Engenharia de Computação

Titulação: Bacharel

Duração: 4 anos

Lançamento: 2010

Período: Noturno

Reconhecimento: Portaria MEC – Nº 295 de 08/07/2016 Avaliação do MEC: Nota 4

Sobre o Curso

O engenheiro de computação projeta e constrói computadores, periféricos e sistemas que integram hardware e software. É também responsável pela produção de novas máquinas e equipamentos computacionais para serem utilizados em diversos setores.

Na USC, o bacharel em Engenharia de Computação tem uma formação generalista, humana, crítica e reflexiva, capacitando-o a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas.

Grade Curricular

Disciplina Carga Horária
Cálculo: Limite e Derivada 72 Horas
Física Cinemática e Dinâmica: Teórica e Prática 72 Horas
Introdução à Engenharia de Computação 72 Horas
Introdução à Lógica 72 Horas
Métodos e Técnicas da Pesquisa 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Cálculo: Integração com uma Variável 72 Horas
Comunicação e Expressão 72 Horas
Ética e Cultura Religiosa 72 Horas
Física Hidrostática e Termologia: Teórica e Prática 72 Horas
Linguagens de Programação 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Cálculo: Funções com Várias Variáveis 72 Horas
Engenharia de Software 36 Horas
Estrutura de Dados 72 Horas
Física Eletrodinâmica e Eletromagnetismo: Teórica e Prática 72 Horas
Geometria Analítica e Álgebra Linear 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Banco de Dados 72 Horas
Cálculo: Equações Diferenciais 72 Horas
Circuitos Elétricos 36 Horas
Economia e Organização Industrial 36 Horas
Redes e Sistemas Distribuídos 72 Horas
Teoria dos Grafos 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Cálculo Numérico 72 Horas
Circuitos Digitais 36 Horas
Computação Gráfica 72 Horas
Estatística 72 Horas
Linguagens Formais, Autômatos e Computabilidade 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Aplicações de Sistemas Analógicos e Digitais 72 Horas
Compiladores 72 Horas
Eletiva I 72 Horas
Eletrônica 72 Horas
Inteligência Artificial 72 Horas
Disciplina Carga Horária
Análise e Processamento de Sinais 72 Horas
Eletiva II 72 Horas
Empreendedorismo 72 Horas
Estágio 200 Horas
Pesquisa de Prática em Engenharia de Computação 36 Horas
Princípios de Telecomunicações 36 Horas
Trabalho de Conclusão de Curso I 36 Horas
Disciplina Carga Horária
Atividades Acadêmico-Científico-Culturais 228 Horas
Automação e Controle 36 Horas
Ciência do Meio Ambiente 36 Horas
Eletiva III 72 Horas
Sistemas Embarcados 36 Horas
Sistemas Operacionais 72 Horas
Sociologia da Responsabilidade Social 72 Horas
Trabalho de Conclusão de Curso II 36 Horas

Recursos Disponíveis

  • Laboratório de automação e controle
  • Laboratório de Ciências dos Materiais
  • Laboratório de eletrotécnica
  • Laboratório de Física
  • Laboratório de projetos
  • Laboratório de Química
  • Laboratório Multidisciplinar de Computação
  • Anfiteatros
  • Auditórios
  • Biblioteca
  • Estacionamento
  • Laboratórios Móveis de Informática
  • Laboratórios de Informática
  • Lanchonetes
  • Núcleo de Pesquisa e História da Universidade do Sagrado Coração – NUPHIS
  • Quadra poliesportiva
  • Rede Wireless
  • Restaurante
  • Salas de aula climatizadas e equipadas com multimídia e computador
  • SIAGE
  • Teatro Veritas


Atividades do Curso

  • Jornadas
  • Projetos de Extensão
  • Iniciação Científica
  • Grupos de Estudo
  • Estágios obrigatórios
  • Estágios não-obrigatórios
  • Visitas Técnicas


Você Sabia?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Computação (SBC), os Engenheiros de Computação disponibilizam para a sociedade produtos de eletrônica de consumo, de comunicações e de automação (industrial, bancária e comercial). Eles desenvolvem também sistemas de computação embarcados em aviões, satélites e automóveis, para realizar funções de controle.

De acordo com o artigo 1º da RESOLUÇÃO Nº 380, de 17 de Dezembro de 1993, que discrimina as atribuições provisórias dos Engenheiros de Computação ou Engenheiros Eletricistas com ênfase em Computação e dá outras providências, compete ao Engenheiro de Computação ou Engenheiro Eletricista com ênfase em Computação o desempenho das atividades do Artigo 9º da Resolução nº 218/73, acrescidas de análise de sistemas computacionais, seus serviços afins e correlatos. Ainda de acordo com o Artigo 2º desta mesma resolução, os Engenheiros de Computação integrarão o grupo ou categoria da Engenharia - Modalidade Eletricista.

Art. 9º da RESOLUÇÃO Nº 218, de 29 de junho de 1973, que discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia: compete ao Engenheiro Eletrônico ou ao Engenheiro Eletricista, Modalidade Eletrônica ou ao Engenheiro de Comunicação: I - o desempenho das atividades 01 a 18 do artigo 1º desta Resolução, referentes a materiais elétricos e eletrônicos; equipamentos eletrônicos em geral; sistemas de comunicação e telecomunicações; sistemas de medição e controle elétrico e eletrônico; seus serviços afins e correlatos.

Ainda de acordo com a LEI Nº 5.194, de 24 de dezembro 1966, que regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências, definem no Artigo 7º as atividades e atribuições profissionais do engenheiro, do arquiteto e do engenheiro-agrônomo:

  • Desempenho de cargos, funções e comissões em entidades estatais, paraestatais, autárquicas, de economia mista e privada;
  • Planejamento ou projeto, em geral, de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes, explorações de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária;
  • Estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica;
  • Ensino, pesquisas, experimentação e ensaios;
  • Fiscalização de obras e serviços técnicos;
  • Direção de obras e serviços técnicos;
  • Execução de obras e serviços técnicos;
  • Produção técnica especializada, industrial ou agropecuária.

De acordo com os referenciais nacionais dos cursos de engenharia, o Engenheiro de Computação é um profissional de formação generalista, que atua na Informática Industrial e de Redes Industriais, Sistemas de Informação aplicados à Engenharia, Sistemas de Computação e Computação Embarcada.

Especifica, desenvolve, programa, adapta, industrializa, instala e mantém sistemas computacionais, bem como perfaz a integração de recursos físicos e lógicos necessários para o atendimento das necessidades informacionais, computacionais e da automação de organizações em geral.

Além disso, projeta, desenvolve e programa equipamentos e dispositivos computacionais, periféricos e sistemas que integram hardware e software; produz novas máquinas e equipamentos computacionais; desenvolve produtos para serviços de telecomunicações, como os que fazem a interligação entre redes de telefonia.

Planeja e programa redes de computadores e seus componentes, como roteadores e cabeamentos.

Coordena e supervisiona equipes de trabalho, realiza estudos de viabilidade técnico-econômica, executa e fiscaliza obras e serviços técnicos; efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em suas atividades, considera a ética, a segurança, a legislação e os impactos ambientais.

 


Informações Adicionais

Geral

O curso de Engenharia de Computação tem como objetivo formar o engenheiro com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade, conforme orientam as Diretrizes Curriculares Nacionais.

Específicos

  • Formar profissionais preparados para atuar como empreendedores, pesquisadores ou profissionais liberais nas esferas pública ou privada, em diferentes escalas de planejamento, construção, operação e manutenção de sistemas computacionais.
  • Formar profissionais com sólida formação em Ciência da Computação, Matemática e Engenharia Elétrica, visando o projeto de sistemas de computação, em particular, sistemas embarcados.
  • Formar profissionais que sejam reflexivos na construção de sistemas de computação por entender que eles atingem direta ou indiretamente as pessoas.
  • Formar profissionais que entendam o contexto social no qual a Engenharia é praticada, bem como os efeitos dos projetos de Engenharia na Sociedade.
  • Formar profissionais que considerem fundamental a inovação e a criatividade.

O desempenho escolar é avaliado por meio do acompanhamento contínuo do estudante e dos resultados por ele obtidos nas provas parciais de avaliação de conhecimento, nos exercícios e atividades escolares ou outras formas de avaliação definidas pela universidade.

O aproveitamento em cada disciplina é obtido por meio de avaliações parciais ao longo do período letivo e avaliação final, expressando-se o resultado de cada avaliação em notas de 0 (zero) a 10,0 (dez). Para cada uma das avaliações parciais, são atribuídos pesos informados nos planos de ensino de cada disciplina.

Será considerado aprovado, independentemente de avaliações finais, o estudante que obtiver frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) das atividades da disciplina e média ponderada das avaliações parciais igual ou superior a 7,0 (sete).

Deverá realizar a avaliação final o estudante que tiver obtido o mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de frequência às atividades da disciplina e média das avaliações maior ou igual a 5,0 (cinco) e menor do que 7,0 (sete).

Nas disciplinas de caráter prático ou em estágios curriculares obrigatórios não haverá avaliação final, exceto se previsto no projeto pedagógico do curso, sendo aprovado o estudante que obtiver média das avaliações parciais, maior ou igual a 7,0 (sete).

Será aprovado o estudante que, submetendo-se à avaliação final, obtenha a média aritmética entre as avaliações parciais e a nota obtida na avaliação final, igual ou superior a 5,0 (cinco).

Será considerado reprovado o estudante que:
I. não obtiver frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento);
II. não obtiver média das avaliações parciais igual ou superior a 5,0 (cinco);
III. após a realização da avaliação final, não lograr média igual ou superior a 5,0 (cinco);
IV. nas disciplinas de caráter prático ou em estágios curriculares obrigatórios, não obtiver média das avaliações igual ou superior a 7,0 (sete).

  • Ter concluído o Ensino Médio

Prof. M.e. Patrick Pedreira Silva  Currículo Lattes

(14)2107-7098

engenharia.computacao@usc.br

Data da última atualização: 21/08/2017.*informações sujeitas a alterações

Receba nossas notícias
USC - Sagrado Coração

(14) 2107-7000
(14) 99825-8771

© 2017 | USC - Universidade do Sagrado Coração. Todos os direitos reservados.

Site Seguro