROSNER, B. Fundamentals of Biostatistics. 7th ed. Belmont: Thomson-Brooks/Cole, 2010.
VIEIRA, S. Bioestatística: tópicos avançados. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
VIEIRA, S. Introdução à Bioestatística. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
JOURNAL OF CLINICAL EPIDEMIOLOGY. New York: Pergamon Press, 2014. Mensal. ISSN 0895-4356. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF ORTHOPAEDIC AND SPORTS PHYSICAL THERAPY. Alexandria: American Physical Therapy Association, 2014. Mensal. ISSN 0190-6011. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014. JOURNAL OF STATISTICAL PLANNING AND INFERENCE. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Bimestral. ISSN 0378-3758. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA = BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Fisioterapia; São Carlos: Ufscar, 2014. Bimestral. ISSN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
SCIENCE (WASHINGTON). Washington: American Association for the Advancement of Science, 2014. Semanal. ISSN 0036-8075. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Lucilene Ferreira, Prof.ª Dra. Gabriela Marini Prata, Prof.ª Dra. Gisele Garcia Zanca.
Ementa: Fundamentação teórica nos diversos procedimentos da investigação científica e os vários tipos de pesquisa na área da saúde; das bases filosóficas da ciência empírica aos aspectos de sua metodologia, estruturação e publicação de artigos científicos. Discussão sobre as normas de regulamentação dos comitês locais e Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), as responsabilidades do investigador e da instituição, conflitos de interesse e a analise ética sobre dos trabalhos de pesquisa em seres humanos e animais.
Referências Bibliográficas: APPOLINARIO, F. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2011.
BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução no 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde, Brasília, DF, 10 out. 1996. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2014.
CARTER, R.; LUBINSKY, J.; DOMHOLDT, E. Rehabilitation research: principles and applications. Philadelphia: Elsevier, 2011.
COHEN, C.; GARCIA, M. Questões de bioética clínica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Bookman: Artmed, 2010.
EL-GUINDY, M. M. Metodologia e ética na pesquisa científica. São Paulo: Santos, 2006. GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
HERNÁNDEZ SAMPIERI, R.; FERNÁNDEZ COLLADO, C.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de pesquisa. Tradução: Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.
MATIAS-PEREIRA, J. Manual de metodologia da pesquisa cientifica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012
MENDONÇA, A. R. dos A. et al. Bioética: meio ambiente, saúde e pesquisa. São Paulo: Iátria, 2011.
RAMOS, D. L. P. Bioética e ética profissional. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2007.
TURATO, E. R. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórica- epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humana. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.
VOLPATO, G. L. Método lógico para redação científica. Botucatu: Best Writing, 2011.
______. Bases teóricas para redação científica. São Paulo: Cultura Acadêmica; Vinhedo: Scripta, 2007.
______. Dicas para redação científica. 3. ed. Botucatu: Cultura Acadêmica, 2010.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
REVISTA BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA = BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Fisioterapia; São Carlos: Ufscar, 2014. Bimestral. ISSN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile, Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior.
Ementa: Contexto histórico, político e social do ensino superior; qualidade e profissionalização; identidade profissional do professor; problemas pedagógicos e específicos do ensino superior. A dimensão dos conteúdos, das habilidades didáticas e a dimensão das relações situacionais. Mediação dialética e pedagógica entre professor e aluno como geradora da relação o entre os processos de ensino e de aprendizagem. Relações entre saber inicial do aluno e elaboração do conceito. Investigação do processo de transformação do conceito e conteúdo de ensino. Universidade e o espaço do professor universitário e seus vínculos com a pesquisa, ensino e extenso.

Referências Bibliográficas

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-graduação. PNPG 2011-2020. Braslia, DF: CAPES, 2010. 2v. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2014.
CAMARGO, M. Filosofia do conhecimento e ensino-aprendizagem. Petrópolis: Vozes, 2004.
DALBEN, A. I. L. F. (Org.). Convergências e tenses no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autentica, 2010.
DEMO, P. Pensando e fazendo educação: inovações e experiências educacionais. Brasília: Liber Livro, 2011.
DILIGENTI, M. P. Avaliação participativa no ensino superior e profissionalizante. Porto Alegre: Mediação, 2007.
GIL, A. C. Didática de Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2006.
LARANJEIRA, M. I. Da arte de aprender ao ofício de ensinar: relato, em reflexo, de uma trajetória. Bauru: EdUSC, 2006.
LOWMAN, J. Dominando as técnicas de ensino. São Paulo: Atlas, 2007.
OLIVIERI, M. de F. A.; OLIVIERI, M. A.; BALLABEN, C. R. Didática e praticas do ensino superior. São Paulo: Globus, 2013.
RIVERO, C. M. L.; GALLO, S. A formação de professores na Sociedade do conhecimento. Bauru: Edusc, 2006.
SEMLER, R.; DIMENSTEIN, G.; COSTA, A. C. G. Escola sem sala de aula. Campinas: Papirus, 2004.
TARDIF M.; Saberes docentes e formação profissional. 7. ed., Petrópolis: Vozes, 2006.
TEIXEIRA, A. B. M. (Org.).Temas atuais em didática. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2010. VEIGA, I. P. A. et al. Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas: Papirus, 2000.

PERIDICOS RECOMENDADOS:
ENSAIO: AVALIAO E POLTICAS PBLICAS EM EDUCAO. Rio de Janeiro: Fundação Cesgranrio, 2014. Trimestral. ISSN 0104-4036. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
INTERFACE: COMUNICAO, SADE, EDUCAO. Botucatu: UNESP, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2014. Trimestral. ISSN 1414-3283. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE EDUCACAO MEDICA. Rio De Janeiro: Associação Brasileira de Educação Médica, 2014. Quadrimestral. ISSN 0100-5502. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAO. Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação; Campinas: Autores Associados, 2014. Trimestral. ISSN 1413-2478. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 2
Docentes Responsáveis: Prof. Dr. Alberto De Vitta, Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca, Prof.ª Dra. Marta Helena Souza De Conti.
Ementa: Desenvolvimento do pensamento crítico, reflexivo e interdisciplinar na construção do conhecimento, com enfoque em temas relacionados à Fisioterapia na Saúde Funcional. Exposição dos projetos pelos alunos para discussão, análise e compartilhamento de conhecimentos. Discussão e análise das etapas previstas na elaboração da dissertação.

Referências Bibliográficas

ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
APPOLINARIO, F. Metodologia das ciências: filosofia e prática da pesquisa. São Paulo: Cengage Learning, 2011.
FÁVERO, A. A.; GABOARDI, E. A. (Coord.). Apresentação de trabalhos científicos: normas e orientações práticas. 5. ed. rev. ampl. Passo Fundo: Ed. da UPF, 2014.
GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
HERNÁNDEZ SAMPIERI, R.; FERNÁNDEZ COLLADO, C.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de pesquisa. Tradução: Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.
KAUARK, F. da S.; MANHÃES, F. C.; MEDEIROS, C. H. Metodologia da pesquisa: um guia prático. Itabuna, BA: Via Litterarum, 2010.
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.
PEREIRA, M. G. Artigos científicos: como redigir, publicar e avaliar. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
AUSTRALIAN JOURNAL OF PHYSIOTHERAPY. Melbourne: Australian Physiotherapy Association, 2014. Trimestral. ISSN 0004-9514. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF REHABILITATION RESEARCH AND DEVELOPMENT. Baltimore: Rehatilitation Research and Development Service, 2014. Bimestral. ISSN 0748-7711. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
PHYSICAL THERAPY. Alexandria: American Physical Therapy Association, 2014. Mensal. ISSN 0031-9023. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
PHYSIOTHERAPY RESEARCH INTERNATIONAL. Hoboken: John Wiley & Sons, 2014. Trimestral. ISSN 1358-2267. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA = BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Fisioterapia; São Carlos: Ufscar, 2014. Bimestral. ISSN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
FISIOTERAPIA E PESQUISA. São Paulo: USP, Faculdade de Medicina, Curso de Fisioterapia, 2014. Trimestral. ISSN 1809-2950. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
FISIOTERAPIA EM MOVIMENTO. Curitiba: PUC-PR, 2014. Trimestral. ISSN 0103-5150. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014

DISCIPLINAS OPTATIVAS

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile, Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca, Prof.ª Dra. Camila Gimenes.
Ementa: Avaliação, analise e interpretação da capacidade funcional; investigação das respostas fisiológicas, metabólicas e hemodinâmicas do treinamento físico; estudo dos processos de intervenção fisioterapêuticas em indivíduos com doenças cardiovasculares.
Referências Bibliográficas

ACLS. Emergências em Cardiologia: Suporte Avançado de Vida em Cardiologia: um guia de estudo. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.
ACSM. Diretrizes do ACSM para os Testes de Esforço e sua Prescrição. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
Dados da Proposta de Programa/Curso Novo
BRANDAO, A. A.; AMODEO, C.; NOBRE, F. Hipertensão. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.
BRAUNWALD, E. et al. Braunwald: tratado de doenças cardiovasculares. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. 2 v.
CINTRA, D. E.; ROPELLE, E.; PAULI, J. R. Obesidade e diabetes: fisiopatologia e sinalização celular. São Paulo: Sarvier, 2011.
COHEN, M.; PARREIRA, P.; BARATELLA, T. V. Fisioterapia Aquática. Barueri: Manole, 2010.
KAHN, C. R. et al. Joslin's diabetes mellitus. 14th ed. Porto Alegre: Artmeds, 2010.
KRIEGER, E. M.; LOPES, G. H. F. Hipertensão arterial: bases fisiopatológicas e a prática. São Paulo: Atheneu, 2013.
MCARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
MELMED, S. et al. Williams textbook of endocrinology. 12. ed. Philadelphia: Saunders, 2011. RAIMUNDO, R. D. Reabilitação cardiovascular e metabólica. São Paulo: Atheneu, 2013. REGENGA, M. Fisioterapia em Cardiologia: da UTI à reabilitação. 2. ed. São Paulo:Roca-Brasil, 2013.
SILVA, J. B.; BRANCO, F. R. Fisioterapia aquática funcional. São Paulo: Artes Médicas, 2011.
TIMERMAN, A.; FERREIRA, J. F. M.; BERTOLAMI, M. Manual de cardiologia. São Paulo: Atheneu, 2012.
ZANESCO, A.; PUGA, G. Doenças cardiometabólicas e exercícios físicos. Rio de Janeiro: Revinter, 2013.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS
AMERICAN JOURNAL OF PHYSIOLOGY: ENDOCRINOLOGY AND METABOLISM. Bethesda: American Physiological Society, 2014. Quinzenal. ISNN 0193-1849. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA. São Paulo, SP: Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2014. Mensal. ISNN 0066-782X. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
DIABETES CARE. Alexandria: American Diabetes Association, 2014. Mensal. ISNN 0149- 5992. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
HYPERTENSION. Hagerstown: Lippincott, Williams & Wilkins, 2014. Mensal. ISNN 0194- 911X. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JACC (JOURNAL OF THE AMERICAN COLLEGE OF CARDIOLOGY). [New York]: Elsevier Biomedical, 2014. ISNN 0735-1097. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE MEDICINA DO ESPORTE. São Paulo: Redprint, 2014. Bimestral. ISNN 1517-8692. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
THE JOURNAL OF CLINICAL ENDOCRINOLOGY E METABOLISM. Chevy Chase: Endocrine Society, 2014. Mensal. ISNN 0021-972X. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Lucilene Ferreira; Prof.ª Bruna Varanda Pessoa Santos.
Ementa: Tipos de medida: direta, indireta e por teoria. Tipos de escala: nominal, ordinal, intervalar, razão. Procedimentos para tradução e adaptação transcultural de escalas atitudinais. Procedimentos para criação de escalas atitudinais. Validade de constructo, critério, conteúdo e face; confiabilidade; sensibilidade e especificidade de medidas diretas e por teoria. Calibração de instrumentos.

Referências Bibliográficas

BORK, C. E. Research in physical therapy. Philadelphia: Lippincott Williams e Wilkins, 1993.
DEVELLIS, R. F. Scale development: theory and applications. Thousand Oaks: Sage Publications, 2003.
DOMHOLDT, E. Physical therapy research: principles and applications. 2nd ed. Philadelphia: Saunders, 2000.
DURWARD, B. R.; BAER, G. D.; ROWE, P. J. (Ed.). Movimento funcional humano: mensuração e analise. Tradução: Eliseanne Nopper. Barueri: Manole, 2001.
ERTHAL, T. C. Manual de psicometria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2012.
FISHER, L. D.; VAN BELLE, G. Biostatistics: a methodology for the health sciences. New York: Wiley-Interscience, 1993.
FLEISS, J. L. The design and analysis of clinical experiments. New York: John Wiley Sons, 1986.
GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Tradução de R. C. Costa. Porto Alegre: Artmed, 2009.
KOBOYOSHI, M. Calibração de instrumentos de medição. São Paulo: SENAI, 2012.
MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.
SWETS, J. A. Measuring the accuracy of diagnostic systems. Science, Washington, v. 240, n. 4857, p. 1283-1293. jun. 1988.
URBINA, S. Fundamentos da testagem psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2007.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
ASSESSMENT. Odessa: Psychological Assessment Resources, 2014. Trimestral. ISNN 1073-1911. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA. São Paulo: Instituto Brasileiro de Avaliação Psicológica, 2014. Semestral. ISNN 1677-0471. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF CLINICAL EPIDEMIOLOGY. New York: Elsevier, 2014. Mensal. ISNN 0895- 4356. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF ORTHOPAEDICS E SPORTS PHYSICAL THERAPY. Washington: Williams And Wilkins, 2014. Mensal. ISNN 0190-6011. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA = BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Fisioterapia, 2014. Bimestral. ISNN 1413- 3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
SCIENCE. Washington: American Association for the Advancem

Créditos: 4
Docentes Responsáveis:  Prof.ª Dra. Camila Gimenes, Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile.
Ementa: Mecanismos envolvidos nas respostas e adaptações ao exercício e treinamento físico; Testes de exercício cardiopulmonar; Protocolos máximo e submáximo; Prescrição de exercícios.

Referências Bibliográficas

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
______. Manual de pesquisa das diretrizes do American College of Sports Medicine para testes de esforço e sua prescrição. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.
FLECK, J. S.; KRAEMER, W. J. Fundamentos do treinamento de força muscular. 3. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2006.
GODOY, M. (Ed.). I Consenso nacional de reabilitação cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 69, n. 4, p. 267-291, out. 1997.
MCARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: nutrição, energia e desempenho humano. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.
MORAES, R. S. (Ed.). Diretriz de Reabilitação Cardíaca. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 84, n. 5, supl. V, p. 431-440, maio. 2005.
HALLAKE, J. Eletrocardiografia. 4. ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2012.
NEDER, J. A.; NERY, L. E. Teste de exercício cardiopulmonar. Jornal de Pneumologia, São Paulo, v. 28, supl. 3, p. S166-S206, out. 2002. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
NEGRÃO, C. E.; BARRETTO, A. C. P. (Ed.). Cardiologia do exercício: do atleta ao cardiopata. 3. ed. Manole: São Paulo, 2010.
PALANGE, P. et al. Recommendations on the use of exercise testing in clinical practice: ERS task force. The European respiratory journal, Copenhagen, v. 29, n. 1, p. 185-209. jan. 2007.
POWERS, S. K.; HOWLEY, E. T. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e desempenho. 6. ed. Barueri: Manole, 2009.
PULZ, C.; GUIZILINI S.; PERES, P. A. T. Fisioterapia em cardiologia: aspectos práticos. São Paulo: Atheneu, 2006
UMEDA, I. I. K. Manual de fisioterapia na reabilitação cardiovascular. Barueri: Manole, 2006.
WASSERMAN, K. Principles of exercise testing and interpretation: including pathophysiology and clinical applications. 5. ed. Lippincott: Willian e Wilkins, 2012.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS
BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia, 2014. Quinzenal. ISNN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
EUROPEAN JOURNAL OF APPLIED PHYSIOLOGY. Berlin; New York: Springer-Verlag, 2014. ISNN 1439-6319. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
EUROPEAN JOURNAL OF PREVENTIVE CARDIOLOGY. London: Sage, 2014. Quinzenal. ISNN 2047-4873. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF APPLIED PHYSIOLOGY. Bethesda: American Physiological Society, 2014. Mensal. ISNN 8750-7587. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF CARDIOPULMONARY REHABILITATION AND PREVENTION. Philadelphia: Lippincott, Williams e Wilkins, 2014. Quinzenal. ISNN 1932-7501. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Bruna Varanda Pessoa, Prof.ª Camila Gimenes.
Ementa: Estudos de diferentes métodos de avaliação e interpretação da capacidade funcional; análise e interpretação das respostas fisiológicas e metabólicas ao treinamento físico e muscular esquelético e respiratório; avaliação do efeito e prescrição de diferentes protocolos de reabilitação pulmonar e intervenção fisioterapêutica em indivíduos com disfunções respiratórias.

Referências Bibliográficas

BRITO, R. R.; BRANT, T. C. S.; PARREIRA, V. F. Recursos manuais e instrumentais em fisioterapia respiratória. 2. ed. Barueri: Manole, 2014.
DOURADO, V. Z. Exercício físico aplicado à reabilitação pulmonar. Rio de Janeiro: Revinter, 2011.
IRWIN, S.; TECKLIN, J. S. Fisioterapia cardiopulmonar. 3. ed. Barueri: Manole, 2003. KNOBEL, E. Condutas no paciente grave. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2000. 2v.
MACHADO, M. G. R. Bases da fisioterapia respiratória: terapia Intensiva e reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
DETURK, W. E.; CAHALIN, L. P. Fisioterapia cardiorrespiratória: baseada em evidências. Porto Alegre: Artmed, 2007.
MCARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
NEDER, J.; NERY, L. E. Fisiologia clínica do exercício. São Paulo: Artes Médicas, 2003. PASCHOAL, M. A. Fisioterapia Cardiovascular. Barueri: Manole, 2010.
POWERS, S. K.; HOWLEY, E. T. Fisiologia do exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e desempenho. 3. ed. Barueri: Manole, 2000.
SARMENTO, G. J. V. ABC da fisioterapia respiratória. Barueri: Manole, 2009.
______. Recursos em fisioterapia cardiorrespiratória. Barueri: Manole, 2012. WEST, J. B. Fisiologia Respiratória. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.
______. Fisiopatologia pulmonar. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.
WILKINS, R. L.; STOLLER, J. K.; KACMAREK, R. M. Fundamentos da terapia respiratória de Egan. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS
BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia, 2014. Quinzenal. ISNN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
CHEST JOURNAL. Northbrook: American College of Chest Physicians, 2014. Mensal. ISNN 0012-3692. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
EUROPEAN JOURNAL OF APPLIED PHYSIOLOGY. Berlin; New York: Springer-Verlag, c2014. ISNN 1439-6319. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF APPLIED PHYSIOLOGY. Bethesda: American Physiological Society, 2014. Mensal. ISNN 8750-7587. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF CARDIOPULMONARY REHABILITATION AND PREVENTION. Philadelphia: Lippincott, Williams e Wilkins, 2014. Quinzenal. ISNN 1932-7501. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
RESPIRATORY CARE. Philadelphia: Lippincott, 2014. Mensal. ISNN 0020-1324. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
THE EUROPEAN RESPIRATORY JOURNAL. Sheffield: European Respiratory Society, 2014. Mensal. ISNN 0903-1936. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Marta Helena Souza De Conti; Prof.ª Dra. Gabriela Marini Prata.
Ementa: Abordagem sobre os processos avaliativos e intervenção na saúde funcional da mulher com enfoque nos contextos físico funcional, socioeconômico, político e cultural. Disfunções mais prevalentes e atuação terapêutica nos diversos níveis de atenção relacionados à saúde da mulher ao longo da vida.

Referências Bibliográficas

BARACAT, E. C.; MELO, N. R. de. Ginecologia baseada em casos clínicos. Barueri: Manole. 2013.
CURY, A. F.; VOLICH, R. M. Segredos de mulher: diálogos entre um ginecologista e um psicanalista. São Paulo: Atheneu, 2010.
FERREIRA, C. H. J. Fisioterapia: teoria e prática clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
GABKA, C. J.; BOHMERT, H. Cirurgia plástica e reconstrutiva da mama. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
HENSCHER, U. Fisioterapia ginecológica. São Paulo: Santos, 2007.
CUNNINGHAM, F. G. et al. Obstetrícia de Williams. 23. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.
LEVENO, K. J. et al. Manual de obstetrícia de Williams: complicações na gestação. 23. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.
MARQUES, A. de A.; SILVA, M. P. P. e. (Org.). Tratado de fisioterapia em saúde da mulher. São Paulo: Roca, 2011.
PALMA, P. C. R. et al. Urofisioterapia: aplicações clínicas das técnicas fisioterapêuticas nas disfunções miccionais e do assoalho pélvico. 2. ed. Campinas: Andreoli, 2014.
SOUZA E. L. B. L. Fisioterapia aplicada a Saúde da Mulher. 5. ed. Guanabara Koogan, 2012.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
BREAST CANCER RESEARCH AND TREATMENT. The Hague, Holanda: Martinus Nijhoff Publishers, 2014. Outras. ISSN 0167-6806. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
CADERNOS DE SAÚDE PUBLICA = REPORTS IN PUBLIC HEALTH. Rio De Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, 2014. Trimestral. ISSN 0102-311X. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
CIENCIA E SAÚDE COLETIVA. Rio De Janeiro: Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletiva, 2014. Semestral. ISSN 1413-8123. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2014.
CLIMACTERIC. Camborne: International Menopause Society, 2014. Bimestral. ISSN 1369- 7137. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
EUROPEAN JOURNAL OF SURGICAL ONCOLOGY. London: Academic Press, 2014. Trimestral. ISSN 0748-7983. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE CANCEROLOGIA. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Cancer, 2014. Trimestral. ISSN 0034-7116. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Rio de Janeiro: Rev e Med, 2014. Bimestral. ISSN 0100-7203. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA (SÃO PAULO) = JOURNAL OF PUBLIC HEALTH. São Paulo: USP, Faculdade de Saúde Pública, 2014. Bimestral. ISSN 0034-8910. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho; Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior; Prof. Dr. Paulo Bossini.
Ementa: Estudo dos mecanismos intracelulares envolvidos no processo de reparo e regeneração neuromuscular para a elaboração de estratégias terapêuticas eficazes na prevenção e tratamento de lesões e disfunções neuromusculares. Compreensão dos fenômenos adaptativos envolvidos nos processos degenerativo e regenerativo da musculatura estriada esquelética e nervos periféricos.

Referências Bibliográficas

AKGUL, T.; GULSOY, M.; GULCUR, H. O. Effects of early and delayed laser application on nerve regeneration. Lasers in medical Science, London, v. 29, n. 1, p. 351-357, jan. 2014.
BATISTA, K. T.; ARAUJO, H. J. Microcirurgia das lesões traumáticas de nervo periférico do membro superior. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, São Paulo, v. 25, n. 4, p. 708-714, out./dez. 2010.
CARVALHO, R. L. P. et al. Effects of Low-Level Laser Therapy (LLLT) and Diclofenac (Topical and Intramuscular) as Single and Combined Therapy in Experimental Model of Controlled Muscle Strain in Rats. Photochemistry and photobiology, Augusta, v. 89, n. 2, p. 508-512, mar./apr. 2013.
CHARGE, S. B. P.; RUDNICKI, M. A. Cellular and Molecular Regulation of Muscle Regeneration. Physiological reviews, Washington, v. 84, p. 209-238, jan. 2004.
FÉLIX, S. P. et al. Comparison between suture and fibrin glue on repair by direct coaptation or tubulization of injured mouse sciatic nerve. Microsurgery, New York, v. 33, n. 6, p. 468-477, sep. 2014.
GEORGIOU, M. et al. Engineered neural tissue for peripheral nerve repair. Biomaterials, Amsterdam, v. 34, n. 30, p. 73357343, oct. 2013.
GHOREISHIAN, M. et al. Facial nerve repair with Gore-Tex tube and adipose-derived stem cells: an animal study in dogs. Journal of maxillofacial and oral surgery, New Delhi, v. 71, n. 3, p. 577-587, mar. 2013.
HAWKE, T. J.; GARRY, D. J. Myogenic satellite cells: physiology to molecular biology. Journal of applied physiology, Bethesda, v. 91, n. 2, p. 534-551, aug. 2001.
JARVINEN, T. A. et al. Muscle injuries: biology and treatment. The American journal of sports medicine, Baltimore, v. 33, n. 5, p. 745-764, may. 2005.
TIDBALL, J. D. Inflammatory processes in muscle injury and repair. American journal of physiology. Regulatory, integrative and comparative physiology, Bethesda, v. 288, n. 2, p. 345-353, feb. 2005.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
JOURNAL OF RECONSTRUCTIVE MICROSURGERY. [New York]: Thieme-Stratton, 2014. ISNN 0743-684X. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
LASERS IN MEDICAL SCIENCE. London: Baillière Tindall, 2014. Bimestral. ISSN 0268- 8921. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
LASERS IN SURGERY AND MEDICINE. New York: Wiley-Liss, 2014. Mensal. ISSN 0196- 8092. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA. São Paulo, SP: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, 2014. Trimestral. ISSN 1983-5175. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
THE AMERICAN JOURNAL OF SPORTS MEDICINE. Baltimore, Williams e Wilkins, 2014. ISNN 0363-5465. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Lucilene Ferreira; Prof.ª Dra. Maria Amélia Ximenes Correia Lima.
Ementa: Estudos e aplicações das medidas de avaliação da capacidade funcional, como as atividades de vida diária (AVDs), atividades instrumentais de vida diária (AIVDs) e mobilidade. Análise do impacto da atividade física na funcionalidade e aspectos psicossociais do movimento na meia idade e velhice.
Referências Bibliográficas

CASH, T. F.; PRUZINSKY, T. (Ed.). Body Image: a handbook of theory, research, and clinical practice. New York: Guilford Press, 2004.
FERREIRA, L. et al. Imagem corporal e velhice. In: FERREIRA, M. E. C.; CASTRO, M. R.; MORGADO, F. F. R. (Org.). Imagem corporal: reflexões, diretrizes e práticas de pesquisa. Juiz de Fora: Ed. da UFJF, 2014.
FERREIRA, L.; SIMÕES, R. Idoso asilado: qual a sua imagem?. Várzea Paulista: Fontoura, 2011.
GOLDENBERG, M. (Org.). Corpo, envelhecimento e felicidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
MAZO, G. Z.; LOPES, M. A.; BENEDETTI, T. B. Atividade física e o idoso: concepção gerontológica. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2009.
NEUGARTEN, B. L. The meanings of age. Chicago: Univesity of Chicago Press, 1996.
PERRACINI, M. R.; FLO, C. M. Funcionalidade e envelhecimento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.
CASH, T. F.; SMOLAK, L. (Ed.). Body Image: a handbook of scienceactice and prevention. New York: Guilford Press, 2011.
MATSUDO, S. M. M. Avaliação do Idoso: física e funcional. 3. ed. São Caetano do Sul: CELAFISCS, 2010.
SCHILDER, P. A imagem do corpo: as energias construtivas da psique. Tradução: Rasanne Wertman. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
WHITBOURNE, S. K.; WHITBOURNE, S. B. Adult development e aging: biopsychosocial perspectives. 2th ed. Hoboken: Wiley, 2005.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
BODY IMAGE. Amsterdam: Elsevier, 2014. Trimestral. ISSN 1740-1445. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
HUMAN MOVEMENT SCIENCE. Amsterdam: Elsevier Science Publishers, 2014. Bimestral. ISSN 0167-9457. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF AGING AND PHYSICAL ACTIVITY. Champaign: Human Kinetics Publishers, 2014. Trimestral. ISSN 1063-8652. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
PERSONALITY AND INDIVIDUAL DIFFERENCES. Maryland Heights: Elsevier, 2014. Mensal. ISSN 0191-8869. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof.ª Dra. Letícia Carnaz, Prof.ª Dra. Maria Amélia Ximenes Correia Lima.
Ementa: Abordagem das principais técnicas quantitativas de avaliação de riscos biomecânicos como inclinometria, eletrogoniometria, eletromiografia e modelagem biomecânica. Intervenções em ambiente ocupacional baseadas em evidências científicas com abordagem ergonômica, organizacional e educacional, visando ao controle de alterações musculoesqueléticas.

Referências Bibliográficas

CHAFFIN, D. B.; ANDERSSON, G. B. J.; MARTIN, B. J. Biomecânica Ocupacional. Tradução Da 3a Edição Norte Americana. Belo Horizonte: Ergo Editora, 2001.
DOMHOLDT E. Physical therapy research: principles and applications. Philadelphia: Saunders Company, 2000.
DUL, J.; WEERDMEESTER, B. Ergonomia prática. São Paulo: Edgard Blücher, 2010.
GRANDJEAN, E. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao Homem. Porto Alegre: Artmed, 2005.
ITIRO, I. Ergonomia: projeto e produção. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2005.
KROEMER, K. H. E.; GRANDJEAN, E. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005
COURY, H. G. Trabalhando sentado: manual de posturas confortáveis. São Carlos: Edufscar, 1994.
DURWARD, B.; BAER, G.; ROWE, P. J. Movimento funcional humano: mensuração e análise. Barueri: Manole, 2001.
KUMAR, S. Electromyography in ergonomics. Edição: Anil Mital. London: Taylor e Francis, 1996.
MERLETTI, R. Electromyography: physiology, engineering, and noninvasive applications. Edição: Philip Parker. Hoboken: Wiley-Interscience, 2004.
PHEASANT, C. M. S. Haslegrave. Bodyspace: anthropometry, ergonomics and the design of work. 3. ed. London: Taylor e Francis, 2006.
PRESTON, D. C.; SHAPIRO, B. E. Electromyography and neuromuscular disorders: clinical- electrophysiologic correlations. 2. ed. Philadelphia: Elsevier, 2005.
RANNEY, D. Distúrbios osteomusculares crônicos relacionados ao trabalho. São Paulo: Roca, 2000.
YOUNG, S. S. Computerized data acquisition and analysis for the life sciences. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
APPLIED ERGONOMICS. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2014. Quinzenal. ISSN 0003- 6870. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
ERGONOMICS. London: Informa Healthcare, 2014. ISSN 0014-0139. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF ELECTROMYOGRAPHY AND KINESIOLOGY: OFFICIAL JOURNAL OF THE INTERNATIONAL SOCIETY OF ELECTROPHYSIOLOGICAL KINESIOLOGY. New York: Raven Press, 2014. Quinzenal. ISSN 1050-6411. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
PHYSICAL THERAPY. Alexandria: American Physical Therapy Association, 2014. Mensal. ISSN 0031-9023. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
SCANDINAVIAN JOURNAL OF WORK, ENVIRONMENT AND HEALTH. Helsinki: Finland Institute of Occupational Health, 2014. Quinzenal. ISNN 0355-3140. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof. Dr. Alberto de Vitta, Prof.ª Dra. Marta Helena de Souza de Conti.
Ementa: Conceitos centrais da epistemologia; Questões teórico-metodológicas para a construção do conhecimento em saúde funcional; Funcionalidade e Promoção de saúde; Determinantes de saúde funcional; Política Nacional de Saúde Funcional; Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde da Organização Mundial da Saúde.

Referências Bibliográficas

ARAUJO, I. L. Curso de teoria do conhecimento e epistemologia. Barueri: Manole, 2012.
AUGUSTO, V. G. et al. Um olhar sobre as LER/DORT no contexto clínico do fisioterapeuta. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 12, n. 1, p. 49-56, jan./fev. 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jun.2014.
CHESANI, F. H. A produção acadêmica em fisioterapia: um estudo de teses a partir dos pressupostos epistemológicos de Fleck. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 22, n. 3, p. 949- 961, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2014.
DOMINGUES, I. Epistemologia das ciências humanas. São Paulo: Loyola, 2004.
GALVÃO, L. A. C.; FINKELMAN, J.; HENAO, S. (Org.). Determinantes ambientais e sociais da saúde. Tradução: Bartira Costa Neves; Maria Cecília Roberto; Mary Felice. Washington, DC: OPAS; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2011.
KANDEL, E. R.; SCHWARTZ, J. H.; JESSEL, T. M. Princípios da neurociência. Barueri: Manole, 2002.
LUZ, M. T.; BARROS, N. F. de. Racionalidades médicas e práticas integrativas em saúde: estudos teóricos e empíricos. Rio de Janeiro: CEPESC-IMSUERJ/ Abrasco, 2012. (Clássicos para a integralidade em saúde).
MARMOT, M. et al. Action on social determinants of health in the Americas. Revista Panamericana de Salud Pública, Washington, v. 34, n. 6, p. 379-381, dec. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2014.
MINAYO, M. C. de S.; DESLANDES, S. F. Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro: Fiocuz, 2003. (Criança, Mulher e Saúde).
NASCIMENTO, M. C. do. et al. A categoria racionalidade médica e uma nova epistemologia em saúde. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 12, p. 3595-3604, dez. 2013. Disponível em:. Acesso em: 10 jun. 2014.
ORO, U. Ciência da motricidade humana: perspectiva epistemológica em Piaget. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.
PRISTA, R. M.; MANOEL, F. Motricidade humana e fisioterapia. São Paulo: All Print, 2004.
SERGIO, M. Para uma epistemologia da motricidade. 2. ed. Lisboa: Compendium,1994.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
AMERICAN JOURNAL OF PUBLIC HEALTH (1971). Boston: American Public Health Association, 2014. Mensal. ISSN 0090-0036. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
CADERNOS DE SAUDE PUBLICA = REPORTS IN PUBLIC HEALTH. Rio De Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, 2014. Trimestral. ISSN 0102-311X. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0102-311X&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 11 jun. 2014.
FISIOTERAPIA EM MOVIMENTO. Curitiba: PUC-PR, 2014. Trimestral. ISSN 0103-5150. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA BRASILEIRA DE FISIOTERAPIA = BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. São Carlos: Associação Brasileira de Fisioterapia; São Carlos: Ufscar, 2014. Bimestral. ISSN 1413-3555. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA DE SAUDE PUBLICA (SAO PAULO) = JOURNAL OF PUBLIC HEALTH. São Paulo: USP, Faculdade de Saúde Pública, 1967-. Bimestral. ISSN 0034-8910. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
REVISTA PANAMERICANA DE SALUD PUBLICA = PAN AMERICAN JOURNAL OF PUBLIC HEALTH. Washington: Organizacion Panamericana de la Salud, 2014. Mensal. ISSN 1020-4989. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

Créditos: 4
Docentes Responsáveis: Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho; Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior; Prof.ª Dra. Camila Gimenes.
Ementa: Técnicas experimentais específicas para cada espécie, abordando os aspectos éticos sobre a utilização de animais e procedimentos na pesquisa experimental. Parâmetros biológicos como comportamento, manejo, reprodução, patologias e biossegurança.
Referências Bibliográficas

CANADIAN COUNCIL ON ANIMAL CARE. Guide for the care and use of experimental animals. 8th ed. Ottawa: Conseil Canadien de Protection de Animaux (CCPA), 2011.
FERREIRA, L. M.; HOCHMAN, B.; BARBOSA, M. V. Modelos experimentais em pesquisa. Acta Cirúrgica Brasileira, São Paulo, v. 20, supl. 2, p. 28-34, 2005.
FIOCRUZ. Animais de laboratório: criação e experimentação. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2002.
FLECKNELL, P. Laboratory animal anestesia. 3rd ed. London: Elsevier Academic Press, c2009. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
HEDRICH, H. J. The laboratory mouse. San Diego: Elsevier Academic Press, 2004.
NEVES, S. N. P.; MANCINI FILHO, J. MENEZES, E. W. de. Manual de cuidados e procedimentos com animais de laboratório do biotério de produção e experimentação da FCF
IQ/USP. São Paulo: FCF-IQ/USP, 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
PETROIANU, A. Ethical Aspects of Animal Research. Acta Cirúrgica Brasileira, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 157-164, jul./set. 1996.
SCHANAIDER, A.; SILVA, P. C. The use of animals in experimental surgery. Acta Cirúrgica Brasileira, São Paulo, v. 19, n. 4, p. 441-447, july./aug. 2004.
UNIFESP. Princípios éticos e práticos do uso de animais de experimentação. São Paulo: UNIFESP, 2004.
WHISHAW, I. Q.; KOLB, B. The behavior of the laboratory rat. New York: Oxford University Press, 2005.

PERIÓDICOS RECOMENDADOS:
ACTA CIRURGICA BRASILEIRA. São Paulo, SP: Escola Paulista de Medicina, Curso de Pós-graduação em Técnica Operatória e Cirurgia Experimental. Trimestral. ISSN 1678-2674. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
ANIMAL: AN INTERNATIONAL JOURNAL OF ANIMAL BIOSCIENCE. Cambridge: Cambridge University Press. ISNN 1751-7311. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
JOURNAL OF EXPERIMENTAL ANIMAL SCIENCE. Amsterdam: Elsevier, 1991-2007. Trimestral. ISNN 0939-8600. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
LABORATORY ANIMALS. London: Laboratory Animals Ltd., 2014. Trimestral. ISNN 0023- 6772. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.
THE VETERINARY RECORD. London: British Veterinary Medicine, 2014. Semanal. ISNN 0042-4900 Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

CRÉDITOS NECESSÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO TOTAL DO PROGRAMA

*Cada crédito corresponde a 15 horas
Disciplinas Obrigatórias: 12 créditos
Disciplinas Optativas: 12 créditos
Atividades Acadêmicas Científicas Complementares (AACC): 04 créditos
Prática Docente: 02 créditos
Dissertação: 26 créditos
Total de créditos: 56 créditos

Critérios de avaliação:

Instrumento Objetivo (Conceitual, Procedimental, Atitudinal) Contexto (Individual ou Coletivo) Valor (peso)
Elaboração de produtos (produção intelectual) Procedimental e Conceitual Individual 4
Discussões clínicas Procedimental e Conceitual Individual 4
Participação (dinâmicas em sala de aula) Conceitual e Atitudinal Individual 2

A avaliação será realizada pela avaliação dos seminários (50% da nota), participação das discussões em sala de aula (50% da nota) e exercícios propostos em sala. Todas as notas variarão de 0 a 10. O desempenho final do aluno será atribuído em forma de conceito.
Notas de 9 a 10: Conceito A-Excelente
Notas de 8 a 8,9: Conceito B-Bom
Notas de 7 a 7,9: Conceito C-Regular
Abaixo de 6,9: Conceito D-Reprovado
Para ser aprovado, além da obtenção do conceito de A, B ou C, o aluno deve ter frequentado no mínimo 75% das aulas dadas.




Documentos de Interesse

  • Estatuto USC : Clique aqui!
  • Regimento Geral da USC : Clique aqui!
  • Regimento PRPPG : Clique aqui!
  • Regulamento de Ética em Pesquisa: Saiba mais!
  • Regulamento da Comissão de Ética no Uso de Animais: Clique aqui!!
  • Regulamento para concessão, renovação, extensão e cancelamento de bolsas/taxas para os programas de Pós-Graduação Stricto Sensu: Clique aqui!
  • Regulamento do Estágio de Docência para Discentes de cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu: Clique aqui!
  • Guia para normatização de dissertações e teses USC: Clique aqui!
  • Requerimento de Defesa de Mestrado: Clique aqui!
  • Requerimento de Qualificação: Clique aqui!
  • Termo de autorização para Publicação: Clique aqui!
  • Termo de Responsabilidade de Entrega de Documentos: Clique aqui!
  • Declaração de Inexistência de Plágio: Clique aqui!
  • Regulamento Programa de Mestrado em Fisioterapia: Clique aqui!
  • Manual de Biossegurança da Clínica de Fisioterapia: Clique aqui!
  • Normas das Clínicas de Fisioterapia: Clique aqui! (Clínica de Fisioterapia e do Laboratório de pesquisa)
  • Normas para o desenvolvimento das pesquisas acadêmicas: Clique aqui!
  • Normas e Critérios para Concessão e Manutenção de Bolsas de Estudo: Clique aqui!



Calendário de qualificações e defesas

Nome: BARBARA VISCIGLIA MINGHINI
Fase:
DEFESA
Nível:
MESTRADO
Programa:
FISIOTERAPIA
Área:
FISIOTERAPIA
Orientador:
Prof.ª Dra. LETICIA CARNAZ
Banca:

Título: CARACTERIZAÇÃO DOS SINTOMAS MUSCULOESQUELÉTICO E EXPOSIÇÃO POSTURAL DA COLUNA VERTEBRAL EM TRABALHO SEDENTÁRIO E DINÂMICO.
Data, horário e local:

Nome: ALINE NEVES PAEZ
Fase: DEFESA
Nível: MESTRADO
Programa: FISIOTERAPIA
Área: FISIOTERAPIA
Orientador: Prof.ª Dra. BRUNA VARANDA PESSOA SANTOS
Banca: Prof.ª Dra. HELEN CRISTINA NOGUEIRA CARRER, Prof.ª Dra. LUCILENE FERREIRA
Título: REGISTROS DAS POSTURAS E MOVIMENTOS DA CABEÇA, TRONCO SUPERIOR E BRAÇOS NA EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA EM INDIVÍDUOS COM DPOC.
Data, horário e local: 23/03/2017 - 9h - L-003

Nome: MARIELI MATIAS RAMOS
Fase: DEFESA
Nível: MESTRADO
Programa: FISIOTERAPIA
Área: FISIOTERAPIA
Orientador: Prof.ª Dra. GISELE GARCIA ZANCA
Banca: Prof.ª Dra. PAULA REZENDE CAMARGO, Prof.ª Dra. LUCILENE FERREIRA
Título: CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DO SENSO DE POSIÇÃO ARTICULAR EM SUJEITOS COM E SEM DOR NO OMBRO.
Data, horário e local: 24/03/2017 - 9h - L-003




Aluno em Regime Especial

  • Poderão ser aceitos, na categoria de alunos especiais não vinculados a Programas de Pós-Graduação, portadores de diploma universitário ou certificado de conclusão de Graduação que desejem cursar disciplinas especificamente escolhidas;
  • O aluno especial, ficará sujeito às mesmas normas do aluno regular, sendo sua admissão condicionada à existência de vaga na (s) disciplina (s) que pretenda cursar;
  •  Ao aluno especial, aprovado em disciplina (s), será conferido certificado de aprovação;
  • No caso de o aluno especial desejar passar à condição de aluno regular, deverá submeter-se às exigências de seleção inicial;
  • O número de vagas para alunos especiais nas disciplinas do Programa poderá ser, no máximo, cem por cento das vagas dos alunos regulares matriculados na disciplina;
  • O aluno especial poderá cursar, no máximo, cinquenta por cento do total das disciplinas do programa;
  • O valor a ser pago irá depender da carga horária total a ser cursada, podendo ser parcelada no número de meses em que ocorrem a(s) disciplina(s).

Documentos exigidos:

  • Requerimento com a solicitação da disciplina que deseja cursar: Clique aqui
  • Cópia da carteira de identidade;
  • Cópia do CPF;
  • Cópia do diploma de Graduação;
  • 01 fotografia ¾ recente.



Cronogramas das Aulas

DISCIPLINAS OPTATIVAS:

SEGUNDA-FEIRA

MANHÃ:
Disciplina: AVALIAÇÕES POR MEDIDAS DIRETA E POR TEORIA - 4 CR
Docentes: Prof.ª Dra. Lucilene Ferreira, Prof.ª Dra. Bruna Varanda Pessoa
Local: Sala L-4
Horário: das 14h às 17h15

TARDE:
Disciplina: ELABORAÇÃO DE DISSERTAÇÃO - TÓPICOS AVANÇADOS EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO - 4 CR
Docentes: Prof. Dr. Rodrigo Leal de Carvalho Paiva, Prof.ª Dra. Sílvia Regine Barrile
Local: A definir
Horário: das 14h às 17h15

NOITE:
ELABORAÇÃO DE DISSERTAÇÃO

TERÇA-FEIRA

MANHÃ:
Disciplina: PROCESSOS AVALIATIVOS E INTERVENÇÃO NA SAÚDE FUNCIONAL DA MULHER - 4 CR
Docentes: Prof.ª Dra. Marta Helena de Souza de Conti, Prof.ª Dra. Gabriela Marini
Local: Sala L-4
Horário: das 14h às 17h15

TARDE:
Disciplina: ASPECTOS CELULARES E MOLECULARES DO REPARO E REGENERAÇÃO NEUROMUSCULAR - 4 CR
Docentes: Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior, Prof. Dr. Rodrigo Leal Paiva Carvalho
Local: Sala L-4
Horário: das 14h às 17h15

NOITE:
ELABORAÇÃO DE DISSERTAÇÃO

SEGUNDA-FEIRA

MANHÃ:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

TARDE:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

NOITE:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

TERÇA-FEIRA

MANHÃ:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

TARDE:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

NOITE:
ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

* Observação: Nos horários que os alunos não estiverem realizando disciplinas optativas deverão ser utilizados para orientação da dissertação ou outras atividades científicas.




Prova de Proficiência

A aprovação pelo pós-graduando em prova de proficiência na língua inglesa é exigida para os Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da USC. Os candidatos que já possuírem comprovante de proficiência em língua inglesa como o TOEFL (mínimo 390 pontos), TOEIC (mínimo 700 pontos), IELTS (mínimo 5,0 pontos), MICHIGAN, IBT, TEAP (mínimo 60%) e FCE, desde que a prova tenha sido realizada nos últimos cinco anos, deverão apresentá-lo para possível dispensa desta etapa do processo seletivo.




Apoio FAPESP

Atribuições

  • Esclarecer dúvidas sobre bolsas e auxílios oferecidos por esta agência de fomento;
  • Auxiliar no preenchimento do seu Currículo Lattes.

FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo -Saiba mais!

Horário de Funcionamento

De Segunda-feira à Quinta-feira das 08h às 12h e das 13h às 18h. Sexta-Feira: 08h às 12h e das 13h às 17h. Telefone: (0**14) 2107-7096

Local
Biblioteca.




Produções

PROJETOS DE PESQUISAS

Docente responsável: Prof. Dr. Paulo Sérgio Bossini
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção em Fisioterapia no Sistema Musculoesquelético.

Descrição: Um dos principais objetivos da ciência é desvendar as leis naturais e, através do desenvolvimento tecnológico, proporcionar melhor qualidade de vida aos seres humanos. Nesta direção, tem sido realizado grande esforço para promover o desenvolvimento de métodos e intervenções terapêuticas eficazes na prevenção de doenças, manutenção do bem-estar e restituição da saúde dos indivíduos. No Brasil, a incidência de traumas vem aumentando e a morte decorrente destes é um grande problema de saúde. Embora o trauma seja mais frequente nas pessoas jovens, as pessoas idosas também são amplamente acometidas, aumentando as taxas de morbidade e mortalidade. Levando em conta este cenário, é fundamental considerarmos a complexidade da problemática que envolve o tratamento de afecções que acometem os sistemas osteomioarticulares e nervoso e que constituem ainda um enorme desafio clínico. Com isso, várias alternativas de tratamento vêm surgindo, entre estas os lasers terapêuticos. Os lasers terapêuticos têm a capacidade de estimular o metabolismo tecidual e diminuir o tempo de resolução de uma lesão. Contudo, se faz necessária a investigação de melhores parâmetros para serem utilizados nos diversos tipos de lesões. Com isso, esse projeto visa avaliar a interação desse recurso com o metabolismo de diferentes tecidos, entre estes o tecido ósseo, cartilaginoso, muscular, tendíneo, dentre outros. Desta forma, será possível estabelecer janelas terapêuticas que possam suportar o desenvolvimento de tratamentos mais seguros e efetivos para a utilização na prática clínica. Com a realização deste projeto, espera-se o desenvolvimento de tecnologias inovadoras e eficazes para o tratamento de lesões teciduais, e que apresentem um baixo custo, gerando com isso, benefícios sociais e econômicos.

Docentes:

  • Dr. Paulo Sérgio Bossini (USC – coordenador)
  • Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho (USC – colaborador)
  • Dr. Geraldo Marco Rosa Junior (USC – colaborador)
  • Dr. Nivaldo Antonio Parizotto (UFSCar – colaborador)
  • Profª. Drª. Ana Claudia Muniz Renno (UNIFESP – colaboradora)
  • Profª. Drª. Mariza Akemi Matsumoto (UNESP – colaboradora)

Discentes:

  • Patrícia Brassolatti (UFSCar – colaboradora)
  • Cintia Cristina Santi Martignago (UFSCar – colaboradora)
  • Amanda Rodrigues Peroto (Aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso – Início: setembro/2015)
  • Bianca Martins Franco (Aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso – Início: setembro/2015)
  • Marina Hiromi Kuroda (Aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso – Início: setembro/2015)

Docente responsável: Profa. Dra. Gisele Garcia Zanca
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Descrição: O complexo articular do ombro é altamente dependente dos estabilizadores dinâmicos e do controle sensório-motor para manutenção de sua estabilidade funcional, devido a sua pequena estabilidade óssea. Sugere-se que desequilíbrios neste sistema podem resultar em importantes déficits funcionais para o membro superior e vêm sendo relacionados a diversas disfunções do ombro. Entretanto, em determinadas populações, como atletas arremessadores, ainda não se sabe quais alterações estão relacionadas a disfunções e quais podem ser consideradas adaptações para desempenho esportivo e/ou prevenção de lesões. Sendo assim, nossos objetivos são: 1) analisar métodos de avaliação do controle sensório-motor e desempenho muscular do ombro em sujeitos sadios, atletas e sujeitos com disfunções; 2) investigar possíveis alterações nestes parâmetros em sujeitos com disfunções do ombro e atletas arremessadores; 3) investigar o efeito de programas de intervenção fisioterapêutica para reabilitação e prevenção de lesões no ombro em populações de risco.

Docentes:

  • Dra. Gisele Garcia Zanca (Coordenadora - USC)
  • Dr. Andrew Karduna (Docente colaborador - University of Oregon)
  • Dra. Stela Márcia Mattiello (Docente colaboradora - UFSCar)

Discentes:

  • Marieli Matias Ramos (Mestrado em Fisioterapia - USC)
  • Bruna Shara Vidal de Oliveira (Aluna de graduação em Fisioterapia - Iniciação científica voluntária - PIVIC/USC)
  • Tamires Maia de Siqueira (Aluna de graduação em Fisioterapia - Iniciação científica voluntária - PIVIC/USC)

Docente responsável: Profª. Drª. Gabriela Marini
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Ano de início: 2015
Considerando que as mulheres são a maioria da população brasileira (50,77%) e as principais usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde elaborou, priorizando neste governo a saúde da mulher, a “Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher – Princípios e Diretrizes”, em parceria com diversos setores da sociedade, entre eles, o movimento de mulheres, sociedades científicas, pesquisadores, estudiosos da área e gestores do SUS. Esta Política reflete o compromisso com a implementação de ações de saúde que contribuam para a garantia dos direitos humanos das mulheres e reduzam a morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis. Considerando esta necessidade, pesquisas envolvendo as áreas de uroginecologia, obstetrícia e mastologia são fundamentais. Objetivos específicos: 1. investigar alterações clínicas e funcionais nas diferentes fases da vida da mulher. 2. promover educação; verificar a prevalência, fatores de risco, prevenção, avaliação e tratamento fisioterapêutico das disfunções uroginecológicas, obstétricas e em oncologia mamária. 3. Verificar a percepção de qualidade de vida global e específica nas mulheres em decorrência da gestação, envelhecimento e patologias como câncer de mama, incontinência urinária e disfunção sexual.

Docentes:

  • Profª. Drª. Gabriela Marini (USC – coordenador)
  • Dr. Alberto De Vitta (USC – colaborador)
  • Profª. Drª. Marta Helena Souza De Conti (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Angélica Mércia Pascon Barbosa (docente externa – UNESP)
  • Profª. Drª Marilza Vieira Cunha Rudge (docente externa – UNESP)
  • Prof Dr. Adonis Hijaz (docente externo- Case Western Reserve University, Cleveland, Ohio, EUA)

Discentes

  • Maria Angélica Saqueti Fambrini (aluna mestrado USC)
  • Ana Vitória Cardoso Xavier de Castro (aluna graduação USC)
  • Joyce Martins Silvestri (aluna graduação USC)
  • Amabily Carolline Zago (aluna graduação USC)
  • Fernanda Piculo (aluna Doutorado-UNESP)
  • Giovana Vesentini (aluna Doutorado-UNESP)
  • Zhina Sadeghi (aluna Doutorado - Case Western Reserve University, Cleveland, Ohio, EUA).

Docente responsável: Profª. Drª. Bruna Varanda Pessoa Santos
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória

Descrição: Pacientes com disfunções cardiovasculares e respiratórias apresentam manifestações locais e sistêmicas relacionadas à enfermidade, tais como limitação ventilatória e disfunção muscular periférica. Consequentemente, esses pacientes apresentam diminuição da capacidade funcional e aumento da dispneia, inicialmente aos grandes esforços e com a progressão da doença, aos mínimos esforços, comprometendo o desempenho na realização das atividades de vida diária e do exercício físico. Essas limitações podem estar relacionadas à perda de peso significativa, fraqueza dos músculos respiratórios, redução da força e endurance dos membros superiores e dos membros inferiores ocasionando aumento da mortalidade e piora da qualidade de vida. Neste contexto, visamos compreender melhor as manifestações presentes nas disfunções cardiovasculares e respiratórias, além de estabelecer estratégias de tratamento. Sendo assim, os objetivos serão: 1. Avaliar o comportamento das variáveis ventilatórias, cardiovasculares, metabólicas, musculares e perceptivas em indivíduos saudáveis e com disfunções cardiorrespiratórias nas condições de repouso e exercício físico (diferentes testes funcionais). 2. Avaliar o comportamento dessas variáveis em diferentes testes funcionais antes e após diferentes programas de intervenção em indivíduos saudáveis e com disfunções cardiorrespiratórias.

Docentes

  • Profa. Dra. Bruna Varanda Pessoa Santos (USC – coordenador)
  • Prof. Dr. Mauricio Jamami (docente externo – UFSCar)
  • Profa. Dra. Valéria Amorim Pires Di Lorenzo (docente externo – UFSCar)
  • Profa. Dra. Tatiana de Oliveira Sato (docente externo – UFSCar)
  • Profa. Dra. Letícia Carnaz (docente interno – USC)
  • Prof. Ms. Bruno Martinelli (docente interno – USC)
  • Profa. Dra. Camila Gimenes (docente interno – USC)
  • Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca (docente interno – USC)
  • Profa. Dra. Silvia Regina Barrile (docente interno – USC)
  • Prof. Dr. Victor Ribeiro Neves (docente interno – USC)

Discentes:

  • Christian Jerônimo da Silva Campos (Aluno Ensino Médio – bolsista de IC/PIBIC-EM/CNPq - 2013/2014)
  • Murieli Fernanda Passarelli Brichi (Aluna de Graduação – bolsista de IC/PIBIC/CNPq – 2013/2014)
  • Tamara de Carvalho Carreira (Aluna de Graduação – bolsista de IC/FAP-USC – 2013/2014)
  • Taísa Paleari Palma (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Letícia Dotto (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Jaquelini Zucchi (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)

Docente responsável: Profa Dra Maria Amélia Ximenes Correia Lima
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético.

Descrição: O aumento da esperança de vida ao nascer e a queda da fecundidade no País, somado à descoberta de novos medicamentos, tecnologias e estilos de vida têm contribuído diretamente para o crescimento da população idosa. Novos desafios surgem decorrentes de questões sociais, políticas e de saúde próprias do envelhecer. Sabe-se que a possibilidade de adoecer não depende somente da idade cronológica, mas também de condições ambientais e emocionais. Dessa forma, a vulnerabilidade depende de inúmeros fatores e é a combinação destes, que determina se o processo de envelhecimento é mais ou menos ativo e produtivo ou mais ou menos marcado por indicadores de fragilidade, dependência ou incapacidade. Considerando que o processo de envelhecimento é complexo e que se inicia desde a concepção, o objetivo geral deste projeto é: 1- Avaliar a qualidade de vida com relação aos aspectos biopsicossociais nas diversas fases do ciclo vital considerando fatores como capacidade funcional, independência, autonomia, ambiente, ocupação, cultura, saúde, doença e educação; 2-  Investigar os efeitos dos fatores que interferem na qualidade de vida durante o processo de envelhecimento e a velhice.; 3- Avaliar, aplicar e validar protocolos e programas de intervenção que tenham como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivenciam as diversas fases do envelhecimento.

Docentes:

  • Profa Dra Maria Amélia Ximenes Correia Lima (USC coordenadora)
  • Profa. Dra. Letícia Carnaz (USC – colaborador)
  • Profa Dra Lucilene Ferreira (USC – colaborador)
  • Profª. Drª. Marta Helena Souza De Conti (USC – colaborador)
  • Prof. Dr. Alberto De Vitta (USC – colaborador)

Discentes:

  • Bianca Lourdes Duarte Rico – (aluna graduação – bolsista IC/ PIVIC 2012-2013)
  • Raíza Quaresma Pedreira – (aluna graduação – bolsista IC/ PIVIC 2012-2013)
  • Rosa Maria Delvescovo – – (aluna graduação – bolsista IC/ PIVIC 2013-2014)
  • Rafaela Fioretto Manchini – (aluna graduação – trabalho de conclusão de curso 2014-2015)

Docente responsável: Profª. Drª. Camila Gimenes
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória

Descrição: As doenças cardiovasculares e respiratórias constituem uma das principais causas de mortes no mundo e também no Brasil. A fisioterapia pode atuar tanto na prevenção quanto no tratamento dessas doenças utilizando-se de diversas técnicas e procedimentos terapêuticos com o objetivo de estabelecer ou restabelecer um padrão cardiovascular e respiratório funcionais, capacitando o indivíduo a realizar as mais diferentes atividades de vida diária sem promover grandes transtornos e repercussões negativas em seu organismo. Diante disso os objetivos desse projeto serão: 1. Avaliar parâmetros cardiorrespiratórios antes e após intervenções fisioterapêuticas; 2. Desenvolver intervenções em pacientes com disfunções cardiovasculares e respiratórias; 3. Estudar em modelos experimentais animais os mecanismos que envolvem as doenças cardiovasculares e respiratórias.

Palavras-chave: função respiratória; função cardiovascular; avaliação; intervenção; modelos experimentais

Docentes envolvidos:

  • Profª Drª Camila Gimenes (USC – coordenadora)
  • Prof. Ms. Bruno Martinelli (USC – colaborador)
  • Profª Drª Silvia Regina Barrile (USC – colaborador)
  • Profª Drª Bruna Varanda Pessoa (USC – colaborador)
  • Profª Drª Eduardo Aguilar Arca (USC – colaborador)
  • Prof. Dr. Victor Ribeiro Neves (USC – colaborador)
  • Prof. Dr. Katashi Okoshi (UNESP – colaborador externo)
  • Profª Drª Marina Politi Okoshi (UNESP – colaborador externo)

Discentes:

  • Ana Jéssica Nunes – (aluna graduação - bolsista de IC/PIVIC 2013-2014)
  • Audrey Vanille – (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Tauane Perez (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Bianca Buitone (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)

Docente responsável: Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória

Descrição: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) se tornaram a principal prioridade na área da saúde no Brasil, sendo que 72% das mortes ocorridas em 2007 foram atribuídas a elas. Apesar da mortalidade bruta causada pelas DCNT ter aumentado 5% entre 1996 e 2007, a mortalidade padronizada por idade diminuiu 20%. A diminuição ocorreu particularmente em relação às doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas, em conjunto com a implementação bem sucedida de políticas de saúde que levaram à redução do tabagismo e à expansão do acesso à atenção básica em saúde. No entanto, é importante notar que atualmente a prevalência de diabetes melitus (DM) e hipertensão arterial (HA) esta aumentando, paralelamente à prevalência de obesidade. Estudos apontam que o exercício físico contribui significativamente para o controle dos fatores de risco das DCNT, assim como, na melhora ou manutenção dos biomarcadores cardiorrespiratórios e funcionais, especificamente em indivíduos com DM, HA e obesidade. Contudo, pouco se sabe da influência de programas de fisioterapia aquática nos biomarcadores cardiorrespiratórios e funcionais de indivíduos com DCNT. Objetivos: 1 - Estudar os processos de avaliação e intervenção aquática no sistema cardiorrespiratório. 2 - Promover o desenvolvimento tecnológico e inovações em fisioterapia aquática e sua aplicabilidade na funcionalidade, considerando-se os seguintes níveis de atenção à saúde: prevenção, tratamento e reabilitação. 3 - Contribuir com a evolução profissional e aprimorar as ações em saúde em indivíduos hígidos ou com DCNT. 4 - Comparar os efeitos de programas de fisioterapia aquática com os programas de exercícios praticados no solo, nos parâmetros cardiorrespiratórios e funcionais de indivíduos hígidos ou com DCNT.

Docentes:

  • Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca (USC – coordenador)
  • Profª. Drª. Silvia Regina Barrile (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Bruna Varanda Pessoa (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Camila Gimenes (USC – colaboradora)
  • Prof. Dr. Victor Ribeiro Neves (USC – colaborador)
  • Prof. Me. Bruno Martinelli (USC – colaborador)
  • Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho (USC – colaborador)
  • Prof. Dr. Luis Cuadrado Martin (docente externo – UNESP -  Botucatu, São Paulo)

Discentes:

  • Bruna Pianna (aluna graduação - bolsista de IC/FAP/USC – 2013/2014)
  • Bianca Ferdin Carnavale (aluna graduação - bolsista de IC/FAP/USC – 2012/2013)
  • Mariana Bigueti Buch (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Júlia Moretto Moratelli (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Natalia Cristina Bacili Faillace (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Mariana Boso Gonçalves (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)

  • Docente responsável: Profª. Drª. Silvia Regina Barrile
  • Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção em fisioterapia cardiovascular e respiratória

Descrição: Na sociedade atual, as questões referentes à saúde pública apontam para um aumento preocupante da incidência de doenças crônicas na população em geral. As doenças crônicas, por ser grave, de evolução lenta e progressiva, necessitam de tratamento e orientações adequadas que permitam prevenir ou retardar as complicações agudas e crônicas da doença. A relação entre hipertensão e diabetes é muito consolidada. A hipertensão é um dos principais fatores para o aparecimento de doença cardiovascular associada ao diabetes que é a principal causa de morbidade e mortalidade na sociedade. Um dos fatores que solidifica esta união entre as doenças é o sedentarismo. Por outro lado, o diabetes 2 também é um fator de risco para o surgimento da hipertensão, pois o indivíduo com este tipo de diabete geralmente é obeso, sedentário, com alimentação desregrada favorecendo assim, o surgimento de doença arterial como a aterosclerose, por exemplo, que obstrui o lúmen do vaso comprometendo a função cardíaca normal podendo causar hipertensão. Assim sendo, o objetivo geral será analisar os parâmetros físico funcional, glicídico, lipídico e mediadores inflamatórios durante o exercício físico (exercício agudo) e no treinamento (condicionamento físico).

Docentes:

  • Profª Drª Silvia Regina Barrile (USC – coordenadora)
  • Prof. Ms. Bruno Martinelli (USC – colaborador)
  • Profª Drª Camila Gimenes (USC – colaboradora)
  • Profª Drª Bruna Varanda Pessoa (USC – colaboradora)
  • Prof Dr Eduardo Aguilar Arca (USC – colaborador)
  • Prof Dr Victor Neves (USC – colaborador)

Discentes:

  • Ingrid Rita Gonçalves – (aluna graduação - bolsista de IC/Pibic/USC – 2012/2013)
  • Caroline Guimarães Martins Valderramas - (aluna graduação - bolsista de IC/Pibic/USC – 2013/2014)
  • Alessandro Domingues Heubel – (aluno graduação - Trabalho de conclusão de curso)

Docente responsável: Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Descrição: A lesão muscular pré e pós-atividade física, a fadiga muscular e a recuperação muscular pós-atividade física são áreas recentes de pesquisa envolvendo Laser Terapia de Baixa Potência (LTBP). Estudos recentes do nosso grupo de pesquisa com LTBP têm demonstrado resultados positivos no reparo do tecido muscular lesado, no retardo da fadiga muscular e nos marcadores bioquímicos relacionados à recuperação muscular quando aplicada após a ocorrência da lesão ou previamente ao exercício, tanto em trabalhos experimentais quanto com humanos. Contudo, diversos fatores ainda permanecem desconhecidos, tais como: doses e parâmetros ideais de aplicação, mecanismos de ação, os efeitos em atividade física de curta e longa duração e os efeitos em longo prazo na recuperação e no reparo do musculoesquelético. Considerando esses pontos, o objetivo geral será avaliar os efeitos da LTBP nestes fatores. Os objetivos específicos serão: 1. Identificar a dose de aplicação ideal da LBP, identificar a melhor potência de aplicação/tempo de irradiação da LBP (a partir da melhor dose) na lesão muscular, no retardo da fadiga muscular e no processo de recuperação musculoesquelética; 2. Avaliar os efeitos em curto e longo prazo da LBP na recuperação musculoesquelética pós-exercício; 3. Avaliar os efeitos da LBP na fadiga muscular e recuperação musculoesquelética em exercícios de curta e longa duração; 4. Criar protocolos de aplicação da LBP.

Docentes:

  • Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho (USC – coordenador)
  • Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior (USC – colaborador)
  • Prof. Livre Docente Rodrigo Álvaro Brandão Lopes-Martins (Docente externo - ICB-USP - São Paulo)
  • Prof. Dr. Alessandro de Moura Zagatto (Docente externo – UNESP - Bauru)
  • Prof. Dr. Ernesto Cesar Pinto Leal Júnior (Docente externo – UNINOVE – São Paulo)

Discentes:
Jéssica de Souza Ribeiro (aluna graduação – bolsista de IC/FAPESP (processo: 2013/22041-0)

Ligiane Souza dos Santos (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)

Docente responsável: Prof. Dr. Alberto De Vitta
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Descrição: As Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde declararam a década atual como à voltada para estudos sobre qualidade de vida, os problemas musculoesqueléticos e incapacidade funcional, com o objetivo de aumentar a compreensão dos mesmos e, consequentemente fomentar e gerar ações que mantenham, melhorem e promovam a qualidade de vida das populações. Considerando esses pontos, o objetivo geral será verificar a importância dos relatos de sintomas musculoesqueléticos e sua associação com a saúde funcional e a qualidade de vida nos diferentes ciclos da vida. Os objetivos específicos serão: 1. Avaliar os sintomas musculoesqueléticos, capacidade funcional e a qualidade de vida nos diversos ciclos de vida e relacionar com os fatores sociodemográgicos, ocupacionais, estilo de vida e saúde referida; 2. Avaliar os efeitos de intervenções preventivas (procedimentos educativos e/ou de exercícios físicos) sobre os determinantes dos sintomas musculoesqueléticos, capacidade funcional e qualidade de vida relacionada à saúde em diferentes ciclos de vida.

Docentes:

  • Prof. Dr. Alberto De Vitta (USC – coordenador)
  • Profª. Drª. Sandra Fiorelli Almeida Penteado Simeão (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Marta Helena Souza De Conti (USC – colaboradora)
  • Prof. MSc. Alexandre Fiorelli (USC – colaborador)
  • Profª. Drª. Fabiana C. F. De Vitta (docente externa – UNESP - Marília)
  • Prof Dr. José Eduardo Corrente – (docente externo – UNESP - Botucatu)
  • Profa Dra Tânia Ruiz – (docente externa – UNESP -  Botucatu, São Paulo)
  • Profa Dra Raquel Lucas – (docente externa – Universidade do Porto, Portugal)

Discentes:

  • Débora M. Trize (Mestranda em Biologia Oral - USC)
  • Natasha M. Quintino (aluna graduação – bolsista de IC/Fapesp – Proc.: 2011/20027-5)
  • Nicole Machado Maciel (aluna graduação – bolsista de IC/Fapesp – Proc.: 2012/19961-8)
  • Angela Juliana Cappeli (aluna graduação - bolsista de IC/Pibic/CNPq – 2012/2013)
  • Luiz Gustavo Padovini Ferreira (aluno graduação - bolsista de IC/Pibic/CNPq – 2013/2014)
  • Nathália Cristina Fraga (aluna do ensino médio – bolsita de IC/PIBIC/EM - 2013/2014
  • Caio Vitor dos Santos Genebra (aluno graduação – Trabalho de conclusão de curso)

Apoio Financeiro:
Fapesp: Auxílio à Pesquisa (processo: 2011/20123-4)

Docente responsável: Profª. Drª. Marta Helena Souza De Conti
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético.

Descrição: Atualmente, as políticas nacionais de saúde da mulher são direcionadas ao atendimento integral com propostas que priorizam a promoção da saúde, além da prevenção e assistência, por meio da Política Nacional de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PNAISM). Estas ações inferem na redução dos agravos por causas preveníeis e evitáveis, sendo um dos enfoques, a atenção obstétrica, o planejamento familiar e a atenção ao abortamento inseguro. Vale ressaltar nas políticas públicas, a efetivação de vários programas direcionados a saúde da mulher como câncer de colo do útero e de mama, atenção o climatério e menopausa e aleitamento materno. Portanto, considerando-se a contextualização de saúde funcional que envolve a própria condição de vida saudável, explorada ao máximo pelas competências (motoras, intelectuais, expressivas, relacionais) das pessoas, segundo suas características físicas ou psicológicas, a saúde da mulher tende a ser vista como uma ação interdisciplinar, que permeia ações de investigação de fatores de risco, avaliações e intervenções em todos os níveis de atenção á saúde e nos vários ciclos da vida. Os objetivos deste projeto serão: 1. Avaliar o nível de informação, fatores de riscos, prevalência de sintomas em situações obstétricas, disfunções ginecológicas, mastológicas e uroginecológicas em mulheres e sua associação com variáveis sociodemográficas, estilo de vida, capacidade funcional, saúde referida e sintomas musculoesqueléticos; 2. Verificar o nível de qualidade de vida relacionada à saúde em mulheres e, sua associação com variáveis demográficas, estilo de vida, capacidade funcional, saúde referida e os sintomas clínicos e músculo-esqueléticos; 3. Promover intervenções e verificar a efetividade das práticas fisioterapeuticas sobre os determinantes de qualidade de vida e sintomas musculoesqueléticos em mulheres.

Docentes:

  • Profª. Drª. Marta Helena Souza De Conti (USC – coordenadora)
  • Prof. Dr. Alberto De Vitta (USC – colaborador)
  • Profª. Drª. Sandra Fiorelli Almeida Penteado Simeão (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Márcia Ap. Nuevo Gatti (USC – colaboradora)
  • Profa Dra Tânia Terezinha Scudeller (UNIFESP- colaboradora)

Discentes:

  • Ticiana Aparecida Alves de Lima (Unicamp-colaboradora)
  • Angela Juliana Cappeli (aluna graduação - bolsista de IC/PIBIC/CNPq – 2012/2013)
  • Thaís dos Santos (aluna graduação - bolsista de IC/PIBIC/CNPq – 2013/2014)
  • Angélica Lima (USC -  colaboradora)
  • Raphael Martins de Abreu (aluno graduação – Trabalho de conclusão de curso- 2014).
  • Luana Cucito Puglerino (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso- 2014).

Docente responsável: Profª. Drª. Letícia Carnaz
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Descrição: As disfunções musculoesqueléticas afetam músculos, tendões, ligamentos e são responsáveis por queixas comuns tanto na população em geral, como para a classe trabalhadora Além disso, representam a principal causa de prejuízo da capacidade para o trabalho. O desenvolvimento dessas alterações está relacionado a uma associação dinâmica entre fatores de risco individuais, biomecânicos e psicossociais. Dentre os fatores biomecânicos, a postura e a atividade muscular têm se apresentado como fator preponderante para o desenvolvimento de doenças musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho. Assim, os objetivos do projeto são: 1. Identificar e avaliar fatores de risco individuais e biomecânicos associados ao desenvolvimento de lesões musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho e seu impacto na capacidade para o trabalho; 2. Avaliar o efeito de intervenções preventivas em indivíduos expostos a fatores de risco para o desenvolvimento de lesões musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho.

Docentes envolvidos:

  • Letícia Carnaz (USC – coordenadora)
  • Roberta de Fátima Carreira Moreira (USC – colaboradora)
  • Maria Amélia Ximenes (USC – colaboradora)
  • Alberto de Vitta (USC – colaborador)
  • Tatiana de Oliveira Sato (UFSCar- colaboradora)
  • Gert-Åke Hansson (Universidade de Lund- colaborador)
  • Lothy Grandquivist (Universidade de Lund- colaboradora)

Discentes:

  • Thaís Benicá (USC- mestranda em Odontologia USC)
  • Ana Beatriz Mott Farah (aluna de graduação – trabalho de conclusão de curso  - USC)
  • Leonardo Belotto (aluno de graduação – trabalho de conclusão de curso  - USC)
  • Camila de Chico (aluna de graduação – trabalho de conclusão de curso  - USC)

Docente responsável: Profa. Dra. Lucilene Ferreira
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético

Descrição: Ao se tratar de saúde funcional, é importante considerar os aspectos psicossociais relacionados ao movimento humano. Desenvolver a função adaptativa do movimento no contexto terapêutico requer do profissional uma visão holística de forma a tratar integralmente as variáveis fisiológicas, psicológicas e sociais que interferem na funcionalidade humana. Um dos aspectos psicossociais de impacto na funcionalidade humana é a Imagem corporal. A Imagem corporal ou esquema corporal é a representação mental que um indivíduo tem de seu próprio corpo. É um fenômeno dinâmico, singular e estruturado na experiência existencial de cada pessoa, sendo modificada ao longo da vida. Situações adversas, como doenças crônicas, incapacidade funcional, pode impactar a imagem que o sujeito faz de si e repercutir negativamente na aderência ao tratamento bem como no enfrentamento da doença e cura. Evidências anteriores apontam forte relação entre exercício físico, imagem corporal e funcionalidade, justificando a necessidade de estudos que abordem a integração dessas variáveis em casos clínicos e não clínicos. O objetivo geral será avaliar o impacto da atividade física na funcionalidade e aspectos psicossociais do movimento humano ao longo da vida, frente a situações clínicas e não clínicas e propor estudos de desenvolvimento e validade de programas, protocolos e, instrumentos de avaliação da funcionalidade e aspectos psicossociais do movimento para utilização na prática clínica.

Docentes

  • Profa. Dra. Lucilene Ferreira (USC coordenadora)
  • Profa. Dra. Marta Helena Souza De Conti (USC colaboradora)
  • Profa. Dra. Letícia Carnaz (USC Colaboradora)
  • Profa. Dra. Bruna Pessoa (USC colaboradora)
  • Profa. Dra. Maria Amélia Ximenes (USC colaboradora)
  • Profa. Dra. Ângela Nogueira Neves Betanho Campana (IPECEFEX - Instituto de Pesquisa do Exercito Brasileiro- colaboradora)

Discentes

  • Angélica Lima (Aluna de graduação – bolsista de IC/ Pibic/CNPq – 2013/2014))
  • Carla Miranda Bordin (Aluna de graduação – bolsista IC/FAP-2013/2014).
  • Amanda Bigaran (Aluna de graduação – bolsista IC/FAPESP-2014/2015).
  • Camila Garcia  (Aluna de graduação – Trabalho de Conclusão de Curso)
  • Alinne Gabrielle Morais Meregui (Aluna de Graduação – Trabalho de Conclusão de Curso)

Docente responsável: Prof. Dr. Victor Ribeiro Neves
Área de Concentração: Fisioterapia na Saúde Funcional
Linha de Pesquisa: Avaliação e Intervenção em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória

Descrição: O sistema cardiorrespiratório e muscular estão interligados como um sistema de engrenagem. Esse sistema de engrenagem tem o papel realizar a captação de oxigênio do meio externo fornecer energia. Energia necessária para a homeostase do organismo. Entretanto, o mau funcionamento de alguma dessas engrenagens impede o bom funcionamento de o sistema. Portanto qualquer disfunção de algum dos sistemas (cardiovascular, respiratório ou muscular) pode levar diversas modificações no estilo de vida das pessoas. Essas modificações levam ao surgimento de sinais de sintomas, dispneia e cansaço aos pequenos e médios esforços, que a limitam na atividade de vida diária do indivíduo. Sendo, investigação das disfunções cardiorrespiratórias por meio de métodos sistemáticos de avaliação visa caracterizar detalhadamente a fisiopatologia dessas doenças durante o repouso e durante o exercício. Adicionalmente, esses métodos nos permite identificar formas de tratamento mais adequado a ser aplicado para cada indivíduo ou grupo, afim de proporcionar a rápida reintegração do mesmo ao seu convívio social e laboral. Dessa forma, os objetivos desse projeto são: (1) caracterizar as variáveis metabólicas, ventilatórias, hemodinâmicas e percepção dos sujeitos saudáveis e com disfunções cardiorrespiratórias e metabólicas por meio de diversos testes funcionais e autonômicos; (2) avaliar e comparar o efeito de diversos protocolos de exercícios físicos terapêuticos e em sujeitos aparentemente saudáveis e em diversas populações com disfunção cardiorrespiratórias e metabólicas.

Docentes:

  • Prof. Dr. Victor Ribeiro Neves (USC – coordenador)
  • Profª. Drª. Camila Gimenes (USC – colaboradora)
  • Profª. Drª. Bruna Varanda Pessoa (USC – colaboradora)
  • Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca (USC – colaborador)
  • Profª. Drª. Sílvia Regina Barrile (USC – colaboradora)
  • Prof. MSc. Bruno Martinelli (USC – colaborador)

Discentes:

  • Ana Heloíse Fendel (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)
  • Jéssica de Cássia Ferreria (aluna graduação – Trabalho de conclusão de curso)

Docente responsável: Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Junior
Linha de pesquisa: Avaliação e Intervenção no Sistema Musculoesquelético.

Descrição: A recuperação de nervos periféricos tem sido estudada por muitos laboratórios em todo mundo, especialmente nas últimas décadas. Com o avanço da tecnologia, a consequente produção de equipamentos mais sofisticados, a microcirurgia vem ganhando cada vez mais espaço no campo da investigação experimental referente ao reparo de nervos periféricos e musculatura estriada esquelética. É sabido que no caso de uma simples secção do nervo, sem perda tecidual, a neurorrafia término-terminal é a técnica de escolha. Porém, numa situação onde ocorre perda de tecido nervoso ou, quando não se tem mais o coto distal do nervo, outras técnicas devem ser empregadas, mesmo porque, não se pode de forma alguma, tracionar o nervo numa tentativa de coaptá-lo novamente. Assim várias técnicas de tubulização utilizando-se de materiais biológicos (vasos, nervos, músculos, pericárdio, veia e músculo combinado, moléculas de adesão) ou não biológicos (tubos de polietileno, silicone) estão sendo testadas com resultados insatisfatórios, principalmente sob o ponto de vista funcional. Ainda hoje, com todo o avanço tecnológico que dispomos, são freqüentes quadros de parestesias e outros complicadores pós-cirúrgicos na área. O objetivo geral é pesquisar por meio de neurorrafias experimentais, a degeneração e a regeneração do tecido nervoso periférico e muscular utilizando-se de protocolos de terapias complementares para recuperação funcional. Os objetivos são: 1- Propor e aplicar protocolos de recuperação funcional de lesões nervosas periféricas experimentais e terapias complementares associadas; 2- Avaliar os aspectos morfológicos e morfométricos da musculatura estriada esquelética e nervos periféricos pós neurorrafia experimental.

Docentes:

  • Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Júnior (USC – Coordenador)
  • Prof.ª Dr.ª Lucilene Ferreira (USC – Colaborador)
  • Prof. Dr. Rodrigo Leal de Paiva Carvalho (USC – Colaborador)
  • Prof. Me. Carlos Henrique Fachin Bortolucci (USC – Colaborador)
  • Prof. Me. Luis Henrique Simionato (USC - Colaborador)
  • Prof. Dr. Fausto Viterbo (Docente Externo – Faculdade de Medicina de Botucatu -FMB/UNESP)
  • Prof. Dr. Rogério Leone Buchaim (Docente Externo – Faculdade de Odontologia de Bauru – FOB/USP - Colaborador)

Discentes:

  • Cleuber Rodrigo de Souza Bueno – Aluno de Graduação – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Thais Caroline Pereira dos Santos – Aluna de Graduação e Iniciação Científica – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Marcella Furtado – Aluna de Graduação – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Alessandro Domingues Heubel – Aluno de Graduação e Iniciação Científica – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Tamara de Carvalho Carreira – Aluna de Graduação – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Juliana Brunetto – Aluna de Graduação – USC – Participante do Grupo de Estudos da Interação Mioneural-GEIM.
  • Rafael Francisco – Aluno Pós-graduação e orientado da especialização em ortopedia e traumatologia – USC.

GRUPOS DE PESQUISA

Líder: Prof. Dr. Bruno Martinelli
Este grupo se inicia com o propósito de contribuir com a comunidade científica da fisioterapia cardiorrespiratória através de estudos que envolvam recursos diagnósticos, avaliativos e terapêuticos. Envolverá pesquisadores da graduação e pós-graduação que estejam interessados nesta área de pesquisa.

Líder: Prof.ª Dra. Nise Ribeiro Marques
Este grupo de pesquisa objetiva investigar os fatores causais e efeito de intervenções terapêuticas em disfunções músculo-esqueléticas, redução da mobilidade e risco de quedas em idosos com a utilização de instrumentação biomecânica como ferramenta de análise. Os resultados de nossos estudos visam corroborar para o desenvolvimento de intervenções preventivas e terapêuticas mais eficazes na fisioterapia.

Líder: Prof.ª Dra. Grasiéla Nascimento Correia
O grupo de pesquisa "Fisioterapia em Saúde da Mulher" tem como objetivo desenvolver projetos de pesquisa quantitativos e qualitativos, relacionado à promoção, prevenção e reabilitação das disfunções dos músculos do assoalho pélvico, dos distúrbios gravídico-puerperais, das algias pélvicas e das complicações oncológicas mamárias e ginecológicas.

Lider: Prof.ª Dra. Letícia Carnaz
O principal interesse de pesquisa do grupo é identificar, analisar e controlar fatores de risco associados ao desenvolvimento de doenças crônicas. Além disso, as pesquisas tem priorizado a ampliação do conhecimento com relevância clínica, em especial àqueles relacionados à saúde comunitária.

Líder: Prof. Dr. Eduardo Aguilar Arca
Nos últimos anos, foram realizadas publicações em periódicos e Congressos e outros eventos acadêmico-científicos (Nacionais e Internacionais).

Líder: Prof.ª Dra. Gabriela Marini
O grupo iniciou seus trabalhados visando aspectos relativos a prevalência de disfunções do assoalho pélvico e diástase do músculo reto abdominal em mulheres em situações ocupacionais, gestantes e no climatério. Outras abordagens são as alterações físicas ocasionadas em mulheres após tratamento para câncer de mama.

Líder: Prof. Dr. Paulo Sérgio Bossini
O presente grupo de pesquisa visa estudar as interações dos agentes eletrofísicos no processo de reparo de diferentes tecidos biológicos. Neste contexto, objetiva-se investigar os aspectos celulares e moleculares envolvidos no reparo tecidual e, assim, estabelecer janelas terapêuticas que possam suportar o desenvolvimento de tratamentos mais seguros e efetivos para a utilização na prática clínica.

Líder: Prof. Dr. Geraldo Marco Rosa Junior
A recuperação de nervos periféricos tem sido estudada por muitos laboratórios em todo mundo, especialmente nas últimas décadas. Com o avanço da tecnologia, a conseqüente produção de equipamentos mais sofisticados, a microcirurgia vem ganhando cada vez mais espaço no campo da investigação experimental referente aos nervos periféricos. É sabido que no caso de uma simples secção do nervo, sem perda tecidual, a neurorrafia término-terminal é a técnica de escolha. Porém, numa situação onde ocorre perda de tecido nervoso ou, quando não se tem mais o coto distal do nervo, outras técnicas devem ser empregadas, mesmo porque, não se pode de forma alguma, tracionar o nervo numa tentativa de coaptá-lo novamente. Assim várias técnicas de tubulização utilizando-se de materiais biológicos (vasos, nervos, músculos, pericárdio, veia e músculo combinado, moléculas de adesão) ou não biológicos (tubos de polietileno, silicone) estão sendo testadas com resultados insatisfatórios, principalmente sob o ponto de vista funcional. Ainda hoje, com todo o avanço tecnológico que dispomos, são freqüentes quadros de parestesias e outros complicadores pós-cirúrgicos na área. Nosso objetivo principal é pesquisar por meio de cirurgias experimentais, a degeneração e a regeneração do tecido nervoso e muscular. Assim, decidimos investir nossos esforços na pesquisa de novas técnicas de reparo do nervo periférico e verificar suas implicações nos músculos por ele inervados. Podem ser introduzidas variáveis, como aplicação de laser na recuperação do nervo, uso de equipamentos de fisioterapia, exercício físico no período pós-cirúrgico, sempre visando a melhora funcional. Em resumo, este grupo de estudo e pesquisa, objetiva fornecer novos dados a respeito da recuperação do nervo periférico, e músculo estriado esquelético, lesados experimentalmente.

Líder: Prof. Dr. Alberto De Vitta
O grupo de pesquisa Qualidade de vida e prevenção têm desenvolvido estudos visando avaliar os sintomas musculoesqueléticos, capacidade funcional e a qualidade de vida nos diversos ciclos de vida e avaliar os efeitos de intervenções preventivas (procedimentos educativos e/ou de exercícios físicos) sobre os determinantes dos sintomas musculoesqueléticos, capacidade funcional e qualidade de vida relacionada à saúde em diferentes ciclos de vida.

Líder: Prof.ª Dra. Bruna Varanda Pessoa
O grupo de Pesquisa "Fisioterapia Cardiorrespiratória" tem por objetivo avaliar as respostas cardiovasculares, metabólicas, musculares, ventilatórias e subjetivas em indivíduos saudáveis e com disfunções cardiorrespiratórias, antes e após intervenções fisioterapêuticas, em todos os níveis de atenção à saúde. Este grupo de pesquisa é interinstitucional (USC/UFSCar).

Líder: Prof.ª Dra. Camila Gimenes
O grupo tem apresentado trabalhos em eventos científicos e publicado trabalhos em revistas da área.

Líder: Prof.ª Dra. Maria Amélia Ximenes Correia de Lima e Prof.ª Dra. Marta Helena Souza De Conti
O trabalho do grupo de pesquisa é fundamentado no estudo do processo de envelhecimento e longevidade em suas as múltiplas dimensões. Tem como objetivo avaliar a qualidade de vida nas diversas fases do ciclo vital considerando fatores como capacidade funcional, independência, autonomia, ambiente, ocupação, cultura, saúde, doença e educação e investigar os efeitos dos fatores que interferem na qualidade de vida durante o processo de envelhecimento e a velhice. A produção do grupo é publicada em Congressos, Seminários, revistas e periódicos científicos da área.

Líder: Prof.ª Dra. Marta Helena Souza De Conti
O grupo de pesquisa intitulado PROMOÇÃO E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DA MULHER visa articular o conhecimento no ensino (graduação), extensão e pós-graduação com pesquisas relacionadas à promoção e assistência a saúde da mulher, nas diferentes ciclos de vida, enfocando situações obstétricas, ginecológicas, mastológicas e urológicas.

Líder: Prof. Dr. Rodrigo Leal Paiva de Carvalho
A) Identificar a dose de aplicação ideal da LBP, identificar a melhor potência de aplicação/tempo de irradiação da LBP (a partir da melhor dose) na lesão muscular, no retardo da fadiga muscular e no processo de recuperação musculoesquelética; B) Avaliar os efeitos em curto e longo prazo da LBP na recuperação musculoesquelética pós-exercício; C) Avaliar os efeitos da LBP na fadiga muscular e recuperação musculoesquelética em exercícios de curta e longa duração; D) Criar protocolos de aplicação da LBP.

Líder: Prof.ª Dra. Silvia Regina Barrile
O Núcleo de Pesquisa em Doença Metabólica Crônica iniciou com um grupo de estudos vinculado ao Projeto de Extensão interinstitucional Programa de atendimento ao paciente com diabetes mellitus e o Estágio Supervisionado de Reabilitação em Fisioterapia cardiorrespiratória no qual há o Programa de atendimento ao paciente hipertenso e Reabilitação do paciente com DPOC, oferecidos pela disciplina de Fisioterapia Aplicada à Cardiorrespiratória da Universidade do Sagrado Coração (USC). Com o objetivo de implantar um programa permanente de assistência ao portador de doença metabólica crônica, desenvolvido pela USC, melhorar qualidade de vida desses indivíduos, produzir conhecimento científico e estudar os processos de adaptação ao exercício físico.

Líder: Prof.ª Dra. Maria Amélia Ximenes Correia Lima
O aumento da esperança de vida ao nascer e a queda da fecundidade no País, somado à descoberta de novos medicamentos, tecnologias e estilos de vida têm contribuído diretamente para o crescimento da população idosa. Novos desafios surgem decorrentes de questões sociais, políticas e de saúde próprias do envelhecer. Sabe-se que a possibilidade de adoecer não depende somente da idade cronológica, mas também de condições ambientais . e emocionais. Dessa forma, a vulnerabilidade depende de inúmeros fatores e é a combinação destes, que determina se o processo de envelhecimento é mais ou menos ativo e produtivo ou mais ou menos marcado por indicadores de fragilidade, dependência ou incapacidade. Considerando que o processo de envelhecimento é complexo e que se inicia desde a concepção, o objetivo geral deste projeto é: 1- Avaliar a qualidade de vida com relação aos aspectos biopsicossociais nas diversas fases do ciclo vital considerando fatores como capacidade funcional, independência, autonomia, ambiente, ocupação, cultura, saúde, doença e educação; 2- Investigar os efeitos dos fatores que interferem na qualidade de vida durante o processo de envelhecimento e a velhice.; 3- Avaliar, aplicar e validar protocolos e programas de intervenção que tenham como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivenciam as diversas fases do envelhecimento.

Líder: Prof.ª Dra. Lucilene Ferreira
O trabalho do grupo de pesquisa fundamenta-se em estudar os elementos do processo saúde-doença observando o desenvolvimento das pessoas em três dimensões: físico, emocional e social; possibilita a compreensão dos aspectos inerentes a construção e desenvolvimento da imagem corporal e suas implicações na saúde. Através de uma ação preventiva, a produção do Grupo de Pesquisa busca intervir na saúde global com vistas a melhoria da qualidade de vida do indivíduo. A produção do grupo é publicada em Congressos, Seminários, revistas e periódicos científicos.




Processo seletivo

Em Breve!

ITEM VALOR
Inscrição 1x de R$ 100,00
Mensalidades 24x de R$ 900,00
Desconto especial para estudantes e Egressos da Universidade do Sagrado Coração* 20%
Desconto de pontualidade* 10%
1 bolsa para Egresso da Universidade do Sagrado Coração, melhor classificado neste edital 50%
1 bolsa para Egresso da Universidade do Sagrado Coração, segundo melhor classificado neste edital 40%
1 bolsa para Egresso da Universidade do Sagrado Coração, terceiro melhor classificado neste edital 30%
Bolsas e taxas CAPES** A definir
Docentes e funcionários da Universidade do Sagrado Coração*** Bolsas para funcionários e docentes de acordo com os termos da convenção coletiva da categoria A definir

*Itens não cumulativos.
**Disponíveis para estudantes matriculados que concorrerem no Edital de Bolsas e
Taxas vigente.


Receba nossas notícias
USC - Sagrado Coração

(14) 2107-7000
(14) 99825-8771

© 2017 | USC - Universidade do Sagrado Coração. Todos os direitos reservados.

Site Seguro